sábado, 24 de dezembro de 2011

Meu natal com um Master System II


Saudações, galera!

Eu deveria estar terminando o post do próximo Master Catálogo, mas como o natal está aí, nada mais justo do que um post sobre essa data especial e nostálgica.

Hoje em dia não tenho mais o mesmo apego que eu tinha quando pequeno. Me divertia de montão durante o mês de Dezembro, curtindo desde a montagem da árvore até a entrega dos presentes. Era tudo muito gostoso, e quando eu acreditava em Papai Noel, o natal era ainda mais especial.

Para não passar em branco esta semana, resolvi contar um pouco sobre o natal onde ganhei o meu Master System. Logo após o break, vou contar resumidamente (até porque já contei essa história no meu antigo blog) sobre como ganhei o Master System, e como foi o dia de natal ao lado desse maravilhoso console.



Oh my God! Master System TWWOOOOOOO

Vocês devem se lembrar do Meme do primeiro console que tirou nossa virgindade gamística. Eu comecei com o Atari 2600, e joguei como um louco aquele console. Mas acabei ganhando o Atari de forma tardia, quando os clones de Nintendinho e o Master System já dominavam o mercado, e o Mega Drive estava dando seus primeiros passos.

Com um conhecimento maior do mundo dos games, e com as saudosas revistas Ação Games e Videogame apresentando jogão atrás de jogão, não demorou muito para que eu quisesse um console novo. Depois de pesquisar, e vendo os ótimos comerciais da Tec Toy na TV, resolvi pedir o Master System no dia das crianças.

Meus pais não puderam me dar o console naquele dia, pois a grana tava curta. Fiquei bastante triste, mas lembrei que tinha um bom velhinho que todo natal encontrava uma forma de invadir nossas casas e deixar aqueles maravilhosos presentes escritos na cartinha. Assim, com a fé na existência do Papai Noel, respondi aos meus pais que não tinha problema, era só pedir pro Papai Noel, assim meu pai não precisaria gastar dinheiro. Foi o suficiente para que eles decidissem me presentear com um Master no natal.


E assim, à meia noite do dia 25/12/1991, abri o meu presente, e lá estava aquela caixa branca com detalhes quadriculados, o símbolo da Tec Toy e o Alex Kidd versão M.A.D. dando um tapa no letreiro do Master System II. Além do Alex Kidd na memória, ganhei o cartucho dos Jogos de Verão (California Games) e a pistola Light Phaser. Não poderia estar mais feliz naquele momento!

In the Miracle World


Meu pai instalou o console naquela mesma noite, e aí fui direto jogar Alex Kidd in Miracle World. Para um jogador de Atari, aquilo era o paraíso! A música de fundo, o cenário colorido, o letreiro do título piscando, e um mundo vivo e divertido com blocos para socar, itens mágicos e veículos...era tudo muito legal!
Mas pude curtir apenas alguns minutinhos, pois já era tarde e havia passado da hora de dormir. Fui pra cama mas com aquela ansiedade louca de continuar a aventura.

No dia seguinte, acordei lá pelas 10:00 e fui correndo ligar o console. Acabei ficando preso na primeira fase graças ao maldito sapo que me impedia de progredir. Depois meu pai acordou e me ajudou a passar daquele sapo do capeta, e a partir dali dei um passeio de moto, disputei minha primeira partida de jokenpô, nadei desviando de polvos e consegui até o helicóptero antes da tela de game over aparecer.

Depois da aventura, decidi enfrentar os jogos de verão, e fiquei encantado com aquilo tudo. Os jogos eram bem complexos, exigindo o manual para executar algumas manobras, e dava até pra jogar com mais pessoas, o que rendeu muitas tardes de diversão com a minha irmã e amigos.


E falando nos manuais, adorava (ainda hoje eu gosto) ficar lendo os manuais dos jogos, e até os do próprio console. Meu predileto era o manual do Alex Kidd, que tinha o enredo e a descrição dos personagens. Eu ficava imaginando como seria a batalha final contra o Janken, e como seria legal encontrar um dos castelos.

Foi um natal muito divertido! Passei horas e horas grudado na tv suando aquele joystick preto. Para um jogador de Atari 2600, aquilo era o paraíso gamer! A partir dali, passei a frequentar locadoras, a comprar mais revistas de games, pegar dicas, trocar cartuchos com os amigos, enfim... entrei de fato no mundo dos games, de onde nunca saí.

Nos anos seguintes

Como eu disse, natal sempre foi data para ganhar algum jogo ou console novo. Em 1992 pedi um cartucho do Strider, mas minha mãe me convenceu que não valia a pena ter cartuchos já que eu poderia enjoar deles. O argumento é falho e consegui quebrá-lo depois com o Super Nintendo, mas agradeço a minha mãe porque depois disso aluguei Strider e percebi que a versão do Master System é uma bela merda.

