sexta-feira, 15 de junho de 2012

Master Catálogo - Jogos de Luta


Oi a todos. Rodrigo novamente com outro tema para nosso catálogo. Nosso amigo Adinan também me ajudou a escolher o tema. Este catálogo apresenta um tema que é bem polêmico no Master System hoje, os jogos de Fighting Game.
Havia duas categorias para os jogos de briga: os de beat n' up ou simplesmente de ação (action game), em que você andava e batia, e os figthing games, Close combat ou man-to-man, em que você enfrenta apenas um inimigo cara a cara.
Hoje, os jogos de luta do Master são meio desconsiderados hoje nos emuladores, pois nas conversões temos maior acesso às versões dos consoles mais poderosos do mesmo game. Embora na época em que foram lançados, cumpriram bem seu papel, já que poucos podiam se dar ao luxo de possuir dois consoles e escolher a melhor versão pra levar pra casa. E eles com seus poucos recursos, agradaram e muitos se tornaram febre, sendo lamentável que o gênero não foi muito aproveitado no 8 bits. Test your might!




Títulos dos Jogos de Luta
  • Mortal Kombat
  • Pit Fighter
  • Masters of Combat
  • Mortal Kombat 2
  • San Goku Shi
  • Virtua Fighter Animation
  • Mortal Kombat 3
  • Street Fighter 2


MORTAL KOMBAT (1993)



Desenvolved: Midway /Probe Publisher: Arena 


O primeiro game de luta para o Master System que causou filas nas locadoras. "Yes, we have Mortal" diziam os donos de SMS. O famoso torneio Shaolim de Artes Marciais que foi corrompido    pelo feiticeiro Shang Tsung e seu campeão, o homem dragão Goro (que parecia o Kawa Mung, o gigante do Caverna do Dragão...).  Este game foi guerreiro, com todos os seus problemas, pois tinha lutadores digitalizados e sangue com a paleta de 64 cores do SMS. Para quem transformou um controle de 5 botões, num de 2 foi um grande feito. Os cortes foram de 4 dos 6 cenários, o chefe Goro reduzido e apenas dois lutadores ausentes, Kano e Reptile. A escolha de Kano foi boa para os controles do Master, pois seus golpes precisavam muito da defesa e 360 graus no direcional quadrado do Master não rola. Infelizmente, os cenários The Pit e Goro's Lair não davam por si a atmosfera de um torneio oriental (enquanto a versão Game Boy tinha o The Coutyard), necessitando do jogador já conhecer a versão arcade pra se ambientar. O número de quadros dos lutadores no ar era maior que os em terra, tornando o game um tanto "solto" (bom que o medo de muitos era o game ser travado.), mas com várias câmera lentas. Apesar do favoritismo dos ninjas Sub Zero e Scorpion e a dificuldade de enfrentar Liu Kang como CPU, o deus Rayden era o personagem mais poderoso nesta versão. Tudo indica que foi um game feito na pressa, (lançamento simultâneo pra 5 consoles, chamado de "Mortal Monday") pois eram muitos bugs e às vezes perdas de energia inexplicáveis, mas mesmo assim, como game para o Master era um game divertido, causando verdadeiros torneios em casa nos anos 90. Os atores digitalizados e fatalities surpreenderam, melhores do que se esperavam na época. Como na versão arcade, tem grande dificuldade, mas comandos simples. É um jogo médio.


PIT FIGHTER (1992)



Desenvolvedor: Atari/ Publisher: Domark

Eis aqui um dos piores games do Master System. Embora já não tinha popularidade em outras plataformas.  Uma espécie de torneio de luta no submundo em que você pode encarnar 3 lutadores Buzz, Ty e Kato, e enfrentar outros 5, além de um clone seu na fase de bônus. Como em Double Dragon você pode pegar objetos do cenário contra seu oponente. O game é difícil alguém gostar dele de forma ilimitada. Os controles são ruins, Os lutadores digitalizados são muito mal desenhados, nem aparentando ter gasto 4 Megas que foram milagrosos em outros games. A música é ausente na luta e a presente na vinhetas  é irritante. Mesmo quem gosta de jogos de luta no Master, não conseguirá tolerar todos os defeitos deste game.

