sexta-feira, 13 de abril de 2012

Master Catálogo - Super Heróis


Olá moçada!


Rodrigo Menezes novamente, agora com um catálogo de voar pelas janelas, nesta sexta-feira 13... Eles quebram paredes com um soco, disputam velocidade com o papa-léguas, usam cueca por cima da calça, ou simplesmente são psicóticos com dinheiro. Estamos falando dos super-heróis de HQ. E o Master System foi muito bem representado com jogos de super-heróis.
O master Catálogo vai listar todos os jogos que são o terror dos marginais. Agradeço e incluo os créditos ao Adinan pela parte dos Batman Returns e Spiderman vs Kingpin. Para avaliar este catálogo, necesssitamos um pouco do fator "nerdice". 

Tá, o que é nerdice? Se você entende o roteiro dos filmes de super-herói e está mais preocupado com isso do que com super poderes; se você sabe o nome de algum vilão do Super Man que não seja o Lex Luthor; sabe o nome do Flash e dos Lanternas Verdes; aceita numa boa que o Hulk em certos momentos é mais forte que o Homem de Aço; sabe que Constantine é um super-herói e não o Keanu Revees; acredita que o Magneto não é exatamente um vilão; e sabe de cor o nome dos vingadores, sim , você tem muita nerdice!
Dividimos o catálogo entre heróis da DC Comics e da Marvel Comics. Para o alto e avante!!








Catálogo de jogos de Super-heróis
  • Super Man: The Man of Steel
  • Batman Returns
  • The Flash
  • Spider-Man
  • Spider-man: Sinister Six Return
  • The incredible Hulk
  • X-Men: Mojo World


JOGOS DA DC COMICS

Super Man: The Man of Steel (1992)
Desenvolvedor: Virgin/Graftgold, Publisher: SEGA
Neste típico jogo do Homem de Aço (enquanto outras plataformas lançavam A Morte e Retorno do Super Man), o vilão Brainiac sequestra Louis Lane até Doom Star e o azulão vai atrás dela, um roteiro bem clichê. É preciso muita criatividade para bolar um desafio à altura do herói mais apelão dos quadrinhos, então quase todos os vilões como Prankster e Metallia, estão armados com kriptonita, e você depende de power-ups para usar seus super poderes  para limitar o super-herói apelão, em 5 fases de muita adrenalina. As cutscenes mostram fotos do jornal Planeta Diário. Os gráficos são bons, as musiquinhas maneirinhas, apenas o punho do soco mais forte do universo podia ter mais alcance, e é preciso coordenação pra aprender a voar. Em compensação, Super Man nunca cai no vão dos prédios, voa. Ah, importante, Louis Lane tá gatíssima nesse game. No conjunto, para minha surpresa, é um game divertido que vale a pena quebrar a cabeça e jogar.


Batman Returns (1992)

Desenvolvedor: Aspect, Publisher: SEGA
Baseado no filme de mesmo nome, Batman tem que livrar Gotham City das garras da Mulher Gato e do Pinguim. O jogo tem um conceito interessante em perguntar ao jogador qual caminho tomar naquele estágio. O percurso A é o normal, enquanto que o B é coisa do capeta, exigindo maior habilidade para vencê-lo. Uma idéia bacana que aumenta a vida útil do jogo. Sempre um jogo novo. Os gráficos e a trilha sonora são muito bons, assim como a jogabilidade. O mais estranho é que o jogo parece desafiar o jogador mais com o design de fase do que com os inimigos: o sistema de combate se resume apenas a atirar o bumerangue nos inimigos, enquanto que a maioria das habilidades do Batman servem para enfrentar abismos e plataformas difíceis de se alcançar. Para quem jogou a versão NES, vai sentir falta dos socos e outros projéteis, mas são dispensáveis neste jogo. Enfim, é um bom jogo de plataformas.