Em 1993, estava disposto a seguir para o next level com o Mega Drive, mas uma campanha forte da Playtronic me pegou de surpresa: Por uma semana inteira, uma propaganda dizia que no intervalo do Fantástico revelariam a mais nova revolução no mundo dos videogames.

Assisti o primeiro bloco inteirinho do Fantástico, esperando pela bendita revolução. Quando começou, fui bombardeado por várias imagens de jogos do Super Nintendo, exibindo o Mode7 e o FX em toda a sua glória. Ao final da propaganda, me tornei Nintendista e pedi um Super Nintendo naquele ano. Meus pais disseram que não poderiam me dar aquele console, mas era tudo uma surpresa.

No natal daquele ano, o SNES estava lá debaixo da árvore, para que eu sentisse a mesma alegria que tive ao ganhar o meu Master System. Foi mais um natal épico ao lado de um bom videogame.

Hoje

Depois disso, o último console que eu ganhei foi o Nintendo DS, importado dos States pela minha tia. Com o suor do meu trabalho, comprei o Wii, o PS2, o Mega Drive 3, e o iPad2 que a nora dessa mesma tia trouxe dos States para mim (sem chance de comprar produtos da Apple por aqui).

Mas por mais que eu batalhe e consiga comprar um console que eu queira, nunca será a mesma sensação que eu tive quando abri o embrulho e vi o Alex Kidd dando tapa na caixa, ou quando pensei que não ganharia o Super Nintendo e ele estava lá, me esperando debaixo da árvore de natal.

São essas, e outras lembranças, que fazem do natal uma data tão especial e nostálgica para mim, e acredito que para muitos gamers. Ainda sou apaixonado pelo Master System e pelo Super Nintendo, são sistemas inesquecíveis que me deram alegrias antes mesmo de saírem de suas caixas.


Para encerrar, desejo à todos um feliz natal e um ótimo ano novo, recheados de bençãos, de paz, saúde, felicidade e muito retrogaming!

Aproveite os comentários e conte como foi a sua experiência com games e natal, quais consoles você ganhou e suas melhores lembranças.

Quer colaborar para o QG Master?

Aproveito também para perguntar à vocês leitores: há interesse em fazer parte da equipe de colaboradores do QG Master? Se houver, escrevam nos comentários ou no email do blog. Estamos pensando em recrutar mais membros, mas antes de abrir um processo de seleção preciso conferir se há interesse.

Abraços, boas festas e um feliz 2012!
E até o próximo post!

10 comentários:

  1. muito massa esse natal eu comprei o donkey kong 3 star fox e earthworn jim 2 e o actraiser

    ResponderExcluir
  2. Cara, eu lembro que em 97 já tinha descoberto ser um retrogamer quando pedi a minha mãe um Master system, que eu já tinha tido mas o povo dôo depois que o snes chegou. Só que eu nao falei Master system, meus pais nao saberiam o que era aquilo, eu falei, aquele videogame preto da sega que tem o jogo do sonic. Eis que chega o Natal, vejo aquela caixa enorme e penso, meu Precioso, mas ao retirar a embalagem, eis a surpresa maior... Era um sega saturn... Fiquei louco. Pena que eu demorei 3 dias para jogar, pois nao sabia do esquema do cabo av( menino criado com cabo rf e controle da televisão estragado).

    ResponderExcluir
  3. Sua história é parecida com minha, também ganhei meu Master System 2 no dia das crianças (1992) foi uma das datas mais felizes que eu me lembro, fiquei super contente com o presente, uma época boa sem preocupações, minha anciedade era de alugar os jogos na locadora, pois na época não tinha grana pra comprar as fitas e chegar até o fim (salvar), adorava double dragon, shinobi etc... velhos tempos..rsrsr muita saudade!
    Sempre leio seu blog, não deixe de postar essa materias, são muito boas e me faz lembrar da minha ótima adolescência, hoje estou nos 32 e não largo meu Xbox360 e meu PSP por nada..rsrs muita coisa mudou..rsrsr!
    Abs!

    ResponderExcluir
  4. Um amigo me mostrou o folheto dos jogos do Master System. Até então eu tinha um MSX, e nem sabia que o Master existia. Pirei totalmente.

    Levei o folheto para casa e, no dia seguinte, de manhã cedo, fui acordar meu pai. Eu fiquei lá, "paaaaai, paaaaaai, acoooorda"! Ele acordou meio zonzo e eu disse "paaaai, olha que legal! Eu quero! Eu quero!"

    Para a minha surpresa ele disse "onde vende isso, será que tem na Casa & Vídeo"? E saímos na mesma manhã para comprar o console!!!

    Foi um caso único lá em casa, até hoje não entendo direito como aconteceu. Eu sempre ficava meses pedindo os consoles que queria até ganhar, mas com o Master foi instantâneo!

