domingo, 29 de janeiro de 2012

Diário de Bordo - Phantasy Star (parte 1)


Saudações amigos! 
A partir de hoje teremos uma nova seção aqui no QG Master: o Master Diário de Bordo. A ideia nasceu numa conversa que tive com meu amigo Marcel do Na Praia4, logo após ter recebido seu presente (o cartucho de Phantasy Star), que ele gentilmente doou assim que readquiri um console do Master System. Valeu mesmo brother! E gostaria de deixar também um agradecimento ao meu amigo @zerique. Digamos que, sem ele não seria possível jogar Phantasy Star no console.

O Diário de Bordo
Bom, desde que me conheço por gente na blogsfera retrogamer, diários de bordo são extensos e difíceis de se fazer, por isso são divididos em partes. Este não será diferente. Porém, a minha dificuldade aqui é outra: as imagens da aventura. Como pretendo viajar pelo sistema Algol a bordo do meu console favorito e não pelo emulador, não sei como capturar as imagens. Portanto, vou tentar não deixar o post cansativo e massante, usando imagens de outros na internet. Isso se achar, mas não prometo nada, ok? Bom, mas se você não aguentar o baque, pula pra outro post e abandona o navio. Covardão! =D


Phantasy Star
Se o que você procura é um guia para terminar o jogo, então é melhor visitar a Gazeta de Algol. Lá tem tudo o que você precisa para detonar em Phantasy Star: mapas, guias, macetes, histórias, tabelas de níveis e monstros. É o site sobre a série mais completo que pode existir, comandado pelo mestre Orákio Rob, o Gagá.


A pergunta que não quer calar
Mas então, se já existe um site falando tudo sobre o jogo, inclusive com um Diário de Bordo do próprio Gagá, por que diabos eu vou fazer um diário sobre esse mesmo jogo?
Primeiro, porque eu quero!
Segundo, porque eu amo esse jogo.
E finalmente, em terceiro lugar, porque nunca conseguir zerar ele jogando na raça no próprio console, eu só terminei Phantasy Star usando o Gazeta de Algol como guia e só no emulador. Agora é a minha grande chance de fazer por merecer. Vamos detonar essa bagaça suando pra valer.
Que São Gagá nos projeta!


Bora pra aventura?

Parte 1 - O início

Munido apenas do meu joystick, um caderno e um lápis (jogar PS sem anotar tudo que é informação é burrice) dou inicio a aventura mais alucinante da minha vida controlando uma linda e frágil mocinha. Então lembro de suas palavras antes de começar o jogo e a promessa de Alis me enche de coragem.

"Tenho certeza que meu irmão não morreu em vão! Proteja-me Nero!"


Começo então fazendo o que todo mundo já sabe quando joga Phantasy Star, corro atrás de boas lutas para ganhar experiência e deixar Alis mais forte para enfrentar o mundão. Antes de sair pro primeiro quebra, passo no primeiro labirinto do jogo, que fica do lado direito da casa de Alis para pegar minhas 50 mesetas no baú. Em seguida vou buscar o pote laconiano com Nekise à oeste de Camineet.


Com din din no bolso e o pote na mochila, levei minha linda protagonista pro fervo matar uns bernes gigantes (SWORM). O plano é bom, mas o problema é que sempre tropeçava num zoiudinho da mamãe voador (OWL BEAR) e morria antes de conseguir voltar pra descansar. E dá-lhe voltar, matar, salvar e morrer. Fiquei assim por uns 15 minutos no mínimo, até que consegui aumentar bem meu nível de experiência. Daí em diante toquei o terror nos monstrengos.


Com algumas mesetas sobrando, comprei uma espada melhor (F), um manto, um tapete e uma lanterna. Fui até a cidade portuária comprar o passe (lembra disso? você tenta comprar o secreto, não consegue, então insiste e depois insiste de novo). Com o passe em mãos corri pro espaçoporto de Palma e comprei o passaporte. Até aqui lembrava perfeitamente tudo o que tinha fazer. Mas fui anotando as informações no meu caderno.


Chegando em Paseo (Motavia), fui em uma das lojas onde um cara oferece um animal raro por um bilhão de mesetas, como eu não tinha, fiz o de praxe, troquei o pote laconiano pelo bichano.
Com isso pude ter a companhia de Myau que disse poder salvar Odin com a poção no vidro que ele carregava em sua coleira. Como ele não consegue abrir a tampa e Alis está à procura dele, é selada uma parceria para resgatar Odin.



To be continued...
(Tem mais em breve meu fio, guenta mão...)

30 comentários:

  1. Eae Boss!

    Poxa, desse jeito vou ter de dar uma nova chance ao Phantasy Star!

    Tentei varias vezes joga-lo depois que conheci o Gagá Games e lí as analises acerca do titulo, mas putz!

    Nunca conseguir me motivar a jogar pra valer, mas com toda essa demonstração de amor ao titulo e o seu diario de bordo feito na raça, quem sabe eu não dou uma nova chance! hahahah!

    O diario esta show de bola cara e com toda a certeza do mundo eu vou acompanha-lo nessa jornada! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha aproveita o embalo e começa a jogar junto... quem sabe assim não fica mais motivado, rs.
      valeu parceiro, abração!