MASTERS OF COMBAT (1993)


Desenvolvedor: SEGA/ Published: SEGA

Eis um game original para o sistema, o que facilitou muito as coisas. A única objeção que são apenas 4 personagens e o boss secreto, não tiram a diversão. Um misterioso torneio numa cidade futurista de Megalo City que envolveu a queda de um OVNI. Quatro grandes lutadores topam a empreiteira pelos mais diversos motivos: o ninja Hayate, o fanfarrão Gonzales, o Swat-man Highvoltman e o ciborgue Wingberg. A ambientação futurista é boa, com direito à torcida e efeitos visuais no cenário. Alguns tem a objeção de ter um botão de ataque variável pelo direcional e outro de salto e dash, mas é impossível não se apaixonar e ignorar este detalhe. É um game muito rápido, tem um forte equilíbrio entre lutadores fortes e rápidos. mesmo o favorito ninja Hayate pode tomar uma bela coça do lento mas poderoso Gonzalez. A variedade de táticas em terra e no ar são ótimas também. Bastasse tudo isso, o direito de usar o boss e   aumentar a a velocidade do game após zerá-lo, tornaram a diversão maior ainda.  Para ter 2 Mega, a Sega devia pensar numa continuação. Masters of Combat é considerado não só para o SMS mas para os 8 bits, o melhor fighting game!

SAN GOKU SHI (1994)



Desenvolvedor: Panda / Published: Game Line 

Este game só é encontrado na Coréia do sul e no Japão. Baseado num anime bastante famoso do período feudal. Não tivemos a oportunidade de conhecê-lo totalmente, mas parece ser uma daquelas pérolas que nós brazucas lamentamos não ter conhecido. A jogabilidade é bem suave. Os personagens são detalhados e os cenários evocam o Oriente feudal. Possui 8 Mega e tem um poder gráfico impressionante com 8 guerreiros extremamente estilosos de opção. Vale a pena procurar o emulador.

MORTAL KOMBAT 2 (1994)



Desenvolvedor: Midway/ Publisher: Acclaim/Probe

Parecia impossível superar a limitação que Mortal Kombat 1 mostrou. Fizeram a proeza de incluir mais dois personagens normais e 2 secretos.  Temos então 3 ninjas (os favoritos: Scorpion Sub Zero e Reptile), 2 kunoichis (ninja meninas, pois tem que ter meninas: Kitana e Mileena) e 3 descamisados (que são os principais da estória: Liu Kang, Jax e Shang Tsung). Os sons são mais "corretos" se compararmos com a primeira versão. Dá arrepio a única voz do game dizer "Fight!" em meio a todo silêncio. A Acclaim nesta versão avisou que caprichou na jogabilidade. Como game de SMS, a variedade de táticas é muito maior que o primeiro, isto é, muito mais diversão. O CPU também varia mais suas táticas. Golpes especiais aéreos, teleportes, invisbilidade, metamorfose e até golpes no solo, fazem vibrar as lutas. Dos cenários, o The Pit 2 e o Combat Tomb são muuuito mais bem feitos que no primeiro game. Ao enfrentar os secretos, um cenário novíssimo (aproveitando partes do Combat tomb) aparece, até mais charmoso que o Goro's Lair original. O versus game deste jogo, com as possibilidades de táticas e combos é 10 vezes melhor que no primeiro jogo, que enjoava mais rápido. Para o Master, é um bom game de lutas.

MORTAL KOMBAT 3 (1996)




Desenvolvedor: Midway /Willians/ Publisher: Tectoy 


Neste game, agora feito pela Willians, houve um descaso legal. Agora não é mais um game oriental, se passa em vários lugares da terra. Os lutadores disponíveis são Sub Zero e Sonya dos heróis, Kabal e Kano dos anti-heróis, Sector e Cyrax dos ninjas robôs (como???), e Sheeva e Syndel das vilazonas. Se seguissem a mesma fórmula de Mortal Kombat 2 seria um bom game, mas não foi bem assim. Para aumentar as opções do game, que tem códigos e disponibilidade pra usar o secreto Smoke e o chefe Shao Khan, os cortes de quadros o tornaram extremamente duro com flutuações estranhas dos personagens, a jogabilidade é estranha. Os cenários só aumentaram de 2 pra 5 porque usam fundos pretos e desenhos esfumaçados. Foi uma das tristes despedidas do Master, um game mal aproveitado.

