quinta-feira, 14 de julho de 2016

MD how to Use - Art of Fighting (1994)


Olá amigos, tudo jóia?
Vamos prosseguir nossa maratona pelos Fighting Games portados para o Mega, agora dando sequencia à principal série da SNK, Art of Fighting.

domingo, 19 de junho de 2016

GG Review - Cutthroat Island (1995)


Olá amigos, 
Voltamos ao Game Gear com uma aventura diferente. Que tal embarcar num navio pirata em Cutthroat Island?

domingo, 5 de junho de 2016

Recomendo: Defenders of Oasis


Parece que passo aqui apenas pra garimpar as pérolas já detonadas dos colegas. Bem, nosso propósito é quase este, sobre os games da nossa lista que valem um Replay. Nossas recomendações de hoje recaem sobre uma das pequenas pérolas que nunca achei que teria igual no G. Gear, Defenders of Oasis, detonado pelo amigo Adinan!

Após hackeá-lo para o Master System, fico apenas com aquela profunda tristeza de porque a SEGA não o portou para o doméstico. Uma aventura num cenário árabe, bem ambientado com cenários e personagens do Oriente Médio, com adaptações que não caem na "gafes" fora do contexto cultural, podendo ter sido uma das estórias das Mil e Uma Noites que Sherazade nenhuma deixaria de contar se soubesse. 




Gráficos e enredos que me lembraram fortemente de Shining Force, com uma trama bem construída que explicam idas e vindas dos mesmos personagens. Um sistema de jogabilidade que é simples pra começar (jogando no ônibus ou na fila do doutor). Batalhas bem no estilo Phantasy Star, mas com habilidades únicas e bonitas na imaginação. Busca de magias que é mais uma parte da diversão, do que chatice. Labirintos não-óbvios, mas que você não precisará tanto de um mapa. 

Mas o melhor de tudo é a dinâmica dos personagens. O príncipe preguiçoso e meio bobo, mas poderoso; Gênio, além-dos-mortais que sabe coisas que não pode dizer; o marinheiro de bom coração que alimenta vingança, o ladino não-tão-bom-assim que é divertido, e a princesa que mesmo caindo no clichê dos apuros, ainda é bem valente.
Com tudo isso, só posso dizer que Defenders of Oasis conquistou uma posição nova na minha vaga de "preferidos pra uma jogatina sem compromisso." Recomendo!







terça-feira, 31 de maio de 2016

Klonoa - Empire of Dreams (GBA)

Sim, você não leu errado ou se enganou de blog. Hoje, em rara exceção, vamos trazer um pouco do divertido Klonoa - Empire of Dreams (2001) lançado para Game Boy Advanced. E não se preocupe, não iremos abordar jogos de outros consoles com a regularidade que você está temendo.

Tempos atrás, quando nosso mestre e fundador Leo S. abriu as porteiras para novos consoles com suas Redenções Gamísticas, títulos famosos de franquias queridas pintaram por aqui. Claro que nosso querido Master System não foi esquecido. Já passeamos por outros terrenos como Mega Drive e Game Gear, mas o nosso QG continua Master. Sem mais explicações e trocadilhos, hoje vamos prestar uma singela homenagem a um dos games mais bacanas do antigo portátil da Nintendo.

sábado, 21 de maio de 2016

MD Review - Shining in the Darkness (1992)



Saudações pessoal,
Convido a vocês uma nova tendência, nosso espaço MD vai continuar a bombar em 2016 com dois gêneros de game: os Fighting Games e os RPG's Games.
Depois de desbravar toda a série clássica "canônica" Phantasy Star, vamos trabalhar com a segunda série da SEGA, iniciamos com o primeiro game da série Shining: Shining in the Darkness.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

GG 2 SMS - Jogando Game Gear na Tela Grande


Olá pessoal.
Das lendas urbanas mais interessantes que ouvi na blogosfera, era um gamer que jurava e "tinha provas" que Megaman havia sido lançado pro Master. E como prova, linkou a imagem acima.
Qual o segredo disto?

quinta-feira, 12 de maio de 2016

GG Review - Power Strike II (1993)

Considerado o melhor shmup lançado para o portátil, Power Strike II (93) é o jogo que trago hoje aqui no QG. Mas afinal, o game é bom mesmo? O que ele tem a oferecer? Após alguns dias de jogatina intensa, e muito game over, esse que vos escreve tem agora a tarefa de destacar aquilo que de melhor acontece nessa empreitada.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

MD How to Use - Fatal Fury (1992)



E aí pessoal.
Vamos prosseguir com nossa jornada nos Fighting Games do Mega.
Agora vamos para um game importantíssimo para toda história do Fighting Game. 
Depois de Street Fighter II, nossa volta às origens é com o primeiro Fatal Fury. O embrião do consagrado The King of Fighters.


sábado, 30 de abril de 2016

Recomendo: Out Run


O que acha de espantar o frio numa das corridas mais frenéticas que a SEGA já bolou? 
Estas duas últimas semanas uma visitinha inesperada neste cart (já coberto em Review pelo nosso especialista Adinan) me deu um belo frescor dos Arcades da SEGA.

O Master traz tudo sem perder a emoção: Gráficos belos, uma música descontraída (melhor que muito áudio que simulava barulho de motor) que você "sintonizava" no rádio, aquele velho espírito que sentíamos só nos teen movies americanos dos anos 1980, correndo a toda na orla da praia, com você e sua loira no carona, até quando voavam pelos ares ao bater nos objetos do lado da pista. Sentir tudo isso é só ligar o game.

Super recomendado (para alguém que Corrida não é seu forte), minha dica do mês. Pé na tábua!



terça-feira, 26 de abril de 2016

Master Review - World Grand Prix (1986)







Saudações!
Estou de volta, desta vez, para falar de um game um tanto “obscuro” do Master System, o World Grand Prix. Apertem os cintos, liguem os motores e vamos lá!!!

Você já jogou World Grand Prix (WGP)?
Esta pergunta pode soar tôla, uma vez que, foi lançado no Brasil junto com o Master System em 1989 e, até hoje, figura entre os títulos encontrados na atual versão Evolution, produzida pela Tectoy. Desta maneira, pode sim, ter divertido muita gente durante este tempo todo. Então, porquê disse, lá na apresentação, que é meio “obscuro”? Vejamos...
As capas com "artes minialistas" do Master System.
Pilotar este carrinho, é como entrar no cockpit de um Fórmula 1 de 30 anos atrás, por ter sido lançado em 1986. Desta forma, traz todas as características dos jogos produzidos naquele período, época que os videogames ainda estavam engatinhando, formando suas identidades visuais, mecânicas e de feedback junto ao público. Assim, quando aportou em terras brazucas, já estava datado.
Isto se reflete, também, no espaço na mídia dedicado à ele. Você, que está lendo isto, que foi uma criança feliz nos anos 80 e 90, lembra de ter se deparado com algum review sobre WGP, em qualquer revista especializada que fosse? Se a resposta foi “Não”, junte-se a mim nesta causa. Falou-se muito pouca coisa à respeito dele, só o descreveram brevemente e pronto. Ainda bem que, graças à internet, há vídeos de gameplay no Youtube, que o ajudam à permanecer vivo na história dos games.
Escrever à respeito, foi como uma “reparação”, porque eu mesmo, não tenho uma única lembrança vívida de tê-lo jogado... apenas, tenho "flashes" de memória dele. Sei que tive a oportunidade, por um dado momento e nunca mais... isto, até alguns dias atrás, quando me veio uma vontade súbita de revisitá-lo: “Porquê será, que não me lembro direito? Era ruim?”.