quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Retromorri: afogado enquanto jogava jokenpô para salvar o mundo


Saudações, galera retrogamer!

Antes de mais nada, peço desculpas mais uma vez pela demora em postar no blog...mais uma vez os problemas da vida particular sugando meu tempo livre!

Mas isso não me impediu de participar de mais um divertido meme retrogamer, criado pelo Gabriel do GLStoque! E o tema é um tanto triste e levemente macabro: o dia de finados nos games!

Nós jogadores já enfrentamos a morte diversas vezes, e a verdade é que adoramos fazer isso! Tá certo que tem vezes que dá vontade de tacar o controle na parede quando a Dona Morte nos sacaneia naqueles estágios mais tensos, mas no geral nos divertimos bastante desafiando a indesejada de todo ser vivo.

Assim, vou aproveitar para falar sobre os inimigos e obstáculos que mais me fizeram encontrar com a morte nos games, e momentos bem tensos onde a morte dos personagens mexeram pra valer com os nossos sentimentos.



Morto por mãos inimigas


Depois do Atari, ganhei o Master System, e aí foi só alegria com Alex Kidd e Jogos de Verão! Mas eu era muito pequeno e bastante noob nesse negócio de videogame. Na verdade, era tão noob que eu não conseguia nem sair da primeira fase de Miracle World.

O responsável, por incrível que pareça, é esse sapo aí ao lado. Essa criatura satânica que se faz de durona, aparentemente invencível. Você tenta socar ele uma vez, e nada, três socos e ele continua intacto, sem essboçar uma única reação de dor. E enquanto tento figurar uma forma de vencê-lo, esse maldito sapo solta bolhas que acabam me acertando desprevenido, fazendo com que Alex encontre seu criador.

Confesso que esse cara me deu uma bela dor de cabeça logo no dia de Natal, quando ganhei o Master. Fiquei desesperado e frustrado ao constatar que eu não conseguia sequer passar da primeira fase. No mesmo dia, meu pai me mostrou como eu poderia passar por cima dele, e assim passei a fugir do sapo por algum tempo.

Somente anos depois fui descobrir que era necessário 5 socos para derrubar o sapo. A aparência de durão nada mais era do que sacanagem da SEGA em não programar algo que demonstrasse que os socos estavam fazendo efeito. Mas o mais cômico é ter encontrado a morte diversas vezes nas mãos desse inimigo tão fácil e sem graça.

Mas o que mais me deu um trabalhão para vencer na minha vida retrogamer, foi sem dúvida o Dr. Wily em Mega Man VII. O jogo em si é mamão com açúcar, especialmente quando comparado com os jogos do NES. Mas o pesadelo começa após derrotar a primeira forma do Doutor: uma navezinha pequena que aparece aleatóriamente em diversas posições da tela, e em cada aparição solta ataques elétricos, de gelo e de fogo que consomem muita energia. Para piorar, a nave é super resistente, e os ataques são absurdamente rápidos. A cada derrota, é possível ouvir a Dona Morte gargalhando descontroladamente.

Após muito treino e muitas latinhas de energia, a satisfação de derrotar o velho do capeta não teve preço, mas foram muitos Mega Mans para a cova antes de conseguir este feito.

Armadilhas Fatais


Que atire a pedra quem não matou o pobre encanador em um pulo mal-calculado, ou assistiu seu Mega Man ser destruído por pisar em um espinho. As armadilhas estão por toda a parte para nos atrapalhar, especialmente em jogos de plataforma, onde muitas vezes causam mais mortes do que os próprios inimigos.

