quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Aquele abraço!


Sabe aqueles dias em que bate uma nostalgia tão forte, mas tão forte, que tudo o que acontece ao teu redor te remete aos dias mais felizes da tua infância? É quando você sente um aperto angustiante no peito, daqueles que parece querer explodir, mas não sabe dizer se sentir isso é bom ou ruim, simplesmente porque quer voltar, mas não pode... e fica se torturando com isso. Pois é, eu sinto constantemente isso.

Então certas dúvidas me veem à cabeça: Por que eu fico tão apegado à minha infância? Infelicidade com o presente? Ou um passado feliz demais? A resposta chega antes de eu terminar a questão: é óbvio que tive uma felicidade exagerada e beirando ao extremo na minha infância. E acho que, salvo exceções, a vida de uma criança é sempre mais feliz e emocionante. E olha que não praticamos sexo nesse período da vida...


Acho que não preciso me dispor a explicar muito sobre essa sensação nostálgica, pois se você costuma ler matérias sobre nosso querido Master System nesse blog, sabe muito bem sobre esse assunto. Eu já contei um milhão de vezes aqui sobre minha história com o console 8 bits da Sega, sobre quando ganhei de aniversário nos meus 9 anos no dia 11 de novembro de 1989. Esse acontecimento marcante que coroou exatamente o período de extrema felicidade na minha vida, quando tudo era novo e excitante, quando eu ainda brincava de bets (ou taco) e bola na rua, assistia He-Man, Comandos em Ação, Transformers e Thundercats. Época de vacas gordas quando meu avô tinha uma pizzaria e de quebra, um sítio para reunir a família nos finais de semana, sem contar a casa na praia para nos reunir nos verões. Ah, os bons tempos dos jogos de bafo e bolinha de gude. Como eu gostava de gravar músicas nas minhas fitinhas cassetes e rebobiná-las com a caneta, para deixar no ponto certo e soltar o play ouvindo rádio no toca-fita. Ler quadrinhos dos X-Men e sonhar que um dia eu ia descobri qual seria meu poder mutante. E alguns anos depois detonar nas máquinas de 'fliper' e trocar todas minhas fichas de busão para jogar Street Fighter depois da aula. E por falar em aulas, como era emocionante poder matar aula e ir pro shopping "tocar o terror" e se sentir o máximo, tudo na maior ingenuidade. E quando chegou a época das locadoras? Alugar jogos para o Master System era meu objetivo de vida toda semana e conseguir pegar os lançamentos era vitória de uma guerra declarada. Mas o melhor de tudo, era ter minha família completa e meu finado pai que estava sempre ao meu lado sendo meu melhor amigo. Ah, dias lindos que não voltam mais.


E não volta mais devido as sensações novas que agora são velhas. Eu adoro relembrar os bons tempos de jogatina do Master System e até refiz minha coleção original e mais que dobrei com 'novos velhos' títulos. Mas é óbvio que a magia de jogar na infância é infinitamente superior. E o por que disso? Cara, é tudo novo, tudo é mágico e incrível e agora o máximo que podemos conseguir é uma satisfação enorme em relembrar isso. E velho, isso é muito bom, é excitante e emocionante também, mas não... não é a mesma coisa.


As vezes bate aquela vontade de ter um DeLorean e voltar ao passado e... puxa, falando nisso eu acabo de me recordar da vez que assisti 'De Volta para o Futuro' pela primeira vez. Que euforia, que sensação de "Isso é a coisa mais irada do mundo!!!". E eu só queria mesmo era sentir isso de novo. Com a mesma intensidade. Mas não dá. Não do mesmo jeito, pois agora por mais que eu mate saudade e me sinta imensamente feliz, eu não consigo sentir aquilo de novo, pois já foi, não é novo mais pra mim. E só viver do passado é triste e inútil. Principalmente quando se tem uma vida excepcional como a que eu tenho: família feliz, com uma esposa que pedi a Deus e uma filha que é linda, inteligente e graciosa demais, emprego estável e bem sucedido, conquistas e mais conquistas. Por isso, se voltarmos àquela primeira questão sobre a felicidade do passado e a infelicidade do presente, esta última alternativa cai realmente por terra. Hoje eu sou feliz demais. Mas isso não excluí a vontade de reviver tudo de novo desde o começo.


