sábado, 31 de outubro de 2015

Master Review - Where in the World is Carmen SanDiego? (1985)


Saudações pessoal!
Decidi mudar todos os projetos pra abordar um jogo-ícone dos anos 80, e testar seus conhecimentos de Geografia. Por acaso, você já ouviu falar, mas já jogou Where in the World is  Carmen Sandiego? Se não, vamos conhecer!




Se você viveu nos anos oitenta (lógico, uma boa parte da geração Master System) deve ter ouvido falar de uma série animada conhecida como "Onde no Mundo está Carmen Sandiego?" Tudo surgiu com uma ideia de ex-funcionários da Disney, Gene Portwood e Lauren Elliott,  que queriam a ideia de um jogo educativo de Geografia sobre viagens pelo Mundo em 1983. Em 1985, uma série de games para Apple II pela Broderbund Games teve ports em diversos consoles, apostando numa personagem exótica. 

Carmen era uma grande detetive da Agência de Detetives ACME (era elenco do Looney Toones?) trabalhando para o governo de Mônaco (o país mais exótico que pensaram), mas seu grande talento lhe entediou e resolveu se tornar uma ladra, criou uma guilda criminosa chamada V.I.L.E, e promoveu uma série de crimes desafiadores.  


Na versão desenho animado, Carmen, que apesar de ter dinheiro, só rouba pelo prazer do desafio, praticamente dispensa sua sofisticada gangue, e é perseguida por uma dupla de detetives irmãos, Ivy e Zack, carismáticos o suficiente para atrair o público infanto-juvenil, mas precisam lembrar um pouco de cultura geral do Mundo pra resolver os casos. 
 O desenho tinha o apelo de cenas computadorizadas, talvez mais hi-tech que o próprio game em si. 


Carmen virou até um filme e um Game-show, e se tornando um ícone pop (até para não jogadores) e até se tornou parceira do carismático Wally. 



Quanto ao jogo da versão Master? Sim falaremos disso. 

GRÁFICOS E SONS 
Um pena que os sprites do jogo original já tornam as imagens pequenas, mas funcionam bem, talvez o único remake que aconselharia aos hackers de plantão era esta melhoria gráfica. A música sem grandes queixas, pois até ela seria desnecessária como a concentração se torna essencial. O melhor do jogo de 1985 é o computador do seu agente, parecendo uma máquina de escrever verde, sem medo de parecer brega! Era sofisticado, acredite. Uma pena que os gráficos são bem simplórios, e repetem-se imagens, como você entrevista uma mulher loira no Japão.



PROCURA-SE POR CARMEN DESESPERADAMENTE 
O jogo sem o manual torna-se extremamente complicado, mas após lê-lo, o jogo torna-se automático!! 


Dica: pesquise a memorize a relação país-cidade.
Se errar o país, volte ao mesmo país anterior.

Você deve procurar pela organização V.I.L.E. composta por Carmen mais 10 agentes, e você percorre 30 países. O que achei mais bacana, é que não foram apenas agraciados  os países ricos (obviamente os USA e os países do Oeste Europeu) mas até países subdesenvolvidos, como Mali, Ruanda e Papua abarcando uma boa diversidade cultural. 

O Brasil foi obviamente lembrado, e embora o Aeroporto fica no Rio de Janeiro, é explicado que Brasília é a moderna capital do país. 




O procedimento dos comandos é este:
Direcional - Move o personagem na tela e o menu.
Botão 1 - Investiga os lugares, opta o Menu, liga para o Telex.
Botão 2 - Acelera o personagem e o Avião, mas acelerar o avião significa acelerar o tempo. 


Dica; Ao ver o capanga aperte baixo ou cima pra desviar dos tiros.

Você é enviado à "cena do crime", e tem 1 semana (sim, 1 semana!) para encontrar o criminoso. No país do roubo você vai em 3 locais pra pegar informações, você terá pistas para escolher o próximo país, e se não for bom de Geografia, irá parar no país errado e ninguém saberá de quem está falando. Quando conseguir pistas suficientes, vá ao Telex (a cabine telefônica no final da fase) e passe os dados descobertos do suspeito, por eliminação, será impresso (via fax) um mandato de um membro da gangue de Carmen. 


Quando estiver na pista quente aparecerá um capanga que tentará atirar em você, bastando desviar do atentado ou perderá uma quantidade de tempo pra se recuperar. Quando o suspeito tiver cansado (você seguiu-o bem rápido) ele tentará matá-lo, corra até o Aeroporto e a polícia pegará o suspeito. 


Dica: Use o Telex o mínimo possível.

