domingo, 6 de junho de 2010

Master Review - Michael Jackson's Moonwalker (1990)


Fala galera, eu sou Leo S. e trago hoje um review mega, digo, master especial! Pois é, este mês completamos um ano sem Michael e nada mais básico do que fazer uma homenagem ao Rei do Pop aqui. Eu sei que muita gente pensou em usar esse mês pra falar sobre o jogo, mas como fã do homem (é... eu tinha os LP's Thriller e Bad e ouvia-os quase todo dia, rss) e fã do Master System, acaba sendo praticamente uma obrigação postar aqui esse review. E que nosso querido Michael seja eterno em nossos coraçõezinhos retrôs. Boa leitura!


Michael Joseph Jackson

(29/08/1958 à 25/06/2009)

Cantor, compositor, dançarino, ator, produtor e empresário, um verdadeiro showman. Michael começou sua carreira aos 11 anos de idade com o Jackson 5, mas já dançava e se apresentava desde os cinco anos. Em 1971 lançou-se em carreira solo, mesmo ainda participando do grupo. Logo ganhou seu apelido de King of Pop (Rei do Pop) e teve cinco de seus álbuns como mais vendidos mundialmente de todos os tempos, com destaque para Thriller o mais popular e comercializado de toda história fonográfica. E não só a indústria da música ganhou com ele, mas a cinematográfica também, começando pelos seus videoclips com exibições constantes na MTV, transformando os padrões da época. Megaproduções como "Beat It", "Billie Jean", "Bad" e o próprio "Triller" mudaram todo o conceito de apresentação e elevaram o nível de promoção musical. Jackson também se fez notar pelas complexas técnicas de dança, como o estilo Robô (Robot), a inclinação de 45º (The Lean) e o mais famoso de todos, o "Moonwalk" (criado anos antes por Bill Bailey, mas aprimorado e imortalizado por Jackson).


Passo da Lua

O "Moonwalk", que traduzindo seria algo do tipo "Passo da Lua" foi o estopim para o sucesso estrondoso de Michael. Ele o fez pela primeira vez nos palcos durante uma apresentação da música Billie Jean. Na época a Revista Rolling Stone declarou: "Foi aquele o momento que cristalizou o status de celebridade de Michael Jackson". O sucesso foi tanto que o Moonwalk é até hoje associado ao Michael Jackson e não ao seu criador Bill Bailey. A partir daí, MJ se tornou o "Moonwalker".


Moonwalker, o filme
No ano de 1988, Michael "Moonwalker" Jackson estrelou seu primeiro filme musical sob o título de... Moonwalker!!! Dirigido por Jerry Krame e com clipes feitos especialmente para o longa como "Smooth Criminal" e "Leave Me Alone" a superprodução contou com efeitos especiais incríveis para sua época. O filme começa com uma restrospectiva musical de Michael com diversos videoclipes e até algumas paródias como videocilpe Bad com crianças.
Na história Michael e seus amigos (a menina Kate e os garotos Zeke e Sean) descobrem sem querer os planos nefastos do terrível Mr. Big (Joe Pesci) e agora os três moleques correm perigo. Apenas Jackson pode salvá-los do tirano e seus comparsas, usando poderes especiais como se metamorfosear em carro, robô e até uma nave.
Eu tinha uns 10 anos quando assisti esse filme, creio que quando chegou aqui era 1990 e fiquei impressionado. Virou um dos meus preferidos rapidamente. O ponto alto do longa sem dúvida era o clipe de Smooth Criminal, que aliás é o ponto de partida do jogos do Master e do Mega.

Cena do clipe Smooth Criminal

Moonwalker, o jogo
O jogo começa no Cabaré do videoclipe Smooth Criminal. Michael entra no Club 30, rodopia no ar, lança a ficha no Jukebox e pimba: o som começa a tocar e o round se inicia.
A história do jogo é baseada no filme: Mr. Big sequestrou as crianças e pretende por em prática seus planos nefastos de vingança, drogando-os e tornando-os escravos. Apenas Michael com seus poderes pode salvar seus amiguinhos da garra do malvadão. No game, MJ pode chutar, pular, socar (no ar e agachado), usar o chapéu como bumerangue, dançar para hiponitizar os adversários e até fazer o passo Moonwalk (é sério! Basta segurar o botão de chute movendo o personagem no sentido contrário ao que ele se encontra). O objetivo é achar as crianças, ou melhor, os milhões de clones de Kate (a menina do filme) pois são todas iguais, rss. As fases são baseadas nos videoclipes, como o Club 30 (cabaré), as ruas e até o cemitério.