Talvez a pior forma de morrer seja afogado, tanto na vida real como no mundo dos games. A música que toca quando Sonic está se afogando é terrível, mantém o jogador tenso e desesperado em busca de uma bolha para sobreviver. Quando a música acaba, ficamos alguns milésimos de segundo em silêncio, até que Sonic cuspa várias bolhas enquanto dá adeus ao mundo.
Para mim, a pior armadilha de afogamento está no quarto estágio de Sparkster, do Super Nintendo. Em um determinado trecho do submarino, a porta se fecha e uma assustadora enxurrada de água começa a encher o recinto onde Sparkster se encontra. Se o jogador não for rápido o suficiente, uma porta de aço se fecha, fazendo com que Sparkster fique preso no compartimento cheio de água e morra afogado. Conseguir driblar a morte nesta fase foi um verdadeiro desafio, e levou muito treino até conseguir dominar o foguete para vencer este estágio.

O triste adeus


Claro que eu não poderia deixar de falar das mortes quando elas fazem parte de um enredo. Os RPGs estão recheados de mortes marcantes, como a do irmão de Alis em Phantasy Star. Mas a pior de todas é a morte em Terranigma, um ótimo jogo para SNES, conhecido por poucos. É um caso onde o desfecho consegue ser pior do que a própria morte. O parágrafo a seguir contém spoilers fortes, então se você pretende jogar, NÃO LEIA!!!!

***** SPOILER ALERT *****

Em Terranigma, temos um mundo inferior, e o mundo da superfície, que equivale ao planeta terra. Controlamos o personagem Ark, um garoto que vive em um vilarejo do mundo inferior. Ark se sente motivado a abrir uma caixa misteriosa, e com isso congela os habitantes de seu vilarejo. O único que sobreviveu ao feitiço, o ancião da aldeia, lhe diz que é preciso enfrentar 5 torres da virtude e assim descongelar os continentes do mundo superior.

Com o decorrer do jogo, Ark vai à superfície, e lá descongela desde a fauna, até os seres vivos. A medida que o jogo passsa, Ark ajuda de diversas maneiras a construir o mundo, seja ajudando Colombo a descobrir a América, ou ajudando Graham Bell a inventar a lâmpada elétrica.

No final do jogo, Ark descobre que o ancião nada mais é do que o próprio capeta, Dark Gaia. Ark foi uma criação de Dark Gaia para dominar o mundo superior, mas como Ark demonstrou ser mais próximo de um herói do que um demônio dominador, Dark Gaia decide destruir o pobre garoto.

No final, Ark se sai vitorioso e consegue selar Dark Gaia, mas há um custo para a sua vitória: por ser uma criação malígna, tanto ele como seus amigos do vilarejo deixarão de existir. Light Gaia, o deus bondoso do jogo, estende sua misericórdia ao herói, permitindo que Ark tenha um dia de vida para aproveitar pela útima vez o seu vilarejo e seus amigos. Terminado o dia, Ark tem o seu último sonho antes de "morrer", onde se torna um pássaro que voa pelos céus do mundo superior, contemplando o mundo que ajudou a construir. 

Terranigma foi o primeiro game que me fez chorar feito criança na frente do emulador. Fiquei muito impressionado com este final que, embora seja bastante genial e criativo, é um tanto injusto. O jogo me envolveu de tal forma que eu estava ansioso e esperançoso para ver Ark retornar à sua querida aldeia e se reunir com seus amigos. Foi muito frustrante ver que suas ações não foram capazes de salvá-lo de seu destino cruel.

Foi uma morte que me marcou demais nos 16-bits, ainda hoje me falta coragem para jogar novamente este game. Mas recomendo mesmo assim, Terranigma é um ótimo RPG de ação da Enix com uma excelente história e ótima jogabilidade. Vale a pena cada minuto, mesmo que o final seja tão triste.

***** FIM DO SPOILER *****


Participantes do Retromorri:

Caso deseje participar, envie o link do seu post para o Gabriel do GLStoque para ser linkado e fazer parte da lista acima.



E por hoje é só, pessoal! E você leitor, qual foi a forma mais comum de perder suas preciosas vidinhas? Qual morte no mundo dos games mais te impressionou? Me deixe saber nos comentários.

