quinta-feira, 21 de junho de 2012

Mega Drive - Welcome to the next level


Saudações galera! Aqui é o Adinan estreando na seção Espaço MD. Como todos sabem, somos parceiros da Comunidade Mega Drive, e com isso estamos dedicando esse espaço para falar sobre esse irmãozinho que fazia o que a Nintendon't. Hoje falarei um pouco sobre a minha história com esse console, e no próximo post farei um review rápido do console que eu comprei ano passado. Espero que gostem da leitura! =)

Já havia contado essa história no meu antigo blog Side Scroll Castle, mas para quem não leu segue um resumo: em 1991 eu tinha apenas um Atari, e estava louco para pegar um console mais atual. No final das contas escolhi nosso querido Master System, e acabei ganhando um lindo Master System 2 com Alex Kidd na memória e Jogos de Verão no natal. Foi um natal inesquecível curtir aquele mundo colorido de pedras quebráveis e batalhas de jokenpô, aqueles esportes cheios de comandos e segredos...ah bons tempos!


Mas antes de escolher o Master, o Mega Drive chegou a ser cogitado. Haviam dois problemas no entanto: o console era bem caro para o poder aquisitivo dos meus pais, e eu morria de medo do jogo que vinha incluso - Altered Beast. E pensar que hoje é um dos meus jogos favoritos, mas na época eu cagava nas calças com aquela cutscene dos olhos mirando o jogador.


Mas essa cutscene demonstrava muito bem o potencial desse console de levar a experiência dos arcades para casa. Comparado ao Atari, que estava saindo do mercado, aos clones de NES e ao seu irmão mais velho, o Master System, o Mega Drive era um monstro! Bastava olhar qualquer matéria nas revistas de games ou as propagandas da Tec Toy para ver que o bichinho era bem ignorante.

Melhor ainda era ver o MD pessoalmente, em funcionamento. Meu primo tinha o primeiro modelo do Mega Drive, e toda vez que minha família ia visitar a família dele, ele tinha alugado algum jogo fantástico e novo. Alguns desses jogos me marcaram demais: Altered Beast dava medo, mas era impressionante. Super Monaco GP fazia a gente se sentir na pele do próprio Senna tamanho o realismo do jogo para a época. E-Swat apresentava um robocop muito louco em cenários bem detalhados e muita ação. Até o jogo do Pelé deixava a gente babando. E quando esse meu primo alugou Sonic? Aí ninguém piscava enquanto o ouriço corria loucamente pela TV!




Os anos se passaram e em 93 estava pronto para ir para o próximo nível e pedir um Mega Drive II com Sonic, mas acabei indo para o lado N da força e pedi um Super Nintendo de natal. Me diverti demais com o 16-bits da Nintendo, sendo um dos meus consoles prediletos de todos os tempos. Mas havia um problema que certamente ocorreu com qualquer jogador da época: os dois consoles eram bons demais! Feliz era aquele que pôde ter tanto o SNES quanto o Mega. Não importa o que os gamers falavam na época, qualquer dono de SNES tinha inveja dos jogos de Mega Drive, e vice-versa. Talvez por isso esse período da guerra SEGA vs Nintendo foi tão especial para nós retrogamers!




No final das contas, pude jogar Mega Drive de verdade apenas em 1999, quando comecei a explorar o maravilhoso mundo da emulação. Adorava emular SNES e Master, mas o Mega tinha um gosto de descoberta especial! Comecei jogando Sonic 3, e a partir daí fui baixando um monte de jogos, como Alex Kidd in Enchanted Castle que eu nunca tinha jogado, os excelentes Beyond Oasis e Shinning Force, o maravilhoso Phantasy Star IV e é claro a deliciosa série Monster World! É verdade que com a emulação tinha outros consoles para descobrir, como o NES ou o PC Engine, mas o Mega Drive sempre me encantou com sua excelente biblioteca de jogos.


