sexta-feira, 4 de junho de 2010

Master Review - R-Type (1988)


Olá amigos que visitam o QG Master, pra quem não me conhece eu me chamo Matheus e a partir de hoje eu estarei auxiliando o nosso amigo Leo (que está um pouquinho ocupado no momento, não tendo muito tempo pra estar postando análises e outras coisas nas outras seções) postando algumas análises e entre outras coisas à respeito do nosso querido Master. Eu sou um gamer louco por jogos dessa geração e procuro sempre estar aprendendo um pouco mais sobre este incrível mundo de pixels, e hoje como a minha primeira análise, eu os apresento um shooter que marcou a sua época pela sua dificuldade e que até hoje ele vem recebendo novos títulos, o R-type.

História
Tudo começa quando criaturas do império Bydo estáo tentando invadir e conquistar o nosso planeta, sim meu amigo, foi isso que você entendeu, a nossa querida galáxia está à beira de um colapso, até que surge uma nova esperança.A liga de defesa da Terra decidiu que você, sob o comando da nave de combate espacial R-9(nomeada Arrowhead) impeça que isso ocorra. Agora vamos ao que interessa.


O jogo
R-Type era um dos shooters mais conhecidos na época, e o Master System foi um dos sortudos à receber a conversão desse clássico inesquecível. Ele possui gráficos bem detalhados com bastante variedades de inimigos e cenários, destaque para os chefes que são gigantes. Mas isso acabou saindo um pouco forçado pro nosso Master prejudicando a velocidade do jogo, mas nada que chega a atrapalhar quem está jogando e aliás você vai agradecer em alguns momentos quando isso acontecer, porque o jogo não é moleza não. A jogabilidade é rápida e precisa, responde bem aos comandos do jogador trazendo uma configuração simples mas que funciona. O som é bom com vários efeitos sonoros como tiros, explosões e com músicas bem empolgantes. E você tem a opção (dependendo do emulador que você está usando) de ativar o módulo FM para turbinar a qualidade do som do jogo (vale a pena experimentar), lembrando à todos que essa função é exclusiva da versão japonesa do Master System, o Mark III.


Uma coisa que impressionou na época foi o tamanho dos chefes, e olha que esse é o da primeira fase, mostrando que pra ser gigante não precisa ser da última fase

O jogo é difícil pra caramba, e não estranhe se você morrer logo na primeira fase, é sério, as fases são lotadas de monstros e tem momentos que o tiro do monstro é tão pequeno que você acaba nem enxergando, ou porque não viu porque tava desviando de outros ou então porque o tiro era da mesma cor do cenário (sério, isso aconteceu comigo). Portanto, uma dica fundamental é você decorar o momento e o ponto em que aparece os monstros e também pegar os power-ups, que ao pegar o primeiro automaticamente surge Force, uma espécie de esfera que fica na frente da sua nave te protegendo dos tiros. E mais, quando você estiver com Force e pegar mais um power-up, o Force também terá tiros próprios, formando com você uma dupla imbatível.


Muitas pessoas não tiveram a oportunidade de ver o primeiro chefe porque travavam nessa parte, e se você não for rápido, nem mesmo Force será capaz de te salvar dessa "roda da morte".


Aqui você confere a segunda fase do jogo, que se passa num tipo de laboratório,
fique atento à esses monstros que surgem do chão e do teto.


Agora que falei de Force, eu vou explicar de uma maneira simples e rápida como pegar os power-ups:
- Os power-ups você encontra destruíndo um robô específico, e não se preocupe, ele é fácil de ser identificado e aparece em grandes quantidades, portanto não se preocupe se caso você morrer, logo você recupera tudo de novo.

Esse é o robô que carrega os power-ups.


- Quando destruído surge uma bolinha com uma cor específica, lembrando que são três no total, cada uma com uma função diferente: a de cor azul faz com que Force dispare na frente e nas diagonais, e quando encosta em alguma parede o tiro reflete para outra direção.Temos também a de cor vermelha, que dispara um mega tiro, mas só na frente. E por último, o da cor amarela, que dispara um raio pra cima e pra baixo ao mesmo tempo, e quando encosta no teto ou no chão o raio muda a direção para a direita. Mas é bom lembrar que quando você estiver jogando e não estiver com Force, não importa que bolinha você pegue, Force vai vim pra você mas não vai estar com a função da bolinha que você pegou, ela só vai funcionar quando você pegar outra bolinha de novo.