A agência da V.I.L.E é composta por 10 ladrões sofisticados, 5 homens e 5 mulheres. Nada de roubar pra matar a fome, roubam por prazer mesmo. Todos eles tem algum prato preferido (vários em comum, como comida mexicana e frutos do mar, o que pode confundir sua busca), esporte ou veículo preferido. Deixamos aqui o dossiê deles para você procurar o jogo e seguir tranquilamente.


CARMEN SANDIEGO  
OCUPAÇÃO: Agente dupla de Mônaco
INFORMAÇÕES GERAIS
Esta morena arruivada (??) cansou da uma vida de espionagem para governos e fundou a V.I.L.E. Antes, era vista como uma tenista profissional, e sempre viajava em seu Packard Conversível 1939. É vidrada por tacos e sempre é vista usando o famoso colar “Lua de Moldávia”.
MEREY LAROC 
OCUPAÇÃO: Dançarina de Aeróbica freelancer.
INFORMAÇÕES GERAIS
Durante 5 anos, esta morena viajou o mundo em seu SPA móvel, sendo um disfarce
de suas atividades criminosas.  Quando não está roubando, costuma aproveitar a vida como alpinista, apreciadora de joias e comida apimentada. Enquanto relaxa, planeja seus crimes dentro de uma limusine.
DAZZLE ANNIE NONKER
OCUPAÇÃO:  Dona de um famoso Bar de iogurtes em Suez.
INFORMAÇÕES GERAIS
A loira de olhos azuis é herdeira única de um rei dos cadarços, Barão
Franz von Nonker. Deserdada por ter fugido com um tenista croata. Com a pensão de 3 milhões, abriu o Chez Acidophilus em Suez. O Bar do Iogurte é o QG da V.I.L.E. Annie foi vista com uma tatuagem no pescoço em um restaurante de comida marinha, descendo de uma limusine Bugatti.    
LADY AGATHA WAYLAND
OCUPAÇÃO: Conhecida no Clube do Livro da Alta Sociedade
INFORMAÇÕES GERAIS
Ávida leitora da outra Agatha, é interessada em acumular fortuna. Gosta
de ultrapassar o limite de velocidade em seu Denghby super conversível, fazendo voar suas tranças vermelhas a procura de um restaurante mexicano. Ganha alto em competições de final de semana nas quadras. Dizem que tem um anel com brilhante do tamanho de uma cereja, roubado do Tesouro Real de Graustark.
LEN "RED" BULK
OCUPAÇÃO: Ex- jogador de hóquei e jogador compulsivo.
INFORMAÇÕES GERAIS
Desempregado, resolveu entrar para o mundo do crime para pagar o vício
no jogo. Dedicou-se também a escalar tudo que se eleve. Não gosta de carros que tenham teto devido a pancadas na cabeça. Gosta de comida marinha quando mostra a tatuagem de sereia que possui no dedão da mão direita.
SCAR GRAYNOLT 
OCUPAÇÃO: Perfeito playboy, fazendo o tipo guitarrista
INFORMAÇÕES GERAIS
Este ruivo, fez fortuna fazendo viseiras para um time de basquete escandinavo para o inverno. Este atleta gosta de um “killer Crícket” pra ganhar a vida, chegando a ganhar um anel cor-de-rosa de 5 quilates de seu cúmplice Ilhor. Raramente visto em público, se esconde no vidro fumê de uma limusine com um sherpa de 1,98m.   
NICK BRUNCH 
OCUPAÇÃO: Ex-detetive particular
INFORMAÇÕES GERAIS
Seus interesses são mulheres e carros velozes. Fã de escalar grandes
alturas, foi visto pela ultima vez numa vila dos Alpes numa moto Kamikaze 1250.  É sempre visto com uma jaqueta suja, chapéu de abas e um anel “estilo Dick Tracy”, herança de sua época honesta. Acompanha Scar nos restaurantes mexicanos.  Tem cabelos negros, olhos castanho-esverdeados e pequeno bigode.  
FAST EDDIE B.   
OCUPAÇÃO: Famoso jogador de críquete
INFORMAÇÕES GERAIS
Sempre com um mala, para vestir a roupa ideal do crime, faz o tipo
ladrão cavalheiro, comumente aparece em alguma coluna da Revista People.  Só perdeu a compostura em um restaurante mexicano porque o garçom derramou salsa em sua roupa de linho. Seu crime mais famoso foi o roubo da toalha do Embaixador de Damasco, em que puxou-a durante um jantar sem deixar cair nada acima dela. Mestre do crime de cabelos pretos, sempre deixa um alfinete de diamante na cena do crime.
IHOR IHOROVICH
OCUPAÇÃO: Pretendente ao trono do Czar e outras loucuras
INFORMAÇÕES GERAIS
Este loiro bruto tem paixão por grandes bolsas, faz os serviços que
outros da V.I.LE. não apreciam. Possui uma estranha tatuagem ucraniana, soube-se que comeu um tanque de lagostas sozinho. Gosta de ver desenho animado de manhã na TV de sua limusine.
KATHERINE “BOOM BOOM” DRIB
OCUPAÇÃO: Tri-campeã de corrida Trans-siberiana de motocicleta
INFORMAÇÕES GERAIS
Conhecida nas revistas de Mecânica pelo mundo, a morena de olhos azuis é
fanática por saúde e boa forma, embora nunca foi às aulas Merey LaRoc. Cozinheira especializada em peixes, costuma viajar pro Alpes em busca de um pouco de exercício. Possui uma sensual tatoo no bíceps esquerdo.    
A melhor dica que dou é conhecer o nome das cidades e do dinheiro dos países menos óbvios. O mais interessante e o que dá mais valor ao jogo é exatamente o mundo ter mudado. Como registro histórico, a Rússia ainda é a União Soviética e a Europa ainda não tem o Euro. Agora não é só um jogo de Geografia, se tornou um jogo de História do período da Guerra Fria. Por que não testar seu conhecimento?