O console me encanta até hoje, de tal forma que no ano passado tomei coragem e comprei um Mega Drive III, e sem dúvida foi uma bela compra! Foi como se eu tivesse dado um Load State e voltado em 1993, quando optei pelo Super Nintendo. Como seria se eu tivesse optado pelo Mega Drive naquele natal? A resposta estava naquele lindo console preto ligado na TV, rodando Rocket Knight Adventures com seu controle de 6 botões que é considerado até hoje um dos melhores joysticks já criados na história dos games. Aquele chip de som é incrível, formando melodias inesquecíveis apesar de suas limitações. Os gráficos são menos coloridos em relação ao SNES, mas o blast processing não é à toa: o console era sim bem mais rápido que o concorrente, dando aquela sensação de ter um mini-arcade em casa. Se eu tivesse optado pelo Mega em 93, certamente eu seria tão feliz como eu fui com o SNES. Como eu disse anteriormente, SNES e Mega são dois consoles ducaraleo!


Não dá para definir ao certo quem venceu a guerra dos 16-bits, mas uma coisa é certa: o Mega Drive é um videogame eterno. Por mais que a SEGA tenha cagado com o Sega CD, o 32X e o Saturn, assinando seu próprio atestado de óbito no mercado de consoles, o Mega Drive é simplesmente inesquecível com uma excelente biblioteca de jogos que divertem até hoje, e para sempre estará na lembrança e nos corações de todo retrogamer.





Curiosidades
  • O Mega Drive foi lançado no Japão em 29 de outubro de 1988, como uma resposta da SEGA ao Famicom que estava dominando o mercado japonês de videogames. Infelizmente, o Mega Drive não obteve sucesso por lá, provavelmente pela falta de RPGs e pelo seu foco em arcades, o que agradava mais os americanos. Assim o Mega Drive perdia até para o PC Engine.
  • Nos Estados Unidos a história foi outra! Com uma campanha agressiva de marketing e diversos jogos voltados para o público americano, o Genesis (rebatizado pois o nome Mega Drive já era registrado por lá) foi um grande sucesso. Mesmo com o lançamento do Super Nintendo, o Genesis já tinha uma base sólida e manteve a SEGA no topo por um bom tempo. Para se ter uma idéia da liderança da SEGA nos EUA, muitos gamers tinham vergonha de dizer que tinham um SNES.
  • No Brasil e na Europa, o nosso querido Master System foi um sucesso e abriu as portas para que o Mega Drive tivesse um lançamento bem sucedido. No nosso país, a Tec Toy dominava 75% do mercado nacional de games com o Master System e o Mega Drive.
  • O Mega Drive teve 2 modelos no mundo todo, e 3 versões aqui no Brasil. O Mega Drive III que conhecemos aqui no Brasil era o Mega Drive II no restante do mundo.
  • O Mega foi o palco para 2 dos periféricos mais infames da história dos games: Sega CD e 32X. Ambos pareciam promissores, mas foram mal aproveitados pelos desenvolvedores e transformavam o pobre Mega em um frankenstein horrendo. Contudo, esses periféricos tiveram jogos bem interessantes, como Sonic CD e Knuckles Chaotix.
  • Ainda hoje, a Tectoy continua lançando o Mega Drive, embora o hardware seja bem diferente do original. Sua última versão foi o Mega Drive 4 Guitar Idol, analisado pelo Leo aqui no QG.



E por hoje é só pessoal! Quais lembranças vocês tem do Mega Drive? Teve algum modelo antigo ou mesmo os novos? Quais são os seus jogos prediletos? Nos deixem saber através dos seus comentários!

Abraços e até o próximo post!

11 comentários:

  1. olha, eu nunca tive o console. mas jogo bastante ele pelo emulador. meus jogos favoritos dele, para evitar clichês escolho: Hokuto no Ken: Shin Seikimatsu Kyūseishu Densetsu,Shadowrun,Quackshot,Aleste/Musha,Langrisser 1,Madden NFL 98,Gaiares, Valis 1,2 e 3, Atomic Runner,Soul Edge(Soul Blade na versão Mega Drive) e outros que não digo pois a lista seria grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode crer, nem montei minha lista de jogos prediletos do Mega, mas também ela ficaria gigantesca! Tem muito jogo bom!
      Abraços

