sábado, 23 de junho de 2012

Master Review - A Turma da Mônica em: O Resgate (1993)


Saudações a todos, Rodrigo novamente trazendo um dos clássicos do Master System, seguindo o casamento entre a Tectoy e a Maurício de Sousa Produções. O que era bom, ficou melhor ainda. 
Parecia que a Tectoy tinha cumprido sua missão em ambientar o Master System no Brasil com Mônica no Castelo do Dragão. Mas o que poucos sabem, é que já havia o acordo em hackear a série Monster Land com os personagens da Turma da Mônica.



Toda a turma reunida e o Capitão Feio
desta vez terminará oque começou...

TRAZENDO A TURMA PARA A TERRA DOS MONSTROS
A exigência da MSP é que toda a turminha do limoeiro aparecesse no Master System, os principais é claro. A última versão lançada na época do contrato foi Wonder Boy III: The Dragon's Trap em 1989 que trazia vários personagens com diversas peculiaridades. Neste game, o herói era vítima de maldições multiplas a cada chefão morto. Isso ainda soava estranho antes dos mangás e animes invadirem de vez o Brasil. Na adaptação,  Mônica ao enfrentar o Dragão Cospe fogo é envolvida numa mágica da chama azul (A Cilada do Dragão) e desaparece. A turma se propõe a  ajudar, mas usando um invento do Franjinha, eles só podem ir um de cada vez, estando Cascão e Franjinha em pontos estratégicos. Claro que parecia ideal, os personagens/maldições casavam perfeitamente nos heróis brasileiros. Anjinho voava, Bidu como um bichinho podia escalar paredes. Cebolinha era o mais indicado para nadar, e como neste universo as mulheres são bem fortinhas, Magali poderia ter o melhor ataque e Chico Bento poderia ser o atirador. Claro que na verdade o caipira fugia dos tiros nas estórias, mas que a Magali já deu uma bela surra nos meninos é só conferir em alguns gibis... A dúvida era apenas o Cascão, já que todos os personagens entravam na água, e isso era impensável antes da Turma da Mônica Jovem. A exigência foi colocá-lo como o único lojista do game. E Franjinha autor da máquina seria o médico. O objetivo da Turma era encontrar o castelo secreto onde se esconde a cruz de salamandra.  O Manual trazia essa estorinha:


ESTA ESTÓRIA NÃO ESTÁ NO GIBI.
Assim foi fechada a série Wonder Boy no Brasil. Wonder Boy: Monster Land seria Mônica no Castelo do DragãoWonder Boy: Dragon's Trap seria Turma da Mônica em: O ResgateWonder Boy: Monster World seria Mônica na Terra dos Monstros, este último só no Mega Drive. A Tectoy fez questão de apagar todos os vestígios da série no Brasil, só lançando o Wonder Boy n.1, que é game pré-histórico. Ao invés de um mero game de ação-aventura, os elementos RPG dos jogos seguintes enriqueceram e muito se tornando perfeitos pra a adaptação  brasileira. São eles o inventário de itens e armas, a troca/administração de personagens e a exploração do cenário. Para fechar a série Master System, o Capitão Feio dá o ar da graça.


Gráfico muito superior ao primeiro!


    
GRÁFICOS E SONS
O que me chamou a atenção deste game é principalmente o capricho muuuuuito superior ao antecessor. Wonder Boy II Monica tinha gráficos bons, não para o padrão Master System, mas para o período em que foi feito. Já esta versão a qualidade é muito melhor, cores vivas e definidas. Quando vi a nova Mônica pensei porque não relançaram o jogo antigo com este gráfico. Basta olhar como refizeram a última fase  do Labirinto sem Fim como a primeira deste game... Alguns cenários são releituras do game anterior, a vila é sua base segura de onde você sempre parte na nova busca. A praia e o deserto são lindíssimos. A música nem se fala! Agradeci que o life baixo não traz mais o barulho de sirene, os sons são mágicos e/ou delicados. Algumas músicas como a do baú do tesouro são deliciosamente infantis, a de invasão dos castelos minha digníssima parou tudo pra dizer que sentia uma melancolia, enquanto a trilha da praia me deu um saudosismo da infância e é uma das minhas preferidas! Parece um mini game de 16 bits, sem exagero!
Cada personagem tem suas habilidades. Anjinho
voa, mas não pode nadar como Cebolinha, ambos o fazem apertando 2 repetido. 

UM PLANO INFALÍVEL
Assim posso me referir à este game. Agora sim, ele é 100% em português. As mudanças começam com cada personagem já vir com sua espada (exceto o Chico) e escudo, a armadura não troca de cor, mas acho que seria feio num game que cada personagem já tem uma cor de roupa. Nada de botas, capacete e luvas. Cada arma foi adaptada ao seu personagem, Anjinho com uma espada flamejante bíblica, Chico com um bacamarte, Magali e um pau de macarrão, Bidu com um osso (!!!), só Cebolinha manteve as armas de Wonder boy, que seriam de brinquedo... Os equipamentos podem ser comprados com o Cascão, mas dependem  do nível de PM (Pontos de Magia, no original Carisma) conseguidos com a Armadura e as pedras mágicas. os Poderes de Ataque e Defesa variam com cada personagem, sendo forte em um, fraco em outro. Corações são adquiridos em baús, e o score dançou. As armas mágicas só são ganhas acionadas com baixo+2, mas nesta versão podem ser selecionadas com o Pause. Agora foram incluídos bumerangues que retornam e dardos verticais.