VIRTUA FIGHTER ANIMATION (1996)



Desenvolvedor: SEGA/ Publisher: SEGA


Este não é uma conversão, mas uma versão nova da série Virtua Fighter, baseado no desenho animado homônimo. Akira e sua turma em sua luta contra a gangue Koenkan (digo e repito: não é Cuecão como dizem certas crianças!). Do Virtua 1, o único personagem ausente era Jeffrey, mas essa versão é original, então não temos que cobrar presença de personagem nenhum, certo? O barato deste game é o "realismo", com lutas sem magias ou golpes bizarros, vendo que muitos tentaram fazer hadoukens e fatalities num primeiro contato. Os combos funcionam bem, ainda mais com um controle turbo. Aparentemente, o único personagem capado foi Lau, que aparece com menos golpes. A única objeção a esse game são os personagens pequeninos, pois  saiu de um port do Game Gear, tendo cortes na abertura e a primeira vista não é possível usar o boss Dural no Vs. Os gráficos são MUITO bem desenhados, os golpes são bons. O som é muito legal pra 8 bits. Mas pra compensar os cortes, existem as animações do modo story que contam o enredo do anime, as vozes de vitória no modo Vs Com (gostoso de ouvir Sarah gritar "Yahoo!"), e as caras dos personagem parecendo bonequinhos fofos de mangá tornam o jogo muito bonito. 


STREET FIGHTER 2 (1997)




Desenvolvedor: Capcom/ Publisher: Tectoy


Dispensa apresentações. Todos os consoles tinham versões oficiais ou não-oficiais, e talvez este seja o último jogo lançado pela Tectoy pro console. O famoso torneio com os maiores lutadores da Terra, o que originalmente era um game de "luta de rua". Era o jogo que foi mais esperado dos jogadores de SMS. É com San Goku Shi os únicos game de 8 Mega, tem personagens grandes e vozes (não durante as lutas), os gráficos são bonitos e as músicas são as mesmas com os timbres típicos do Master (a de Ryu ficou meio "celeste"!). São 8 personagens (Ryu, Ken, Chun-Li, Blanka e Guile), e 3 deles são chefões (Balrog, Sagat e Bison). Porém, os controles são duros, golpes foram cortados, a jogabilidade impede combos óbvios como o voadora-e-rasteira. O dano de um golpe especial às vezes era o mesmo com ou sem defesa. Parece que quem testou o game  para a Tectoy foram aqueles jogadores cariocas dos fliperamas piratas (que eles chamavam de "máquina especial") em que Balrog dava hadoukens com o Dash Punch ou Guile "teleportava" do chão para o céu, girando o controle. E os cenários faltam alguns detalhes. Mas por uma questão sentimental de qualquer Old Gamer, possa ser divertido adquiri-lo.





CONSIDERAÇÕES FINAIS

As opiniões sobre os games de luta para o Master são variadas e contraditórias. Como fanático do gênero, assumo que utopia seria pensar que por saudosismo todos vão achar ótimos os fighting games do SMS. Lembrança ótima eu trago de 3 jogos: Masters of Combat, Virtua Fighter Animation e Mortal Kombat 2. Alguns retrogamers fazem questão de adquirir os outros por coleção e saudosismo. Mas apenas o dispensável  é o desalmado Pit Fighter. Bom combate!!

29 comentários:

  1. Rodrigo,ainda não li com calma, mas só de passar o olho vi que este Master Catalogo está divino! Depois vou ler e comentar assim qie eu chegar em casa.

    E putz, me desculpe por nao ter feito o banner, assim que eu puder vou adiciona-lo ao post.

    Abração

    ResponderExcluir
  2. Mais um ótimo Master Catálogo, parabéns!

    Dessa lista ainda não conhecia o "SAN GOKU SHI" e seguirei sua sugestão; vou baixar a ROM pois parece ser bem interessante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Baixe a Rom que é bem legal, Vinnie! Procure!

      Excluir
  3. muito bom e informativo esse post. vou ver se arrumo esse games para dar um testada, principalmente o Virtua Fighter animation.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Testa aí. O virtua tirando os bonequinhos pequenos é muito divertidos. Obrigado.