E agora você deve estar se perguntando: Tá, e onde é que você vai chegar com essa aporrinhação toda?
Respondo: Eu simplesmente não consigo mais escrever para o QG Master.


Recentemente várias figuras importantes abdicaram seu cargo, como nossos amigos André Breder e Orákio Rob (mais conhecido como Gagá no nosso universo retrogamer) e até o Papa mandou um #partidovaticano, deixando a galera no vaco.


Brincadeiras a parte, a blogsfera retrogamer que começou num tsunami eletrizante há mais de 3 anos com o gagagames, agora deu uma baixada. Mesmo blogs que continuam na ativa, como o GLStoque do Gabriel e o Shugames do Cosmão dão pausas de vez em quando nas atividades devido a correria do dia-a-dia.

Porém, blogs como o Retroplayers do Sabat, e o Cosmic Effect do Eric Cosmonal estão com a corda toda, assim como o próprio QG Master, que continua firme e forte com o Adinan, o Matheus, o Rodrigo e o Marcel. Bom, o resto da equipe está sumida, assim como eu e por isso devemos passar por uma recauchutagem. 

Mas a pergunta que ainda fica é: Por que? Ó Deus... por que???


O que começou como a minha máquina do tempo pessoal, onde eu resgatava tudo sobre o Master System para poder reviver e compartilhar aquele que foi um dos responsáveis por toda aquela cachoeira de felicidade se tornou uma obrigação e uma chatice com o tempo para mim. Peço desculpas pela sinceridade, mas eu tentei, eu juro que tentei não ver o meu (há tão pouco tempo) passatempo preferido virar um aborrecimento. Mas não estou falando dos jogos, eu amo e sempre vou amar jogar Master System e isso eu não parei. Eu só não consigo mais é ficar escrevendo sobre eles enquanto o que mais quero é ficar jogando.


Eu já fiz esse discurso para a equipe e abri votação para que pudessem me excluir, mas eles são legais demais e não tiveram coragem de chutar o membro fundador da equipe. Há uns dias atrás, acidentalmente eu removi minha conta do blogger e me bateu um desespero, corri pedir ao Adinan para me incluir de novo. Mas depois me perguntei, será que não era melhor ter ficado de fora? Mas não sei dizer. Talvez amanhã eu recupere o fôlego e volte a escrever matérias das quais quero sinceramente ter o prazer de escrever. A verdade, é que depois que virei pai, meus tempos livres são escassos e não consigo ver eles preenchidos com obrigações, eles tem que vir naturalmente e por diversão. Então, esse desabafo que hoje me deixa aliviado, pois eu precisava dizer algo por todo esse meu sumiço, não é efetivamente um adeus. Está mais para um "A gente se vê um dia!". E que o QG Master dure para sempre, sucesso aos meus parceiros!



Um forte e carinhoso abraço!
Leo S.

21 comentários:

  1. Mais um que deixa a galera na mao uma pena

    ResponderExcluir
  2. Vou sentir muita falta dos seus posts, Leo, mas realmente não é nada fácil manter um blog com tantas responsas que enfrentamos no dia a dia. Tem horas que sinto que o blog é mais uma obrigação do que diversão, quando deveria ser o contrário, enquanto que tem horas que estou tão empolgado que escrevo post até no trampo, escondido do chefe. Mas mesmo assim é complicado conciliar blog com a vida pessoal, e depois que ele deixa de ser algo divertido fica ainda mais complicado. O Gagá e o Breder renunciaram seus cargos pelos mesmos motivos e é bem compreensível, tem horas que a gente quer apenas jogar, e não ficar lembrando que precisa fazer um novo post pra manter o blog vivo.

    De fato a blogosfera deu uma bela esfriada, o Cosmic Effect passou a falar de jogos atuais também, e até o Retroplayers tem uma sessão para jogos novos e notícias do cenário atual de games, e no geral os blogs estão cada vez mais lentos e perdendo espaço para outras mídias como podcasts e vídeos, sendo o 99 Vidas e o canal Nostalgia bons representantes. Mas talvez a onda retrogamer esteja finalmente acabando, até porque muitos de nós jogadores daquela época estão se casando, tendo filhos e assim novas prioridades. Hoje estou um pouco mais sussa, mas amanhã posso estar me preparando para me casar, sair correndo atrás de apê e detalhes de buffet, entre outras coisas que me farão optar pela desistência do blog. É fato que um dia cada um de nós deixará o QG.