Abertura do jogo

Som na caixa!
A trilha sonora é boa para o padrão 8-bits, todas as músicas lembram fielmente as originais (com exceção da última fase). Na primeira fase por exemplo temos Smooth Criminal rolando no Club 30. Na segunda fase enquanto o bicho pega nas ruas (ou melhor, no estacionamento) ouvimos Beat it e na fase da caverna temos Billie Jean. Ah, e tem Bad na base final do inimigo. Eu só não consegui entender até hoje porque diabos toca Another Part of Me na fase do Cemitério. Pô e Thriller? Temos um cenário de terror, com zumbis como inimigos e até a dança de Thriller no especial... e colocam outra música? Vai entender...

Seria MJ um Autobot?
Dando inveja a qualquer Transformer que se preste, Michael vira robô, carro e até nave. Aliás, toda introdução de fase aparece a transformação dele em um robô que vira um carro que sai em disparada. Nas últimas fases é que vem a transformação pra valer, quando jogamos com os poderes dele.

Dançando conforme a música
Uma preocupação bem legal que os criadores do jogo tiveram foi fazer cada dança conforme a música própria. Por exemplo, quando o especial é com a trilha de Smooth Criminal Michael faz o "The Lean", em Billie Jean ele faz o "Moonwalk" e por aí vaí. Só na fase do cemitério que é estranho, pois a performance é de Thriller apesar de estar tocando Another Part of Me.



Uma ficha pro Jukebox e Start!
O jogo começa totalmente no clima de Alcapone criado pelo videoclipe de Smooth Criminal, com direito a capangas de terno, cabaré, maquinas de fliperama e jukebox. Michael entra no Club 30, joga a ficha e sai pro abraço, digo, sopapo. Logo de início vemos que o Club tem muitas portas e janelas e são nelas que encontramos Kate (do filme), ou seria a Annie (da música)? Talvez o nome dela seja Kate Annie Roberts (Sim, Robert, pq ela gosta de aparecer no jogo inteiro, aff). Enfim, a menininha raptada pelo terrível vilão.


Mas espera um pouco, tem mais de uma Kate Annie? Aparentemente ela foi clonada ou veio de um país onde todas as meninas tem a mesma fuça e a mesma roupa. Porém não é só com ela que isso acontece, os vilões (mafiosos, zumbis, arruaceiros, cachorros e soldados futuristas) parecem ter sido clonados de um único molde, assim como os carros da segunda fase, um amarelo, um vermelho, um amarelo, um vermelho... sempre intercalando, rsrs.


A tela de abertura das fases também são repetidas, sempre com a transformação de MJ em robô/carro como citado anteriormente, assim como a tela final de cada round quando enfrentamos vários inimigos juntos enviados pelo Mr. Big. Sempre vemos o "Sr. Grande" de braços cruzados sorrindo maliciosamente dizendo: "Hahaha, você nunca vai me pegar!"


Pra quem você tira o chapéu?

Começamos o jogo dando chutes apenas. Nada de usar o chapéu até que encontramos uma estatueta laranja do MJ escondida. Voilá: você pode usar um novo poder, o chapéu bumerangue. Você lança ele, detona os inimigos e ele volta pra tua mão. Simples assim.
Essas estatuetas laranjas são únicas na fase. Você volta a chutar a cada fase tendo que reencontrar a estatueta em um dos rounds novamente. Além delas tem estatuetas verdes que aumentam a energia do herói.


Ah e cuidado com esses rottweilers miniaturas do inferno. Pulam que nem pulga vitaminada, e é difícil demais acertar esses filhos de uma cadela.

Cemitério, cavernas e teleportadores
Prepare-se pra cavar tumbas pra procurar a pobre menina. Como se não bastasse isso, você vai procurá-la nas cavernas das aranhas macabras (Lembra do filme? Com as tarântulas e tal?) e vai aprender a se teleportar numa base futurísta. Tudo bem com a cara das aventuras do MJ nos clipes.


Mas é no final que o Mr Big mostra sua cara. Mas você não sai na porrada diretamente com ele não. Pra concluir a missão, MJ se transforma num robô e depois numa nave, tudo para poder enfrentar o vilão de igual pra igual. Mas já vou avisando você vai passar horas e horas pra conseguir concluir o jogo (uma vez que os continues são infinitos).


And "this is it"

Por valores emcionais eu classificaria como excelente pois me lembra demais uma fase incrível da minha vida (esse jogo me marcou muito), mas não estaria sendo justo. Para concluir imparcialmente, posso dizer que Michael Jackson's Moonwalker é um jogo divertido e só. Claro, é inevitável não comentar que pouparam trabalho: um único sprite para os vilões da fase, uma única tela de abertura de round, uma única tela final de round, uma única vitima a ser salva. Porém, compensaram com a trilha sonora e com a leveza dos movimentos de Michael. As danças são sensacionais para o humilde console 8-bits e o level design é muito bem elaborado, assim como os detalhes dos gráficos. Não é um jogo difícil nem complexo, porém na última fase o bicho pega. Tem outras difíceis, como o estacionamento com cachorros e a penúltima fase com o robô, mas nada se compara a última da nave, ah não, essa sim te faz arrancar os cabelos. Devo ressaltar que a jogabilidade é boa. Se você nunca jogou, aproveite agora que é uma data boa para lembrar do Rei do Pop e manda bala.