The Flash (1992)

Desenvolvedor: Probe, Publisher: SEGA
Baseado no filme e no seriado dos anos 90, A Electronics Wizard Trachmann e o vilão Trickster  se uniram para tomar o controle de Central City, e cabe ao nosso herói ligeirinho acertar as coisas. Flash, como já esperado,  vive neste jogo uma corrida contra o tempo. Em cada uma das 6 fases, o herói deve chegar à saída antes do tempo limite acabar, sendo que, antes de sair, precisa ativar um interruptor.
No jogo, além de Flash mover-se muito rapidamente, ele também pode girar em velocidades supersônicas derrotando os inimigos. Outro poder de Flash são os ataques de vibração que podem ser usado para destruir os blocos (que contêm tanto armadilhas ou power-ups) e para se livrar de bandidos, que é bem fiel, ao que ele faz nas HQs. O desafio maior é controlar a velocidade do herói, mas depois que você pega, pode viciar rapidinho.


JOGOS DA MARVEL COMICS

Spider-Man vs The Kingpin (1990)


Desenvolvedor: Technopop, Publisher: SEGA
O primeiro jogo do Homem Aranha para os consoles da SEGA, sendo um jogo popular entre os fãs de HQ e bastante divulgado pelas revistas de games da época. No jogo o Homem Aranha é acusado pelo Rei do Crime de ter plantado uma bomba que explodirá em 24 horas. Assim cabe ao aracnídeo encontrar a bomba e limpar seu nome. O jogo tem ótimos gráficos e cutscenes, enquanto que o som deixa a desejar um pouco, mas a jogabilidade é muito boa. Os controles respondem bem, e executar as manobras com a teia é uma delícia! O jogo é difícil pacas, envolvendo uma corrida contra o tempo e chefes bem apelões. Você vivencia mesmo o mundo das HQs do Aranha nos menores detalhes. Apesar do alto nível de dificuldade, enfrentando bandidos, cachorro e até polícia, é um jogo bem divertido.

Spider-Man: The Sinister Six Return (1992)

Desenvolvedor: Flying Edge, Publisher: SEGA.
Este jogo é bem diferente do anterior do arcanídeo. Baseado nas sagas de quadrinhos dos anos 70, o Aranha é desafiado pelos seus seis mais implacáveis inimigos: Electro, Homem-Areia (Sandman), Mysterio, Abutre (Vulture), o Duende Macabro (Robgoblin), e Dr. Octopus. Só faltou o Venon... É um game simplório. O Aranha é pequenino, os controles são famosos por travarem nos combates (em compensação, os socos saem automáticos se segurar o botão). A música é sinistramente boa, mas às vezes se repete. Alguns itens como chaves elétricas, bombas pra abrir caminho, mísseis disfarçados em coisas inofensivas, dão charme ao game. Mas para quem tem paciência, principalmente ao enfrentar o Abutre, pode ser divertido.

The Incredible Hulk (1993)





Desenvolvedor: Probe, Publisher: SEGA
Neste game, o Dr. Bruce Banner, encarna o verdão contra vilões que sempre o perseguem como Rhino e Mestre da Ilusão. Eis um dos games mais bacanas de heróis. O gráfico valoriza o volume do monstrão. O salto dele é suave como nos filmes e seus movimentos de luta variados, Hulk pode bater com 3 tipos de soco, agarrar, levantar coisas e quebrar pedras.  Para sua segurança deve manter sempre verde sua barra de energia gama com pílulas. Do contrário você vira Bruce Banner que só pode usar armas e se esconder agachado, pois morre com um simples espirro de um dos mega-vilões. Diz a lenda que o chefão final é um dos o mais difíceis do mundo SMS. Mas é um dos melhores games de super herói do Master.

