segunda-feira, 2 de abril de 2012

Diário de Bordo - Phantasy Star (parte 4)

Depois de muito tempo, eu, Leo S. Primeiro, consegui retornar para o sistema Algol e prosseguir com a nossa aventura. E galera, tenho que confessar: agora o bicho tá pegando! Se quiser ler os diários anteriores clica nos links:
Diário PS parte 1
Diário PS parte 2
Diário PS parte 3

Se já leu, beleza, clica em continuar e vamos conferir a parte 4.
Parte 4 - Meu jatinho particular

Com a bela dica do meu amigo Cadu, do Gamer Caduco, comprei uma lâmpada mágica e voltei para convocar o mago pra trupe. Aproveitei-me também de uma dica do bom e velho Gagá (dispensa apresentações) e entrei numa passagem secreta na própria caverna Naharu, e peguei 2.000 mesetas. Mas tenho que admitir, tive que invocar São Gagá, através da Gazeta de Algol, para descobrir onde ficava essa passagem secreta, porque na raça não ia achar nunca.

2.000 mesetas de presente! Viva o Gagá!

Com Noah na equipe, fui orientado pelo próprio para ir até a cidade de Gothic procurar o Dr. Luveno. Mas para chegar lá, teríamos que atravessar pelo bueiro do aeroporto espacial. Fui e no caminho encontrei um cara mala que não me deu trela, disse que tava ocupado. Deixei ele no bueiro e segui em frente.

Noah: "Laraga de nojinho senhorita Landale, tampe o nariz e entra nesse bueiro!"

Como Dr. Luveno não estava em casa, sai de Gothic para resgatar o cara. Apanhei que nem um cachorro até achar seu paradeiro. Ele estava numa espécie de prisão. Entrei e passei pelo labirinto sem problemas até que encontrei o Doc Luve (sim, ficamos íntimos).
Aqui, valeu a lembrança das jogatinas anteriores: o véio não queria ajudar de prima, mas nada do que insistir umas duas a três vezes (como é feito quando vamos comprar o passaporte logo no início) e ele cedeu à aporrinhação.

Esse é Doc Brown, irmão do Doc Luve.

Voltei à Gothic sem lembrar o que tinha que ser feito. Dei umas voltas pelas redondezas e nada. Fui até Camineet para restaurar as forças e no caminho pelo bueiro lembrei do maleta que ficava lá. Resolvi dar uma visitada pra ver se seria mais educado dessa vez e foi aí que me liguei: ele é o assistente do Dr. Luveno. Quando soube que o Doc tava livre, resolveu ajudar.

O maleta do assistente do doutor Luveno resolve sair do bueiro e ajudar.

Restaurei as forças e voltei à Gothic decidido a conversar com Luveno e ver qualé que é. Qual não foi minha surpresa quando o malandro me pediu uma quantia "insignificante" de 1.200 mesetas? Ah, se não fosse o São Gagá e as 2.000 mesetas! Paguei-o-ô! E a partir daí o bicho pegou... pois até eu me lembrar onde ficava o Robô (Hapsby) que pilotaria a nave eu suei. E vaguei, vaguei e vaguei por horas a fio, enfrentando monstros e mais monstros sem me recordar o que fazer. Até que resolvi dar a volta pelas montanhas e chegar do outro lado pra investigar.

Véi... de boa véi, vamos ter que atravessar isso!!??

Vi uma parte do mapa com muita lama e resolvi atravessar. Só quando pisei nela que me lembrei que não era lama, mas lava, que queimou a galera toda, mas pensei "foda-se, agora vou em frente!"
Salvei o jogo e entrei na lava. E ainda bem que salvei antes de entrar pois morri enfrentando uns Marmans difíceis bagarai. Voltei a passar por lá até que consegui chegar do outro lado e encontrei o ferro velho. Mas faltava o Polymeteral para ressucitar Hapsby (eu lembro bem dessa parte de quando jogava antes, essa maldita poção para reconstruir o robô).

Conheçam o terrível Marman.

Daí ficou fácil deduzir o que fazer, tinha que ir buscar o elemento citado em algum canto de Palma. Sai de Bortevo (a vila do ferro-velho) e entrei na caverna acima dela. Chegando na ilha a noroeste de Palma, explorei o caminho pelo litoral e cheguei à Loar. Consultei todos os moradores da vila a procura do Polymeteral. Nada. Prossegui com meu caminho, dando a volta na ilha e cheguei à Albion. Conversei com a galera e numa casa que vendia alimentos achei o que procurava! Mas o preço salgado me assustou, precisava de 1.650 mesetas. Tive que dar meia volta e sair da cidade matando tudo que é monstro. Demorei um pouco, mas consegui.
Bem fedido esse tal de Polymeteral.