Esses são os power-ups que Force pode pegar.

Um detalhe interessante é que quando você pegar mais de 2 power-ups, o Force mudava de forma.

-Mas não é só Force que ganha power-ups, quando você destruir o robô poderá aparecer um ícone com a letra M, S e também uma bolinha prateada com um círculo vermelho.A letra M(missile) faz com que sua nave dispare mísseis de calor, a letra S (speed-up) deixa a sua nave mais rápida e a bolinha prateada funciona assim, quando você pega surge uma pequena esfera que dispara tiros simples, ela fica em cima ou embaixo da nave (isso mesmo, pode pode pegar até duas que elas vão ficar com você ao mesmo tempo).
Aqui você confere os power-ups do R-9.


Quando você estiver nessa parte (quarta fase) destrua as bolinhas que estão ao redor até chegar aonde a seta está indicando, batendo na parede esquerda você será transportado para uma fase secreta.

Mas uma coisa que era bem legal nesse jogo e que também foi uma novidade pra época foi a possibilidade da sua nave carregar o seu tiro, no maior estilo Mega Man (tudo bem que na época em que foi criado o Mega Man 4 ainda não tinha sido lançado, mas não resisti, não tem como não lembrar dele hehehe), basta você segurar o botão 1 por um tempo e soltar o botão, o que ajudava e muito no momento em que a tela lotava de monstros, e tinha também outra coisa que ajudava, apertando o botão 2 você disparava Force contra os inimigos, e se quiser que ele volte é só se aproximar dele ou apertando o botão 2 para ele vir até você, o bom disso é que quando aparecer muitos monstros atrás da nave, você pode soltar Force e fazer com que ele fique atrás de você (sem malícias, eu juro!!).

Olha o tiro do Mega Man aí !

Enfim, R-Type é um ótimo jogo e tem tudo o que um jogador gosta, bons gráficos, músicas, um controle que responde bem aos comandos e muita, muita dificuldade, portanto, é um jogo perfeito pra quem procura por desafios no Master, e pra te ajudar, a produtora fez a questão de colocar continue limitado (3 pra falar a verdade), mas nada que um bom código te ajude.

Opa, tem segredinho nessa tela!!
E pra fechar essa análise com chave de ouro, eu revelarei esse segredo como forma de agradecimentos ao Leo por ter me dado a oportunidade de fazer parte desse blog: quando você estiver nessa tela, faça 360° graus com o direcional no sentido horário, eu garanto que isso vai te ajudar muito nesse jogo, e quem quiser ouvir as músicas do jogo basta fazer o mesmo procedimento da outra dica, mas agora você inverte a direção que for girar. Até mais pessoal!

12 comentários:

  1. Grande Matheus, mandou muuuito bem!!!! Show de bola tua análise, fiquei com água na boca para relembrar esse clássico do Master. Sempre achei muito foda jogar R-Type pela dificuldade extrema que ele apresenta, mas agora me senti mais poderoso pra botar pra quebrar, haha
    Curti o lance do Mega Man, hehehe
    Ah e valeu pelo segredo revelado!

    Veio, só tenho a dizer que você arrebentou na análise, seja bem vindo ao QG e continue enriquecendo o nosso blog!

    Abração,
    Leo S.

    ResponderExcluir
  2. Opa Mateu ^^

    Boa análise cara xD R-Type foi um dos poucos jogos de Master que eu tive o prazer de jogar, pois não tive o console. Gostei muito do seu texto, continue assim e boa sorte ae no auxilio do leo aqui no QG ^^

    ResponderExcluir
  3. fala aí Leo S
    sou dono do blog N64 Brasil,
    tá afim de fazer parceria?

    http://n64brasil.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. nossa!
    as coisas são rápidas por aqui hein?

    muito obrigado pela parceria, amigão
    e boa sorte com o blog o/

    ResponderExcluir
  5. oi meu nome é cris
    eu sempre acompanho o qg gosto muito do master mas dificilmente comento, mas esse jogo marcou minha infnancia pois tinha ele
    gostei muito de ler sobre ele parabens pelo texto matheus =)

    ResponderExcluir
  6. R-Type é um clássico do Master... que até hoje eu não joguei com a devida dedicação! O lance é que eu sou muito "pato" em games de "navinha", apesar de gostar muito de alguns do gênero. Ainda pretendo dar uma chance ao R-Type, pois é um game que visivelmente merece.