X-Men: Mojo World (1996)




Desenvolvedor: SEGA, Publisher: SEGA
Este game é um port da versão Game Gear. Spiral, a linda mutante (como consegue ser linda com seis braços?) filma um reality show planejado pelo nojento Mojo, um monstro de outra dimensão, em que num jogo de sobrevivência, os X-Men viajam pelo passado, presente e futuro pra resgatar seus colegas. Pesa a favor deste jogo os gráficos bonitos e o carisma de jogar entre seis X-Men: Wolverine, Vampira (Rogue), Gambit, Cyclops, Havock e Lasca (Shard). É bacana saber usar os poderes de cada X-Men, até a autocura do Wolverine quando parado está presente. Mas os X-Mens Havock e Lasca são dispensáveis, o que poderiam investir em outras coisas para o jogo. As colisões irritam, a música é média, sem brilhantismo e os chefes (Magneto principalmente) desvalorizados. Ainda por cima, é um game muito raro, vendido hoje como ouro. Algumas fases, uma vez descobertas a saída, são fáceis demais. Poderia ser um jogão, mas é impossível não atentar estes detalhes.





Considerações finais

Tendo mais qualidade que quantidade, os super-heróis foram bem representados no Master System. Todos os jogos são bons, embora os únicos que de alguma forma (fator expectativa) podem decepcionar é Spider-Man Sinister Six e X-men: Mojo World. Entre os super recomendados está o Batman Returns e o The Incredible Hulk que são diversão garantida.

O Master teve todos os super-heróis indispensáveis para um console (nem o Chapolim foi esquecido!), e este catálogo de heróis das HQ, apenas mostra que a escolha personagens famosos e bons jogos são sempre um casamento proveitoso para console e jogador.   



17 comentários:

  1. Maneríssimo texto, Rodrigo! Parabéns!
    Superman, só conheço bem mesmo a versão de Mega Drive (também tenho em cartucho), e é um jogaço. Do pouco que vi em emuladores, a versão Master System (SMS) conseguiu manter um bom padrão.
    Batman Returns... bem... poucos dias atrás estreei aqui no QG, extamente,com um texto sobre ele. Além do Morcego ser meu herói preferido, ganhou um game à altura de sua popularidade.
    The Flash é um completo desconhecido para mim (me refiro ao game). Darei um jeito de jogá-lo, nem que seja em emulação pois sempre falam muito bem dele.
    O Homem Aranho, com certeza, é o herói das HQs com o maior número de títulos para videogames. Desde o Atari, há uma "enxurrada" dele, até, em aparições especiais como em Revenge of Shinobi, como um Boss ("Ok! Sei que não é bem isto. Hehehe!).
    O Spiderman - Return of the Sinester Six é um port da versão de Nintendo 8 Bits. A Acclaim (por meio de sua sub-divisão Flying Edge) teve a capacidade de transpor tudo igualzinho ao original... até a paleta de cores e resolução foram mantidas. Não entendo de programação, mas ficou parecendo que só transcreveram os códidos do programa... até bugs presentes no NES aparecem no Master. Mesmo assim, é um bom game e vale uma jogadinha sim.
    Ja o Hulk pro Master ficou sensacional. É um dos poucos casos que, se você não olhar direitinho, se olhar de relance e desavisado, poderá achar que é a versão de Mega Drive ali na tela da TV. Até as animações de transformação foram feitas... e muito bem feitas. Eu tenho o cartucho em 16 bits mas, neste caso, se eu tivesse a de 8, estaria muito bem servido também.
    Já este X-Men, é um exemplo que a Tectoy deveria ter feito muito mais ports de Game Gear para o SMS e o número de superheróis poderia aumentar. Sei que ainda tem outros jogos dos "Filhos do Átomo" bem como do Aranha (como o "Arcades Revenge") e do Homem de Ferro (no Iron Man and X-O Manowar in Heavy Metal), entre outros.
    Por fim...
    Se quiser engordar esta lista - além de Marvel/DC - há casos de heróis que surgiram no cinema e que acabaram migrando para os quadrinhos com longa carreira em publicações até hoje. Assim, temos o Robocop, Teminator, Predator, todos pela Dark Horse Comics.
    Bom, agora chega, né? Como já deu pra notar, adoro escrever... escrever... Hehehehe!
    Até mais!