      Excluir
  4. Rodrigo acabei de adicionar o novo banner, espero que goste! =D

    Quanto ao post, realmente ficou show de bola, adorei! Eu não poderia ter feito melhor, ficou bem informativo e gostoso de ler. Dos jogos apresentados só não joguei o MK III, mas até o San Goku Shi eu joguei uma vez e apesar de ser meio piratão o jogo é bem programado e tem boa jogabilidade, mas o meu favorito do Master é sem dúvida MK II, os caras se superaram nesse jogo e o port é digno de qualquer dono de Master se gabar!

    Abração! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hehehehehe Adorei o banner, Adinan, só vc pra mandar tão bem! ;)
      O MK III joguei só há pouco tempo pq na época me "aposentei" de games, mas nem vale tanto o esforço. Se souber onde baixo o san Goku Shi, quero ele de novo, to pensando naquele projeto de baixar jogos e usar o eprom pra fazer carts aqui. hehehehe
      O MK II é uma delícia, né? Para Master é um jogão, e ponto. Tem menos quadros que MK I, mas ficou menos solto, dá pra fazer combos e adoro jogar com o Pedrinho aqui em casa.

      Abraços!!

      Excluir
  5. Cara esse post ficou show infelizmente n joguei nem um game de luta no master mais sou fa de games deluta e pelo que li o master tb teve suas perolas muito legal mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pérolas fora assim, Ricardo: limitadas mas divertidas. Bato o pé e reclamo que poderia ter tido mais, e melhores games de luta. Houvesse a SEGA feito um port dos jogos da SNK para Game gear (Samurai Shodown e Fatal Fury Special) eu já estaria mais satisfeito.
      Abraços.

      Excluir
  6. Eu e meu irmão jogavámos muito o Master of Combat. Apesar de eu achar o ninja, Hayate, mais legal eu era muito bom com o gordão, Gonzales. Caralho! Ainda me lembro do nome dos personagens, hehehe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Delícia de joguinho, né? E jogar muito bem com o Gonzales era prova que o cara jogava bem com qualquer personagem. heheheh

      Excluir
  7. Cara, eu aproveitei pouco os jogos de luta do Master. Eu adorava era jogar contra os chefes de Black Belt, depois de conhecer Street Fighter 2, me sentia jogando ele. Mas os demais jogos não me empolgaram muito.
    Dos que vc citou:
    MK eu detestei quando joguei pela primeira vez. Como vc disse, parece que o jogo foi feito muito na pressa mesmo e ele era todo "duro". Pior que o mesmo acaba se aplicando pro MK II. Este eu cheguei a ter quando comprei novamente o Master, mas me desfiz do cartucho por não conseguir jogá-lo! hehe
    Pit Fighter eu nunca joguei no Master, mas se vc diz que é um dos piores do console, eu acredito! Na verdade nem a versão do Mega eu gostava.
    Masters of Combat e San Goku Shi eu nunca joguei também. O primeiro tive vontade de jogar depois de ler o Review que rolou por aqui no QG, mas me esqueci completamente. Vou ver se me recordo. E o segundo chamou a atenção também. Vou localizar a ROM.
    O terceiro MK não cheguei a conhecer, mas vou ficar distante.
    Virtua Fighter Animation cai no mesmo que Masters of Combat... minha memória é um horror! hahaha
    SF2 foi uma boa idéia a TecToy portar pro Master, mas o jogo é horrível.
    É isso.
    Muito bom o texto. Até que o Master teve algumas opções do gênero, pena que a maioria chegou quando o Mega estava estourando! :/
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, BB era o SF de muito masterísta! MK eu fui me acostumando e como não tinha SNES e etc, não reclamei muito. O dois eu curti e até jogo hj, mas não é o Blaster-Game! rss
      Os que vc não jogou, MoC e SGS jogue sim, esses valem a partida! E realmente culpo muito a SEGA por "atrasar" no gênero e ficar mantendo o Master com shooters e plataformas.
      Abraços

      Excluir
  8. Nunca gostei dos jogos de luta pra videogames 8 bits. Mas seu post foi excelente. Parabéns, boa comparação e resenha dos jogos de luta do Master. A mania de forçar ports resultava em muita coisa bizarra também. Talvez se tivesse mais jogos feitos pra ele o Master se destacasse mais nessa área.

    A capa do SAN GOKU SHI me lembrou muito os personagens dos Romance of the Three Kingdons ou dos Nobunaga Ambitions. Deve ter alguma relação entre eles. O problema é superar o barreira do idioma pra confirmar isso ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heider, os ports realmente criam uma expectativa frustrante no jogador. O bom eram os jogos originais. San Goku Shi é um anime baseado em contos da China feudal.
      Abraços.