    Parabéns ao Matheus pelo texto e boa sorte no seu trabalho no QG Master!

    ResponderExcluir
  7. Eu tinha feito um comentário que seria o primeiro do post, mas deu erro no blogspot ontem à noite e não teve jeito.

    De qualquer maneira, queria comentar que R-Type do Master System é meu shooter favorito dentre todos e, para conseguir terminar na época, precisei da minha ajuda simulando slowmotion no pause do Master... pulei de alegria quando consegui matar o último chefe e ver as outras navezinhas.......

    Parabéns pelo post, Matheus!

    ResponderExcluir
  8. @Leo.S
    É isso aí Leo, a nossa parceria está dando certo, fiquei muito feliz com o resultado dessa análise e que dependendo de nós esse blog vai durar e muito. Conte sempre comigo.

    Valeu Leo por tudo, um abraço.

    ResponderExcluir
  9. @Sabat
    Fala Sabat como vai?
    É uma pena que você não teve uma oportunidade melhor para conhecer o Master, mas creio que esses poucos jogos só foram clássicos né? Muito obrigado pela força e me aguarde porque eu já estou preparando a próxima análise, um abraço.

    @Cris
    Fico muito feliz por ter gostado da minha estréia, realmente eu estava nervoso em qual seria o meu primeiro jogo, mas pelo jeito foi bem aceito e isso é bom, pois isso nos motiva à se dedicar mais e mais, pois percebemos que o que nós estamos fazendo está valendo a pena, por isso muito obrigado, um abraço.

    @André Breder
    Realmente R-Type merece um destaque na listas de bons jogos nesse estilo, e é uma pena ele ser tão difícil, e quem não está tão acostumado com esses tipos de jogos acabam se frustrando mesmo. Eu agradeço muito pela força que vocês estão me dando, e que vou procurar estar sempre melhorando nas análises que vier pela frente, um abração pra você.

    @Eric
    Puxa vida Eric que pena você não ter conseguido ser o primeiro, mas tudo bem eu vou te tratar como um verdadeiro campeão rsrsrs. Brincadeiras à parte, eu imagino a sua emoção quando terminou esse clássico, só é uma pena ele não ter um final merecedor, apesar que eu já terminei jogos mais cabeludos pra chegar lá no final e ver apenas "CONGRATULATIONS" rsrsrs.Um abraço.

    ResponderExcluir
  10. R-Type é um dos jogos de navinha mais legais que já joguei. Nunca vi a versão de Master, mas gostei das imagens. E não sei como é possível terminar isso daí apenas com 3 continues. Eu gasto um 10 em cada parte. Sério.
    ...
    Como madrinha dessa joça aqui venho dar-lhe as Boas Vindas muito atrasadas! Sinta-se em casa!
    ...
    Ouso dizer que o QGMaster atraí os melhores e mais novos talentos da Blogsfera Retrogamer. Parabéns por manter a qualidade dos posts do Léo S. Fiquei impressionado com o nível de sua análise. Parabéns! Arrasô Nem!

    ResponderExcluir
  11. @GLStoque
    Ora ora, mas que prazer ver você aqui nos comentários, e não se preocupe com o atraso, receber Boas Vindas de bons amigos vale a qualquer hora, e olha o quanto eu atrasei pra te responder hehehe, fiquei um pouquinho ocupado essa semana (coisas de escolas você sabe como é que é né hehehe)mas não esqueci do QG Master, e eu já estou preparando a minha próxima análise que provavelmente estará pronto no domingo tá bom? Muito obrigado pelo apoio de vocês, um abraço.

    ResponderExcluir
  12. Este jogo até hoje me fascina! Sou fã de games de nave e ainda tiro um dia a cada mês para jogá-lo. Parabéns pelo Review .

    ResponderExcluir