    Mas enfim, Leo quero aproveitar e agradecer por ter me aceito na equipe, pelos maravilhosos posts que você escreveu, pela amizade que desenvolvemos durante esses anos de QG Master, por tudo. Te desejo muito sucesso e muitas felicidades, e claro muitos games :)

    Abraços, meu amigo, seja sempre bem vindo para comentar os posts e lembre-se que a porta estará sempre aberta para você. Um grande abraço, fica com Deus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pô Adinan, sem palavras, não tem nem o que agradecer, vc e o Matheus foram os primeiros a chegar no QG e deram vida nova a ele. Hoje ele é mais de vocês do que já foi meu um dia. Eu que agradeço vocês pela amizade que fizeram comigo aqui no QG. Forte abraço!

      Excluir
  3. Cara é uma pena você sair mas ai vou sentir sua falta por aqui escrevendo as suas matérias legais e que me fez relembrar de varios jogos que joguei e queria jogar lendo cada post.Mas ai ve se não some cara quando der passe por aqui nem que seja pra comentar algum jogo de seus colegas ou acrescentar algum comentarios de alguem que posta por aqui como eu rsrsrs.Mas é isso ai cara se cuida beleza um grande abraço pra ti.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande rock! Você sempre esteve acompanhando o QG, pena que não o conhecemos mais, é um cara muito bacana e querido por aqui. Abração!

      Excluir
  4. Bom meu amigo, eu lhe entendo.

    As vezes temos que tomar medidas radicais e sempre são as mais difíceis. Deixar o blog (e que você criou) não deve ser algo fácil e fico muito honrado em participar dessa equipe apaixonada por Master System. Tempo ainda é o grande problema para todos nós, mas imagino que você como Pai queira passar mais tempo em contato com a filhota e curtindo esses momentos únicos da infância.

    Ao meu amigo, felicidades, muita iluminação, saúde para a família, mais conquistas e sinta-se a vontade para voltar a hora que quiser.

    Afinal... A casa é sua!


    Um forte abraço,

    Marcel Santana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcel, você foi uma aquisição sensacional para o QG, lembro quando fiz o convite e você pediu um tempo e eu pensei: que pena ele não vai aceitar... mas ainda bem que o tempo passou e você deixou o napraia4 em ordem e veio se juntar a equipe. Só lamento por, justo quando você chegou (e chegou com tudo), eu já estar nessa fase. Mas bola pra frente, a amizade só aumentou e continuarei acompanhando a todos aqui até o dia em que conseguir escrever novamente e me juntar a vcs de novo. Abração!

      Excluir
  5. Ae Leo!! Passei aqui só pra registrar... você sente o que eu sinto, você vive o que eu vivo... Pra quem não sabe sou amigo do Leo desde sempre...nos conhecemos ao 7 anos de idade e nunca mais nos largamos... nos identificamos um com o outro. Eu vivi todos esses tempos alegres por ele comentados, e é lógico, dividimos tempos e acontecimentos difíceis também... Hoje aos 32 anos de idade, com nossas vidas marcadas por coincidências, como pelo fato de termos a mesma idade (nascemos no mesmo ano), os mesmos gostos, as mesmas amizades, tivemos ambos uma filha (menina) nascidas no mesmo ano e mês (que são amiguinhas desde o nascimento), eu posso dizer, amigo, o quanto eu te entendo e me identifico. Sinto pelo QG e pelos posts engraçados que, como é de praxe, quase nunca comento (mas sempre leio e me divirto). Não te vejo mais, por hora, aqui no QG mas, por ser privilegiado por ser seu amigo também fora da "blogsfera retrogamer", avisa lá a Patroa que espero vocês aqui em casa para tomar uma gelada no fim de semana!!! (Desculpa pra deixar as meninas brincando, as patroas fofocando enquanto relembramos uns clássicos nem que seja no nosso celular!! HAHA!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João "Melão"! Meu grande amigo, meu irmão! Como você mesmo disse, nossas vidas foram marcadas por inúmeras coincidências, desde a infância até o momento mais incrível de nossas vidas, o nascimento de nossas filhas. Agora é a vez delas continuarem nosso legado e levar a amizade até o final de suas vidas. =D
      E bora lá beber várias, prepara as brejas que eu to chegando, heheh