Quando voltei, dei uma passeada pela vila e vi um tunel que me levou até o Dr. Mad, um caboclo forte pra diabo e lunáticos por felinos (Myau que o diga, matou assim que eu o dei), que chacinou a galera toda. Como tinha salvo o jogo antes de entrar no túnel, voltei ao estado anterior e sai fora. Eu sei que vou ter que enfrentar essa cara mais pra frente por algum motivo, mas não era a hora.

Este é Dr. Claw... que ao contrário do Dr. Mad, gosta de gatos.

Fiz o caminho reverso e cheguei novamente a Bortevo. Usei o Polymeteral no primeiro monte de sucata e nada. No segundo já acertei e encontrei Hapsby que aceitou me ajudar.
Hapsby, o robô piloto da Estrela.

Que fiz então? Rumei para Gothic para contar a novidade para o Doc Luve. E o que ganhei de presente do doutor? O Luveno, o meu mais novo jatinho particular... é, subi na vida, literalmente!

Uhhuull, bora dar uns rolê por Algol! Valeu Doc.

Agora, minha galerinha do bem pode viajar por Motavia e Dezoris. Mas isso é aventura pra parte 5.
Até lá meus amigos!

12 comentários:

  1. heheheeh.
    Esse Dr. Mad é sinistro. O lance da lava me lembrou das minha ultimas jogadas. Também achei que era lama.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinistro mesmo Rodrigão, piquei a mula. Mas me recordo que não adianta fugir, uma hora vou ter que encarar o maluco... heheh
      Abraço!

      Excluir
  2. Uia, que bom que a dica ajudou. Apesar de caro, é um item que vale a pena. Única coisa é que até hj não sei se é "lâmpada" ou "lamparina" mágica... hehehe!
    Putz, eu ri muito com as imagens... principalmente a do assistente saindo do bueiro! kkkkkkkkkkkkkk
    O Marman nesse estágio do jogo é complicado mesmo, lembro que levei altas surras deles no passado.
    E eu não lembrava de como conseguia o Polymeteral.
    Dr. Mad é outro complexo. Talvez seja uma boa dar uma pausa na estória para aumentar a força dos personagens... ainda mais se vc quiser andar em Dezoris.
    Mais outro ótimo post, toda vez que leio o Diário de Bordo fico com vontade de jogar! hehehe
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Cadu!!! Então veio, é uma lampada mágica mesmo, rss
      Tem razão, ótima dica, vou dar uma exercitada nos cabras pra deixar eles fortes, preciso melhorar a equipe pra poder avançar. Valeu, abração!

      Excluir
  3. Excelente post, Leo! E cara as imagens ficaram hilárias rsrsrsrs muito bom!
    Agora, preciso jogar para acompanhar o seu diário, pois aqui já tô boiando. Mó vontade de jogar e tão pouco tempo...
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu parceiro! Cara, toma tempo mesmo viu, mas vale a pena, rs
      Abração!

      Excluir
    2. as fotos me fazem chorar!lkkkk
      "supletivo, supletivo...."
      segunda volto pra SP com PS do Rio, aí acompanho melhor e o bicho vai pegar!

      Excluir
  4. Opa adorei esse post! E você fez umas combinações muito boas das imagens em relação ao texto que você escreveu. Pena que devido a conexão cheia de bloqueios que eu estou usando aqui, acho que deve ter uma ou outra imagem oculta.
    Mas vou usar uma net desbloqueada e volto pra olhar melhor.

    ResponderExcluir
  5. haha, valeu, logo posto o diario parte 5. Abração!

    ResponderExcluir
  6. Essa foto do assistente do Luveno tá just perfect ^_^

    Eu lembro de quando fui buscar o Polymetral, esse lance de ter que contornar o litoral cheio de monstros marinhos... para mim, parecia uma jornada inteira.

    E esse negócio de São Gagá me fez pensar... será que depois que eu morrer, se alguém matar o Lassic só com a Alis com um pontinho de HP, vão dizer por aí que foi milagre meu? Que chique isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O vagabundo do assistente do dr luveno, hahaha
      E sim, um dia vc será canonizado e invocado toda luta e qualquer luta no sistema Algol.

      Excluir