      Excluir
  2. São Gagá nos proteja, huahauaha. Essa foi ótima!

    Cara sério? Você nunca zerou no cartucho? PS eu zerei uma vez no cartucho, outra no emulador (pc de mesa) e uma vez emulei no Palm (eu tenho um T|X até hoje) e fui bem longe mas não terminei. Pretendo zerar esse jogo de novo mas só se for um remake em outro console. Esse foi a primeira grande aventura que eu vivi com um game (RPG principalmente). Lembro que tinha um Guia Games (que eu tenho o arquivo em PDF) com todos os mapas, e mesmo assim foram semanas pois algumas partes em Dezori eram bem complicadas e eu tinha que fazer muito nível.

    Acho que esse vai ser o Diário mais fiel possível já que você vai contar a aventura com o console, olhando pra tv... Nossa, há quanto tempo não sei o que é isso...

    Um abraço e boa sorte parceiro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha massa, São Gagá tem poderes!

      Sério veio, nunca zerei no cartucho. Essa é a minha grande chance! Espero mandar bem nessa aventura. Vamo que vamo!
      Abração parceiro!

      Excluir
  3. Terminar esse jogo na raça, sem os mapas dos labirintos é tortura hein, ou os mapas você vai consultar?
    Ah, adorei o são gagá, kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é meu amigo... penso sim. Por isso estou jogando com um caderno e um lapis, pra ir anotando as informações e desenhando os mapas.
      Não vai ser fácil, mas vai valer a pena. Abração!

      Excluir
  4. gostei do são Gagá, QG. hahahahah. e vou acompanhar o seu detonado aí. e zerar pela terceira vez. lol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, são Gagá é foda né? precisamos da benção dele!
      Vamo junto, detonar essa bagaça, heheh
      Abração!

      Excluir
  5. Cara, mesmo conhecendo esse jogo de trás pra frente, sou obrigado a acompanhar o Diário de Bordo. Até pq é sempre bom relembrar a história e tudo mais. Seus motivos pra criar o diário são bem plausíveis, especialmente encarar o jogo no console na raça dessa vez. Saber disso deixou as coisas mais interessantes. :)
    Engraçado no começo do jogo ter que ficar evitando as árvores no mapa pq aparecem inimigos mais fortes do que a Alis aguenta em nível baixo. O lance do "secreto" na infância eu só soube pq um amigo me contou na escola, senão eu talvez teria desistido do jogo e odiaria RPG hj em dia (ainda bem que ele disse).
    A curiosidade que eu li em algum lugar (acho que no próprio Gagá Games), talvez vc saiba: é impossível juntar 1 bilhão de mesetas por causa da limitação do jogo.
    E eu sempre achei o Odin estúpido por deixar o líquido em um frasco que seu companheiro, um gato, não consegue abrir. P****, Odin! Se toca! huahauhauauhahu... OK, só estou zuando.
    Muito legal, aguardo cenas do próximo capítulo.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Caduco! Então veio, o lance do secreto eu lembro de ter visto numa revista da época. Aliás, o que acaba sendo sacanagem na aventura é a quantidade de informação que eu já tenho armazenada na cachola... isso tira um pouco a graça.
      Como já terminei o jogo uma vez, muita coisa eu nem preciso descobrir. Mas o legal é que muuuuita coisa eu nem lembro, então vou ter que quebrar a cabeça pra redescobrir.
      Esse lance do 1 bilhão eu lembrei agora que vc falou, acho que já tinha visto numa revista velha tb... rs
      haha e o Odin é mesmo uma porta, puta cara burro, uhahuhaua
      Abração!

      Excluir
    2. Fala Gamer, beleza?

      Engraçado você comentar isso. Mas é verdade mesmo. No começo passar perto de uma árvore é quase certeza de morte. Pior ainda descer um pouco mais e se aproximar da floresta o morcego (Were Bat) também pode aparecer e ele é um aço no começo do jogo.

      Phantasy Star é assim mesmo. Um jogo simples e cheio de segredinhos... Muita coisa descobri por amigos ou revistas pq sozinho acho que nunca conseguiria tb...

      Um abraço

      Excluir
    3. Sem dúvidas o Were Bat é um problemão. Vai ver que é pq ele usa o ataque do Sonic (ou vice-versa)... haha!
      Mas sério, ele é bem complicado no começo, mas depois acaba se tornando uma das melhores opções pra juntar umas Mesetas e ganhar um pouco de XP pra prosseguir na aventura.
      Isso ae!
      Abs

      Excluir
  6. Excelente post, Leo! São Gagá foi ótima rsrsrs

    Gostei muito do primeiro capítulo deste diário, dá uma vontade louca de acompanhar jogando também. Mas ainda tem uns RPGs que prometi a mim mesmo zerar, então vou apenas acompanhar suas aventuras. =)

    Eu infelizmente nunca zerei Phantasy Star, chegava longe mas de repente tinha minha atenção voltada para outra coisa e acabava me esquecendo do jogo. Mas assim que eu puder quero me dedicar a zerar este clássico.