    P.S.: Só uma coisinha. O Hulk não bate o Superman em hipótese alguma... a não ser que ele tome um banho de Kriptonita. O Azulão é apelão demais. Heheheh!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei muito bem que gosta de escrever, hehehehe.
      Olha o The flash que é um jogo bem divertido, pra quem curte games rápidos.
      P.S: O Hulk bate no Super, sim! hehehe No crossover DC vs Marvel, entre os heróis mais fortes, a fúria do verdão chegou a um nível astronômico, (a fúria é que determina a força dele) e jogou o homem de aço pro tombo. Stan Lee que assinou a bravura. heheheh

      Excluir
    2. ("O Stan Lee, está senil! Hahahaha!")
      O Thor é melhor adversário para o Superman do que o Hulk. Ainda assim, como a Marvel tratou de "humanizar" o Deus do Trovão nos últimos anos o tratando apenas como um ser extra-dimensional (somente reconhecido por divindade pelos povos nórdicos antigos dada à sua ignorância em entender a natureza de tais seres) uma vitória do Superman não seria um completo absurdo.
      Agora, o Thor criado orginalmente pelo mestre Jack Kirby, baseado diretamente nas mitologias nórdicas e sendo um Deus de fato, uma única porretada do Mjonir e o Kryptoniano beijaria a lona, já que ele não é invulnerável à magia.
      Na DC, mortais não encaram deuses... estão um patamar àcima. Na Marvel, isto mal é considerado já que até o Hulk Vermelho andou dando sopapos no Thor.
      E mais... nesses crossovers, parecem que os roteiristas fumaram "maconha nanotecnológicamente modificada". Já saiu cada coisa de doido como:
      _ O Batman dar um soco no Hulk, e este acusou o golpe à ponto de engolir um gás tranquilizante do Homem-Morcego;
      _ O Woverine vencer o Lobo? Isto nunca aconteceria, ainda mais em sua versão sem o esqueleto de Adamantium. O Lobo daria nós naquelas garras pois ele não obedece qualquer parâmetro lógico... é ainda mais apelão que o Superman. Hehehe!
      _ A Tempestade (dos X-men) não venceria a Mulher Maravilha, já que a amazona é uma titã, uma criação dos deuses gregos.
      _ Por mais que eu deteste admitir, o Batman não venceria o Capitão América numa luta franca... o Super Soldado tem capacidades físicas sobre-humanas. Nem considero tanto sua capacidade estratégica já que o Batman também é "outro apelão dos infernos" que até o Darkside pensaria duas vezes em subestimar.
      _ O Namor não pederia pro Aquaman, mesmo em sua versão atual. O primeiro mutante da Marvel já saiu na porrada com o próprio Hulk.
      Pra terminar (pois eu sempre escrevo pra cacete. Hehehe!).
      Os escritores, roteiristas, etc, criam os personagens mas, na hora de seguir com eles mesmos estipulam, parecem esquecer.
      Até mais!

      Excluir
    3. Sim, isso é nerdice! hehehehe
      Ao invés de simplesmente dizermos "ah, tá" rola toda uma "lógica" da qual queremos discutir, para outros mortais, mera bobagem.

      Eu achava razoável, porque os roteiristas limitaram o poder do Homem de aço (uma explosão não o mata, mas o atordoa) enquanto o Hulk tem força infinita (!!!) só limitada pela raiva dele. Mas algumas coisas são bem absurdas mesmo, o Lobo que dá uma sova (mas apanha muito em seguida) no Darkside e no Superman, nunca perderia pro Wolverine!
      Bem, chega disso
      Abraços.

      Excluir
  2. já conferindo esses games do post. sempre quis jogar um game do Superman de qualidade. aquela bagaça do N64 me deixou com traumas profundos. e gosto muito da Spiral, minha vilã favorita nos Xmen...ter seis braços pode ser sexy.

    tem até gente que acha a Sheeva atraente, por não a Spiral?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. heheheheh Eu vejo uma queda pela Spiral da galera aqui! rss O melhor super man que joguei foi a morte e retorno do superman pro Megadrive, mas esta versão Master é boa também.