      Excluir
  6. Esse foi o melhor texto nostálgico que eu já li, ever. Eu senti cada sensação que você descreveu. Concordo com cada linha, e principalmente quando você diz que as sensações não são as mesmas. Não somos as mesmas pessoas, amadurecemos. Aprendemos a tirar prazer, alegria e felicidade de outras fontes, isso é maravilhoso no fim.

    Se você acha que sua escolha vai lhe trazer mais felicidade, então boa sorte amigo, vai fundo.

    Quando eu descobri esse espaço aqui, a uns dois anos, fiquei muito feliz. Descobrir pessoas que compartilham da minha paixão pelos games antigos, e que criaram um espaço como esse, tão raro na web, e tão bem feito, é fantástico. Obrigado por isso.

    Te agradeço também pelos ÓTIMOS textos que li. Me senti aqui um pouco como quando era criança e abria a Videogame para ler.

    Felicidades pra você e sua família.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal saber que vc se identificou com o meu texto, Toninho! Agradeço pelo elogio e pelo carinho! Fiquei muito feliz em ler seu comentário, forte abraço!

      Excluir
  7. Kra! Tu não sabe como me identifiquie com seu texto! Com certeza foi o registro de um retrogamer mais sincero que já viu e com tamanha carga emocional que faz qualquer um que viveu esta época repensar o que quer pro futuro. Tb tive uma infância muito feliz no meu caso com outro console da Sega: o Mega Drive que ganhei de aniverssário nos longíncuos 1991. Me lembro que a gente se divertia com poucas coisas e na verdade a maioria eram muito simples, e é esse o espírito que a gente tem que resgatar hoje, e o seu texto me ajudou justamente nisso! Grande abraço e obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Show de bola Fabio, gostei muito de ler seu comentário também, que bom que consegui me expressar como eu queria, vc se identificar com o texto me deixa muito feliz!!! Abração!

      Excluir
  8. Velho, eu entendo perfeitamente o que você está sentindo. E como senti praticamente a mesma coisa, e tomei praticamente a mesma decisão, só posso dizer que você está praticamente certo ^_^

    A melhor coisa da vida é ter o que lembrar. Tudo de legal que acontece com a gente, mesmo o que está acontecendo agora, logo será passado. Eu acho que uma vida feliz é aquela na qual a gente está em um carro em alta velocidade, e de tempos em tempos olha pela janela e vê a felicidade passando. É assim mesmo; é rápido, a gente vê a felicidade, curte, mas não consegue segurá-la. Mas cada felicidade é mais uma história para a gente contar, e o que é um homem sem história, não é mesmo? Além do mais, o importante é saber que, mesmo que passe rápido, tem mais felicidade alguns quilômetros à frente. O lance é ficar de plantão na janela para quando a gente avistá-la, estar preparado para curtir.

    No nosso caso, temos um trunfo que muita gente infelizmente não tem: nós casamos com grandes mulheres (estou me baseando no que você diz sobre a sua, obviamente, he he). Eu percebi que desde que me casei, a felicidade passou a me acompanhar com mais regularidade. Parece que o carro agora anda mais devagar, e aqueles momentos bons duram váaaarios dias... passam sem pressa. Você então, que já tem uma filhinha linda para animar, deve estar quase andando de ré ^_^

    Se você parar para pensar, ter uma vida feliz em família é quase como ter uma segunda chance de ser aquele menino feliz om um Master System. Eu, pelo menos, sei que quando tiver meus 80 anos vou sentir uma baita saudade desses dias maravilhosos que tenho com a minha esposa -- que, por sinal, está fazendo um bolinho quentinho agora mesmo para enfrentar uma frente fria que chegou aqui no Rio de Janeiro. Ah, que saudade eu vou sentir disso um dia... que nem a saudade que tenho hoje de quando joguei Phantasy Star pela primeira vez ^_^