CADA UM TEM O DRAGÃO QUE MERECE
Nesta versão, todos os personagens tem seu próprio Dragão. Ele se encontra em algum "castelo" no enorme cenário a ser explorado e ao enfrentá-lo, a chama azul/máquina do Franjinha libera mais um personagem que  tem mais acesso a locais que outros não tem, precisando retornar a locais já vistos. É demais retornar com o Anjinho no Castelo que a Mônica destruiu no primeiro game... Claro que para isso, o famigerado Time foi abolido, podemos pegar a password na Igreja da Vila e o continue é infinito com direito a uma saúde extra na roleta enquanto vemos Mônica refém.

Quem diria: Magali é a mais poderosa
e enfrenta samurais e ninjas!

FIM
Este gamezinho é uma das delícias  do Master System. Em breve teremos um Guide completinho porque esse game dá trabalho e merece! Não tenho uma crítica a fazê-lo, embora meu coração de fã possa não ver certos detalhes. O mais legal é dizer que além de um dos melhores games do Master, é também uma das mais memoráveis aventuras da Turma!

16 comentários:

  1. Belo post nunca joguei essa versão mas vi muito em sites comentando esse jogo.Cheguei a jogar o primeiro jogo mas nunca zerei por causa da dificuldade e do tempo.Não dava para explorar direito mas vendo ai ficou bem melhor agora de fazer uma exploração com os personagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rock jogue sim que é muuuuito bom, aliás, só comprei o game pq não tinha mais time. eu já tava traumatizado com o primeiro..

      Excluir
  2. Só faltou o Cascão , talvez seja por causa da fase da água , que não colocaram ele no game do Master System!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com certeza, esse era o motivo, eu imaginava ele com um guarda chuva e uma tampa de lixo como armas. hahaha Abraços!

      Excluir
  3. já joguei tanto game para o master, e AINDA sequer pensei em jogar esse...eu queria ir com o Cascão, mas vou ter de me conformar com o Cebolinha mesmo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cascao é um dos favoritos da turma. Mas o legal com um amigo alternando os personagem.

      Excluir
  4. esse game é muito bom mesmo e o review ficou de primeira tb joguei muito esse mais n terminei por falta de vontade e o video game n era meu mais cheguei bem longe mais uma otima perola do master\o/.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brigado, mas pode tentar mais uma vez, que vale a pena zerar este game. Abraços!

      Excluir
  5. Caracaaaaa, eu nunca tinha visto essa estórinha que estava presente no manual. Que muito louco!
    Ótimo texto, realmente é fato que a evolução gráfica entre os jogos do Wonder Boy foi enorme, sem falar na sonora. Sem dúvidas aquela sirene de life baixo enchia a paciência, ao invés de te deixar alerta ou botar alguma pressão pra te fazer errar, aquela sirene irritava muito e aí o resultado era quase sempre catastrófico.
    Mas eu tenho mais memória do Wonder Boy II/Mônica no Castelo do Dragão, inclusive não lembro muito bem da trilha sonora da sequência.
    Sem dúvida é um dos melhores games que saíram pro console e a adaptação para a turma da Mônica ficou ótima. Eu preciso terminar este jogo algum dia! hehe
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que perdi o manual, tá no RJ e minha família não tinha cuidado... Mas eu lembro que tava lá, o game foi presente da minha tia, quando eu fiz 15 anos, despedida do fim da "infância"! heheheh Agradeço pelo texto. A evolução de WB é incrivel, né? A sirene e o time é que eram dose... E o hack com ajudinha da MSP é um dos melhores da Tectoy.
      Abraços.

      Excluir
  6. Muito bom, me lembro que tinha um caderninho com varios passwords , foi o jogoa mais emocionante a ser zerado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também tenho com vários passwords, pra sempre jogar de um ponto diferente! =D

      Excluir
  7. Essa localização de Wonderboy III foi uma obra prima! Controlar quase toda a turminha foi épico, e a hstória em quadrinhos no manual, os personagens bem representados na tela e o excelente jogo faz deste game um clássico obrigatório!
    Excelente review, Rodrigo! Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro o game original, mas acho esta a localização mais bem feita da Tectoy, e logicamente com os melhores personagens possíveis. Tempo que não jogo, vou jogar neste feriadão! Abraços

      Excluir
  8. O saudades de jogar master system e tenho o cartucho desse maravilhoso jogo, é o melhor jogo que já joguei para master.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está também no meu TOP 3 de melhor jogo do Master. Mate a saudade, o jogo merece!

      Excluir