      Excluir
    2. Será que não existe algum arquivo de tradução (IPS patch), pelo menos para o inglês?

      Excluir
  9. Ótimo catálogo Rodrigo!
    O Master não tinha a capacidade mínima pra rodar esses jogos, ainda mais que o limite já começava pelo controle. Mas convenhamos, eles quebravam um galhão, e é interessante ver a maneira de como eles tentaram adaptar o jogo, mesmo que tendo que remover muitas coisas. Dos jogos citados o melhor fica por conta do Masters of Combat por ter sido um jogo feito propriamente para ele. Agora quanto as conversões eu curto o Mortal Kombat 1 e 2 e o Virtua Fighter, eles são meio travadinhos mas jogando com um pouquinho de paciência da pra curtir.

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  10. San Goku Shi...vou baixar essa rom. Desses citados o MKII é meu predileto.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. MK3 do master system eles deveria melhorar no anos 90, mais foi ruin demais o jogo.

    ResponderExcluir
  12. @Matheus T. infelizmente houve pouca iniciativa em criar jogos pro gênero no Master, o Game Gear teve mais sorte nisso. MoC é muito bom e curto até hoje. É mais rápido que muito game do Mega.

    @Logan San Goku Shi é bem divertido, fez sucesso no fim do Master na Ásia.

    @Demetrio MK 3 teve o problema de mudar o responsável pelo port, a Willians, e era o fim do Master, logo fizeram um game de qualquer jeito.

    ResponderExcluir
  13. Além de Sangokushi 3 e Street Fighter 2, Virtua Fighter Animation e Sonic Blast também têm 8 megabit. Será que existem mais jogos para Master System/ Mark-III com essa capacidade de memória?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, bem, acho que o VFA tem 4 megas, eu mesmo vi na hora de carregar no flashcart. Acho que são só estes mesmos, pq há uma tipo de programação que permite ter esta configuração, mas não é pra todo jogo. Abraço.

      Excluir
    2. O Devaneio de Rute, se verificar o tamanho da rom descompactada, verá que a mesma tem 1024 kilobyte, que é o mesmo que 8 megabit (1 byte = 8 bit). Pode também conferir na página do jogo VFA no SMS Power: http://www.smspower.org/Games/VirtuaFighterAnimation-SMS

      Excluir
    3. Interessante, vou dar uma olhada, talvez seja pelo canal de voz que utiliza. Abraços

      Excluir
    4. A Sega ou mesmo a Tectoy deveria ter lançado mais games para Master System com 8 megabit. O Master possui excelentes games com apenas 2 megabit, como por exemplo o citado "Masters of Combat". Fico imaginando como eles seriam caso tivessem 4x mais memória. Mais fases, cenérios mais trabalhados, mais movimentos para os personagens, músicas mais refinadas, enfim :-D

      Excluir
    5. Bom, amigo, eu já acho que há algumas limitações. Os jogos de 8 Mega eram em situações especiais, tipo, jogo com vozes ou alguma técnica gráfica. Quando os 16 Bits dominavam, eles poderiam lançar uma safra de jogos de 8, e não de 4 Mega como ocorreu, por isso mesmo. Em geral. a maioria dos jogos tinha 2 Mega exatamente pela velocidade de processamento. O Sonic Blast é graficamente lindo, mas é o jogo mais lento do Sonic, só para ilustrar.
      Abraço.

      Excluir
    6. É verdade, o processador do Master System não dá conta de muitas informações simultâneas, como pode ser observado em Sonic Blast. Mas existem casos onde o jogo também tem muita memória, mas que a mesma não é usada simultaneamente em grande quantidade, como por exemplo em Phantasy Star, onde os gráficos de mapa são simples pq o jogo é enorme, então sobra pouca memória para cada animação. Nestes casos, mais memória significaria uma melhoria considerável. Existe uma entrevista interessante com a designer de Phantasy Star, Rieko Kodama, onde ela comenta sobre essa dificuldade.

      Excluir
  14. faltou falar de jang pung3 um jogo lançado na coréia que sem sombras de duvidas é o melhor jogo de luta do SMS,procurem sobre ele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hummm... interessante, já joguei alguns coreanos, achei que este era um beat n' up. Vamos procurar. Abraços

      Excluir