    Abração, meu velho, e seja muito feliz com a sua família! Qualquer coisa que precisar, é só falar -- mas já aviso que não tenho grana :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gagá é exatamente isso cara! O lance do carro é um exemplo perfeito... e realmente, com a minha filhinha eu estou quase parando e engatando a ré, heheh, como é feliz viver os momentos que reencontro ela após um dia exaustivo.
      Você disse tudo, esses dias alegres que curto ela e minha esposa - que você falou certinho: uma grande mulher :) - vão me ser épicos e nostálgicos num futuro não muito distante, então bora lá aproveitar isso meu véio, vamos ser felizes!!!
      Quanto a grana, então, tem nada mesmo? Tava pensando numa quantia pequena e... hhehehe

      Forte abraço meu amigo!

      Excluir
  9. Carai, sou seu fã Big Boss! Você foi e ainda é uma grande inspiração pra mim, seja o Leo Blogueiro ou o Leo Corinthiano (Fazer o que né xD). Ambos são pessoas que demonstramo amor naquilo que faz e sempre admirei muito isso e aprendi muito contigo.

    Sou muito grato pela oportunidade em fazer parte da família QG Master. Apesar de não ter contribuído ultimamente, vou compensar, prometo!

    Não importe quanto tempo tu leve pra bater aquela vontade para falar dos games que gosta, seu lugar sempre estará aqui, até lá a galera vai esquentar seu poltrona aqui no QG! hahaha

    Isso não é uma despedida mas fico todo sem jeito, droga xD

    Grande abraço Big Boss, muitas felicidades pra tu e família!

    ResponderExcluir
  10. Big Boss! Eterno Big Boss!
    Peço perdão porque só agora minha net permitiu postar aqui!
    Esse é o ciclo da vida, às vezes me vejo como você um garoto que teve uma infancia feliz e sente a todo momento esta nostalgia! Minha pré-adolescencia foi um inferno-na-terra e por isso mesmo, acho que valorizo mais ainda esta infancia feliz. O SMS foi muito importante pra mim, porque demorei pra ter um, via meu primo chato ter um, mas nunca me deixar jogar. Ganhei e tenho grande carinho e dedicação por ele. Tanto que quando vim pra minha nova cidade, morar com minha esposa, foi o primeiro objeto que levei comigo (depois da escova de dentes).
    E pense bem, ter um filho é o momento em que reencontramos o menino ou menina que fomos nós. Às vezes dá vontade de chorar, (de felicidade) só de pensarmos isso, então este momento tem de ser valorizado! Acabei de me casar e sonho com um filho (embora por carinho e consideração do Pedrinho, já sou pai dele! =))
    Te agradeço por aquele convite especial que vc me fez pra participar disso aqui, ser a "metralhadora de posts" como vc falou foi um privilegio, pois sinto ter feito muitos amigos aqui.
    Não digo isso como despedida, mas como um "cuidamos do trono do Rei" que é seu pra sempre!
    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Poxa Léo....
    Infelizmente entendo como é não ter tempo/ser impedido de continuar escrevendo sobre algo que amamos.
    Cara o QG Master foi um dos primeiros blogs de jogos que comecei a acompanhar e sempre amei,e,sem dúvida nenhuma uma das maiores influências para mim.
    Entendo os motivos mas mesmo assim tu fara uma falta absurda a blogosfera e sim sentirei muita falta,mas força,força ai com os projetos de vida.
    Felicidades e saudades.
    Sinceramente, Heavy...

    ResponderExcluir
  12. Te entendo perfeitamente Léo, boa sorte nessa nova fase da sua vida. Já ameacei parar com o Shugames várias vezes, mas decidi ir mais devagar, pois escrever sobre jogos velhos é um dos meus maiores passatempos (mesmo que, hoje em dia, o tempo esteja cada vez mais escasso).

    Tudo de bom cara, muita saúde pra sua família e boas jogatinas vindouras! :D

    ResponderExcluir
  13. VÁ COM DEUS, SE O AMOR NÃO ESTÁ AQUI, VÁ COM DEUS!

    ResponderExcluir