    Comprei com Altered Beast, e joguei muito, li e reli o manual quinhentas vezes, decorei o nome de todas as criaturas... enfim, só alegria. Sem dúvida hoje não tem o mesmo sabor comprar um console.

    ResponderExcluir
  5. Cara, seu blog é uma viagem ao meu passado gamístico, sempre que leio coisas suas relacionadas ao Master System acabo enxergando muita coisa que vivi e essa matéria sobre o Natal com o Master System é mais uma delas!!

    É incrível, mesmo com tantas novidades atualmente no que diz respeito à games, acho que nunca vou sentir emoção gamística maior de quando ganhei meu Master System, meu Mega Drive e meu Sega Saturn. Só por isso eu agradeço à Sega por fazer consoles tão atemporais!

    ResponderExcluir
  6. Impressionante como o Master System marcou uma geração inteira de crianças brasileiras...crianças essas que hj já estão na casa dos 30..rs
    Bom, o meu master ganhei em julho de 1992 na época do meu aniversário...minha história:
    Queria por que queria o....Mega Drive!! Ficava pirado com as propagandas do Castle of illusion e Sonic na TV, babava mesmo...
    Um belo dia fomos eu e minha mãe na Mesbla (lembram-se?)...mas o Mega era CARÍSSIMO, rs...minha mae queria me empurrar o Turbo Game da CCE, mas tava traumatizado com o Supergame (clone do Atari)
    Tinha um master liberado pra jogar, e qual era o jogo? Alex....fiquei hipnotizado, rs...
    Joguei Alex Kidd por horas seguidas nos meses subsequentes.
    Meu master veio na promoção que tinha ainda: Columns, Out Run 3D e obviamento o Óculos 3D..e ainda de brinde o rapid fire!rs
    forte abraço.

    ResponderExcluir
  7. Emocionante Adinan, me fez lembrar quando ganhei o meu Master System (o 1, com safari hunter e hang-on). Bons tempos, recordo que no primeiro Natal ganhei Great Basketball. Adorava aquele joguinho super simples. Abração!

    ResponderExcluir
  8. Valeu pelos comentários, galera!!!

    @Guilherme
    Caramba, pediu Master e recebeu Saturn? Aí sim!

    @JCT
    Opa, valeu! Em breve postarei mais histórias, adoro relembrar e compartilhar bons momentos de nostalgia! :)

    @Gagá
    Queria que meu pai tivesse momentos assim na época rsrsrs. Meu pai sempre foi bem metódico, presentes só nas datas especiais. Assim tinha que esperar níver, dia das crianças ou natal para pedir alguma coisa, mas era muito bom encontrar um game novo debaixo da árvore de natal, tinha um gostinho especial!

    @Cosmão
    Realmente, a SEGA pode ter cometido muitas falhas, mas seus consoles nunca envelhecem, e disso ela pode se gabar! Quem sabe um dia eu tomo coragem e compro um Saturn pra mim.

    Mastermaníaco
    Tudobem que vc não ganhou o Mega, mas ter Master com óculos 3D é um belo feito! Como eu queria ter os óculos na época! E bacana ver que o Alex Kidd Te conquistou na época, isso prova que o antigo mascote da SEGA era sim bastante carismático! Abraços

    @Leo S.
    Cara eu curtia essa série Great Sports do Master, meu favorito era o Great Volei, achava demais aquele jogo! Para mim era bem realista, e a jogabilidade era bem simples mas muito viciante!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Eu passei por uma coisa parecida como a história do Guilherme, meus parentes compraram um Saturn de presente pra mim e pro meu irmão, na época eu não sabia muita coisa de games, mas pra quem tava acostumado com os gráficos de Mega Drive e Super Nintendo o Saturn era uma perfeição, confesso que até passei um dia sem dormir porque fiquei com medo do pôster do The House of Dead que veio junto, aquilo era assustador hahaha. O Saturn sempre será um console especial pra mim, foram bons momentos jogando World Wide Soccer 97, Megaman X4, Resident Evil (morria de medo na época hahaha) e Street Fighter Alpha.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Aaahhhh, que post nostálgico. Não me perdôo por demorar tanto para o ler.
    A primeira vez que vi o maldito sapo no Alex Kidd in Miracle World eu entrei em pânico e tive dificuldades para passá-lo também.
    E nãoooooooooo, que heresiaaaaa, vc preferiu o SNES!!!!! hahaha... tô brincando, mas na época eu provavelmente diria isso, mesmo que quisesse ter ele e o Mega em casa (acabei ficando com o segundo, obviamente por questões financeiras).
    Ótimo post, que legal que vc guarda muito bem essas memórias dessa época mágica chamada infância, ainda mais com todas essas ligações com os games.
    Eu até hoje não me recordo em qual época comemorativa ganhei o meu Master, fico na dúvida entre aniversário e dia das crianças. Mas acho que foi em 90 ou 91. Bons tempos.

    ResponderExcluir