      Excluir
  3. Muito bom Rodrigo, muito bom! Esse post ficou mega excelente! Ah, deixa eu contar, tb mandei vir o Spider Man: The Sinister Six, sabe como é, não me aguentei.
    Acho que de todos aí, o que menos joguei foi X-Men. E olha que, como fã dos mutantes isso é uma afronta. Mas eu explico, tenho um que de preconceito com jogos convertidos do Game Gear para o Master, não que sejam ruins, mas sempre achei descaso da Sega com nosso querido console...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba, mais um Spiderman para a nooossa alegria! rsss
      O X-men eu gosto e desgosto do game, tem problemas, mas eu gosto, fazer o que, né? Descaso mesmo com nosso console.
      Abraço.

      Excluir
  4. Gosto d+ do Spider-Man Vs Kingpin do Master System, tenho o cartucho e não me canso de jogar. Um jogo muito difícil que mostra muita qualidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse Aranha é um daqueles games que quem programou "acreditava" no que tava fazendo. difícil, mas com uma fidelidade e verdade que impressiona.
      Abraços.

      Excluir
  5. Excelente catálogo, Rodrigo! Tem muito jogo aí que eu nem conhecia, e o melhor de criar um catálogo é justamente demonstrar opções que muitas vezes passam batidos. O Superman e o Hulk por exemplo, nunca joguei nenhum dos dois e parecem ser muito bons. O X-Men joguei depois de ler o seu Master Review e acabei gostando, apesar de ser uma adaptação do Game Gear. Aliás tem muito jogo legal no portátil que a Tec Toy poderia ter adaptado, como o Battletoads que seria bem melhor do que aquele protótipo inacabado que a Tec Toy lançou.

    Viu, só mexi duas coisas no post, aumentei o tamanho do banner principal, costumo deixar o tamanho original da figura mesmo. E adicionei um bannerzinho personalizado para o tema de heróis. Usei o Bomb Jack para ilustrar, mas se quiser outro personagem no banner me avise. =)

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Adinan, aliás os créditos também são seus pelo Batman e o Spiderman. Eu não tenho recursos neste notebook pra editar NADA! rss então me ajudou mesmo, ficou ótimo.
      super recomendo o Hulk e o Superman também é muito bom.
      O GG tem muitos jogos bons, mas infelizmente a Tectoy não escolheu os melhores ports.
      Abração

      Excluir
  6. Spider Man vs Kingpin para mim é o melhor da lista apresentada, gostava muito desse jogo.
    Superman e Flash foram grandes decepções que tive quando tentei jogar, mas faz muito tempo, eu nem me lembro mais dos jogos.
    Os demais não me lembro de ter jogado, vale a pena experimentar algum dia (mesmo os mais "decepcionantes").
    Ótimo texto.
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, spiderman é muito bom! difícil, mas muito bom.
      Acho que os controles do Superman dificeis, eu aprendi na teimosia, mas depois que pega, é divertido.
      Experimente todo que são legais, principalmente o Hulk e o Batman.
      Abraços.

      Excluir
  7. Ótimo post Rodrigo. Dos jogos citados, os que mais joguei foram Spider-Man Vs The Kingpin, Hulk e X-Men, me divirto até hoje jogando eles.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu matheus,
      Eu me divirto pacas até hoje, até com os ruinzinhos da lista.
      Abraços.

      Excluir
  8. Desses aí o único que zerei até o fim foi Batman Returns (Tá no meu Blog), mas darei uma chance aos outros, inclusive o Hulk que me pareceu bom pelo pouco que joguei. Como vc citou o Chapolim deveria ter colocado algo sobre ele, apesar de ser um comédia, não deixa de ser um super-herói. He he.
    Abraço!

    ResponderExcluir