Abraços, e até o próximo post! =)

7 comentários:

  1. a morte mais comum, cair de penhascos como mario. e a morte mais impressionante? a morte daquela enfermeira em Silent Hill 1. aquilo foi chocante porque o Harry ficou tão assustado que nem a ajudou e ficou se cagando de medo.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom ouvir que mais alguém não conseguiu passar desse sapo na primeira vez que jogou Alex Kidd. Obrigado por compactuar comigo. Demorei anos para vencer esse bicho. Sério.

    Foda o Mega Man morrer no espinho, né?

    ResponderExcluir
  3. 8-BIT CIRCUS
    http://8bitcircus.wordpress.com/2011/11/02/retromorri/

    GAGÁGAMES
    http://www.gagagames.com.br/?p=30637

    GLStoque
    http://www.glstoque.com.br/2011/11/retromorri-so-nao-matei-ninguem.html

    PIZZA FRITA
    http://pizzafrita.wordpress.com/2011/11/02/retromorri/

    QGMaster
    http://qgmaster.blogspot.com/2011/11/retromorri-afogado-enquanto-jogava.html

    RELÍQUIAS DO M.A.M.E.
    http://reliquiasdomame.wordpress.com/2011/11/02/post-extra-2-meme-do-dia-de-los-muertos-retromorri/

    RETROPLAYERS
    http://www.retroplayers.com.br/2011/retromorri-ceifado-pelo-ceifador-sinistro-e-o-retroperfil-da-morte/

    Atualize-se

    ResponderExcluir
  4. Caramba que final supriendente cara eu tenho no emulador mais ainda não joguei agora fiquei com muita vontade de ver como é .Este post ta demais Adinan continue assim com o ótimo trabalho cara .

    ResponderExcluir
  5. @Leandro" Leon Belmont" Alves the devil summoner
    Um dos meus pecados foi nunca ter jogado um único Silent Hill na minha vida, mas vou ver se corrijo essa falha em breve. E cair nos penhascos com o Mario é clássico, até em Mario Galaxy os buracos me perseguem.

    @GLStoque
    Valew, Gabriel, tá atualizado aqui! =)
    Eu também pensei ter sido o único que teve problemas com o sapo do Alex Kidd. Pelo visto esse sapo do capeta fez muito mais vítimas do que eu poderia imaginar.
    Abraços

    @aki é rock
    Pois é, esse final é na minha opinião um dos melhores em toda a história de RPGs japoneses. E jogue mesmo porque Terranigma é aquele tipo de jogo que ninguém conhece mas que todo mundo deveria jogar. As experiências que o game proporciona não têm preço. Recomendo fortemente!
    E fico feliz que tenha curtido o post! Abração!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, o maldito sapo do Alex Kidd. Eu lembro da primeira vez que o vi, soquei ele desesperadamente até ele desaparecer, mas nisso eu devo ter perdido algumas vidas. Boas lembranças.
    E bem lembrado também a morte por afogamento do Sonic. É impossível ouvir a música e não ficar tenso, muitas vezes cometendo bobagens que não seriam cometidas se fosse uma situação 'normal'.
    Curiosamente, no meu post do Retromorri falei sobre a morte do Nero, irmão da Alis, que vc citou aqui também. Foi algo marcante pra mim. Pra fechar, nunca joguei o Terranigma, mas li o post inteiro (inclusive o spoiler). Caceta, surpreendente mesmo esse final. Pela história o jogo parece ser bem interessante, esse final é algo realmente marcante. Pobre Ark, destino cruel. Mas importante é que ele conseguiu concluir sua missão.
    Gostei bastante do post.

    ResponderExcluir
  7. Nossa que final triste para o personagem Akr,realmente algumas cenas dos games nos proporcionam este tipo de sentimento,pena que nos dias de hoje só se fala em gráficos e jogos com uma história patética..

    ResponderExcluir