      Excluir
  2. Nunca tive um Mega Drive mas vivia jogando nas locadoras e casas de amigos mas sempre me supreendia a cada jogo visto nas revista e ficava muito adimirado com a tamanha capacidade que tinha esse videogame.Da Sega só tive o Master System que me orgulha muito pois joguei varios jogos importantes para mim e que me marcarão muito e curti muito esse post espero pelo proximo post Adinan A.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amigo! Em breve vou escrever mais deste console que surpreendia a cada jogo novo! O SNES tinha vantagem em muitos aspectos, mas o MD era um verdadeiro portfóio de criatividade. E realmente o Master não fazia feio, um 8-bits maravilhoso que marcou toda uma geração!
      Abraços

      Excluir
  3. O SNES pode ter até mais cores do que o Mega . Mas o Mega depedendo do game tem cenários e cutscenies supreendentes que nem parece ter 512 cores diferentes , parece que têm mais do que a gente pensa !Os games Street of Rage e Batman por exemplo: São os gráficos da cidade no fundo da tela que dá uma impressão que parece de verdade , já o Splatterhouse 3 , os cutscenies são fantásticos , nem parece game , parece parte de filme ! Mega Drive the best seller forever !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! Os programadores sabiam tirar leite de pedra desse console, tinha muito jogo que surpreendia! Lembra do Adventures of Batman & Robin? Aquele cenário pseudo 3D é demais!
      Abraços

      Excluir
  4. Nossa, quanta nostalgia num post! Curti demais!
    Já devo ter dito, adoro ler histórias das pessoas com consoles e jogos, para mim são as melhores.
    Ter medo de Altered Beast foi sensacional, mas realmente aquele jogo assusta qualquer criança!
    Super Monaco GP era mesmo realista pra época, demais! E eu também encarava E-Swat como um Robocop mais legal, sei lá. Muito bom!
    E vc falou uma verdade sobre a guerra dos 16 bits, todo mundo queria era ter os dois. O melhor era ter um ou mais amigos com o outro console, pra revezar algumas horas na casa de cada um, primeiro jogar Mega, depois SNES e todo mundo se divertindo. Ahhhhh, ótimos tempos, que saudade dessa época!
    O controle de 6 botões é realmente um dos melhores controles de todos os tempos, disse bem! :)
    Sobre quem venceu a guerra dos 16 bits? NÓS! Sem dúvidas SNES e Mega foram os maiores videogames de todos os tempos, empatados. O critério de desempate fica como o gosto de cada um, ou o que cada um carrega em seu coração. Sem sombra de dúvidas. O Mega é meu favorito, claro.
    Eu já escrevi bastante, melhor não estender mais ainda o comentário contando a minha história com o console. Mas meus jogos favoritos são Sonic 2 e Streets of Rage 2, acho ambos PERFEITOS!
    Muito bom o post, curti pra caramba!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Cadu! Eu também adoro histórias nostálgicas com os jogos! O legal dessas histórias é que a gente acaba se identificando com a maioria delas e passa a lembrar os bons momentos de infância!

      E concordo contigo, nós gamers que vivemos a guerra dos 16 bits fomos os verdadeiros vencedores. Era tanto jogo bom que até hoje sentimos saudades daquela época! E sim, Sonic 2 SoR2 são perfeitos, não tem o que falar mal desses games!

      Abraços

      Excluir
  5. Sim, eu também ficava com medo do Astered Beast e aquele slogan que aparecia na TV: "Mega Drive, o videogame mais poderoso do universo!" O Mega Drive, pela qualidade dos jogos, sempre teve meu favoritismo. O controle de 6 botões do Mega é muito melhor que o do SNES, embora se tornou o protótipo do controle padrão nos games atuais. Quase que chorei pros meus pais pra comprar um Sega CD, usando a desculpa que podiam vender meu CD player. hehehe
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aê, mais alguém que tinha medo do Altered Beast! =D
      E é verdade, tive um SNES e curti o joystick dele, mas nada supera aquele maravilhoso controle do Mega, que delícia jogar Street Fighter nele!
      E cara, você conseguiu comprar o Sega CD? Lembro que na época era uma facada!
      Abraços

      Excluir
  6. Poxa, nostalgia total, mas alguém consegue o comercial do lançamento do Mega Drive no Brasil.

    ResponderExcluir