15 comentários:

  1. Joguei muito o Moonwalker do Master no passado... foi um game que me divertiu bastante!

    ResponderExcluir
  2. Mas que beleza de análise meu caro Leonardo!! Perfeita em todos os sentidos, meus parabéns, dá gosto ler algo tão completo assim!! Michael merece!

    A versão do Master foi a única que consegui terminar NA RAÇA, no Mega o máximo que chego é no maldito cemitério, no chefe dos zumbis, que surgem dois deles que se dividem, impossível passar aquilo!!

    ResponderExcluir
  3. Opa Leo, que matéria boa rapaz XD curti muito mesmo véi!!
    Fãzão do Michael Jáquison aqui maninho, mas confesso que nunca curti os games de master e mega por uma razão simples e óbvia: MOONWALKER ARCADE!
    Pra mim, Moonwalker Arcade é um dos melhores beat'n Ups da história dos fliperamas véi, jogar com 3 Michaels era o clímax, inferior apenas a jogar TMNT de 4 players!! O game era rápido, com jogabilidade espetacular, e a movimentação do Michael durante a partida era muito show cara XD bastava segurar o botão de ataque para o malandro sair no Passo da Lua pra lá e pra cá até que jogássemos a energia acomulada em algum futuro defunto! Os especiais então cara, puts, as danças eram perfeitas!!

    Joguei tanto Moonwalker no fliperama que quando vi a versão de Megadrive... olha, joguei e terminei em uma única alugada, e detestei cara. Tanto que ainda hoje jogo a de arcade no Mame e passo longe dessa XD

    Bela matéria mano, parabéns!!

    ResponderExcluir
  4. Esse jogo é bacana de jogar mesmo, apesar de eu sempre ficar nervoso quando jogo, porque a gente subia todos os degrais da fase aí quando vê ficou faltando uma criança, aí lá vai a gente procurar pelo cenário inteiro de novo hehehe, mas mesmo assim é um bom jogo.
    Gostei muito da sua análise,ficou perfeita. Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. @André Breder
    Fala Breder! Eu também veio, me divertia demais com esse jogo, rsrs.

    @Cosmão
    Valeu!!! Que bom que gostou! Michael merece mesmo!
    Putz, o do Mega é muito foda, o do Master só não é fácil a parte final mesmo!

    @Sabat
    Putz Sabat você me lembrou do MOONWALKER ARCADE, é genial, o melhor sem dúvida. Eu e mais dois amigos zeramos naquela época ainda, torramos as granas em fichas e mais fichas até conseguir a façanha. Fantástico!
    Valeu!!!

    @Matheus
    Fala Matheus! Cara, isso é verdade mesmo, haha, toda vez temos que voltar pra achar a maldita criancinha equecida numa das portas... heheh
    Valeu, abraço!

    ResponderExcluir
  6. Nunca joguei esse jogo do Michal Jackson e o de mega só um pouquinho. Não consegui. Darei um chance a ele no futuro. Gostei muito do post. Parabéns Novamente. Muita coisa boa sobre o Maior Artista do Mundo. Arrasou!

    ResponderExcluir
  7. Valeu Titia!!! Dê uma chance sim, só por conhecer mesmo, pois quem não jogou na época hoje não vai achar tão divertido assim, rss

    ResponderExcluir
  8. Legal a análise, Leo!
    Só uma coisa, a Annie da música é adolescente e não criança.

    ResponderExcluir
  9. Opa,valeu a correção Daniel! Hehe, eu sempre tive essa dúvida da Annie e da Kate... rsrs
    Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Uma coisa que eu achava horrível na versão arcade era que pra atirar o MJ tinha que ficar de costas, um saco!!!

    A do master joguei no meu velho console na época mas não cheguei a zerar, fiquei na 4-2 (caverna)

    A do Mega zerei mas nos emuladores!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A do Master começa a ficar bem dificil na caverna mesmo... As ultimas fases entao e o chefão final é foda demais!
      Mas vale a pena insistir!
      Abração.

      Excluir
  11. Fiz questão de comprar recentemente o Moonwalker do Master pra relembrar! Também achei muito "economico", na fase do Smooth Criminal realmente os bandidos são todos iguais no clip, mas o resto não justifica. E cadê o Thriller?
    Mas isso tudo compensa o game!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida compensa sim, o jogo é demais. Mas que foram economicos foram, rs
      Abraço!

      Excluir
  12. Tenho jogado de novo. Ffoi um sufoco a fase do robô (fico em zig-zag curto no meio pra desviar) e não passo da nave. Essa parte sei lá, destoa o jogo, mas ainda assim é bem gostoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, essa parte do robo e da nave estão fora de todo o contexto mesmo... e é foda demais de passar. Mesmo assim o jogo é muito bom!!! =D

      Excluir