    Abração e tenha uma ótima aventura!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu parceiro!!! hahah São Gagá nos salva!
      Poxa, então se nunca zerou join us!!! Vamo nessa veio! hahaha, abração!

      Excluir
  7. Acho que vou pedir pro São Gagá me proteger também ahuahuaha. Gostei tanto da ideia do diário que vou ver se acompanho, o problema é que eu to igual o Adinan, enfiado num monte de RPGs. Mas tudo bem, sempre tem espaço pra mais um não é mesmo? hehehe
    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Matheus!!! Vem junto, hahah abração!

      Excluir
  8. Da mesma forma como sempre venho aqui fazer um comentário dando um elogio, hoje vou fazer uma crítica.

    Até tu, Leo S, meu blogueiro! xD

    Cara, se tem uma pessoa que não curte esses Diários de Bordo sou eu. Tipo, vários blogs fazem, e é sempre a mesma coisa! Eu, meio que sei lá, não acho graça, acho isso tudo meio igual, repetitivo. Eu nem leio esses diários, pra falar a verdade eu pulo eles nas postagens dos blogs, leio as outras coisas. Eu até estou sem acessar o Gagá Games até ele voltar com as postagens normais, porque esses diários não dá pra aguentar. É tipo aquele "Ai Se Eu Te Pego": Tá em todo lugar e é sempre a mesma coisa!

    Mas é só minha opinião né Léo e equipe Master, nada contra. Tem bastante gente que gosta, portanto fiquem à vontade para fazer. Só que é um tipo de postagem que eu pessoalmente vou pular, e que eu estava até contente que o QG não tinha disso até agora.

    De qualquer modo, boa sorte pra vocês com o diário, espero que ele dê certo aqui no QG. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha ta certo willi, entendo sua revolta!
      fica sussa que em paralelo com o diario teremos outros posts que vc pode gostar mais, como os de costume que vc ja acompanha.
      Forte abraço!

      Excluir
  9. Que bacana, um diário de Phantasy Star, vou acompanhar com certeza, bem porque estou rejogando essa obra prima também, mas na coletânea pra X360, Sonic's Ultimate Collection.

    Parei assim que consegui o Noah naquela caverna maldita... até agora não precisei fazer mapas, consegui me virar bem, mas acredito que na caverna da medusa eu to lascado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Cosmão!
      Cara, sem duvida, no começo da pra se virar, mas depois os mapas vao ficando necessarios, principalmente no forte (Baya Malay) ali o bixo pega!!!
      Abração!

      Excluir
  10. Poxa, excelente! acabei de descobrir teu blog e logo com material sobre Phantasy Star. O SMS é um console maravilhoso e, infelizmente, díficil de achar blogs especializados nele. Curti demais a proposta. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou do blog Luiz, fica a vontade pra visitar sempre! =D
      Abração!

      Excluir
  11. Foi mal a demora! Tava afogado de serviço, e ainda fiz um curso intensivíssimo nos últimos dias, minha vida tava uma loucura total. Inclusive, é justamente por isso que estou repostando o diário de Panzer Dragoon Saga que tinha feito no GameBlog, é para encher linguiça mesmo enquanto não volto a postar :P Fique tranquilo, Willi, he he...

    Adorei o São Gagá! E ele é duplamente herético, porque para completar eu sou ateu ^_^ Posso afanar essa imagem e usar no Gagá Games? Adorei!

    Vou ler já as próximas partes do diário! Tô doido para ver você penando na Torre da Medusa... tá jogando sem mapas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha, pode afanar, a imagem é sua, use a vontade ;)
      Preciso retomar a aventura, to jogando sem mapas, suando pra valer.
      Valeu Gagá!!
      Abração!!!

      Excluir
  12. Cara, to adorando o diário.
    PS vergonhosamente, faz parte da minha "amnésia gamística" não lembro mais nada. Nunca procurei dica em manual, tudo quebrei a cuca pra fazer. Embora ele serviu e muito de inspiração do "Devaneio de Rute": A Rute não é a Alis, outra pessoa no livro foi inspirada nela... há uma medusa num labirinto e outras coisas, mas nenhuma cópia. hehehe.

    Aprendi na tentativa e erro o lance dos monstros mais fortes nas árvores. Ri muito quando lembro o primeiro jogo: assim que passei de nível veio um vampirão mais forte e me matou! hheeheehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, fiquei bem curioso pra saber quem é a personagem baseada na Alis... =D
      É, esse jogo é bem isso mesmo, tentativas e erros, um atras do outro, até q finalmente a gente entende...
      Abração!!!

      Excluir
    2. A alis, o visual dela me inspirou a fazer uma heroína de nome Beth, cantora que usa mesma roupa, embora seja mais morena. Mas o irmão dela nada tem de Nero, é um dos vilões! A paisagem de Palma me injspirou muito pra descrever as primeiras paisagens de Mnesis, meu reino imaginário. hehehehe
      Abração!!!

      Excluir
  13. Alguém sabe qual comando devo usar para acessar os mapas dos planetas durante o jogo?

    ResponderExcluir