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Carmen Sandiego é um jogo único pelas suas características. Uma pena que não aproveitaram o poder gráfico do Master para melhor no acabamento.  Se você ainda não jogou, é uma boa oportunidade de treinar seu conhecimento geral, palavra de professor de Geografia! Recomendo!

  









9 comentários:

  1. Sabe dizer se esse jogo tem fim? Joguei muito a versão do Master, via emulador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe o final, sim. Mesmo com repetições de vários criminosos.
      Abraços.

      Excluir
  2. Eu curtia muito o desenho, e joguei muito também, no master mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O desenho era divertido, e passava uma imagem mais hi-tech que o próprio jogo, o chefe era uma cabeça roxa. rss
      E o joguinho, ninguém se arrepende.

      Excluir
  3. Este cartucho, tinha naquela locadora em São Vicente e, claro, trouxe Carmen Sandiego para casa. Mas, nunca joguei direito, não indo muito além de tê-lo encaixado no console para ver se funcionava.
    O fato de eu ter visto, agora, que o game só tem 1 mega, explicou o porquê dos gráficos serem tão pobrinhos. Até hoje, me pego pensando como decidiam, a quantidade de memória que o jogo teria durante seu desenvolvimento. Choplifter, Masters of Combat, Golden Axe 3 são exemplos que, se conseguiram fazer o quê fizeram, porquê "se espremeram" e deixar a impressão que ficou faltando coisa no jogo (quando, de fato, faltou, como em Choplifter, com uma fase a menos que o original)?
    Até mais!
    Abraço.

    P.S.: Belíssimo review, meu amigo.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo retorno, amigo!
      De fato, foi uma pena que não fizeram como em Prince of Persia ou Heroes of the Lance, mesmo sendo 8 bits, tem poder gráfico para melhorias. Acho que isso foi uma oportunidade perdida!
      Abraços!

      Excluir
  4. Engraçado, nunca joguei a versão para nenhum console deste jogo, mas joguei um bocado no PC, usando speaker e tudo. Nem tinha caixa de som ainda, acho que era no 486 que eu jogava. Aqueles sons bem limitados, sabe?
    Legal que aprendi algumas coisas com o jogo. Achava e ainda acho bem interessante a ideia, apesar de praticamente ser um jogo de perguntas e respostas maquiado... hehe
    O mais engraçado é que eu tenho poucas memórias, mas, pelo que li, as versões não parecem ser diferentes.
    Carmen "só rouba pelo prazer do desafio", naturalmente ela deve ter se tornado gamer depois de ser ladra, não? rs
    Muito bacana o post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei muito bem, eu queria tanto um 486 quando lançou! kkkkkkkkkk
      A ideia do jogo era ótima, pergunta e resposta sim, aqui em casa me perguntam se tem algum jogo meu que "não precisa bater em alguém" e apresentei Carmen pra eles.
      Pra mim, ficou limitado exatamente pela fidelidade ao original.
      E com certeza, creio que hoje Carmen pega seu Iphone 6 entre um roubo e outro para uma partidinha de Sonic perto da Torre Eilffel.
      Abraços!

      Excluir
  5. Esse jogo é basicamente um edutainment, jogo educativo, mas tem um design muito bacana que faz com que o jogador nem se importe de ser um jogo de perguntas e respostas, e esse é o grande mérito de Carmen Sandiego! Eu vi esse jogo pela primeira vez na escola e foi uma febre pra molecada, em pouco tempo o pessoal se viciou nele.

    A versão do Master deixa a desejar nos gráficos, embora tenha muito mais gráficos que a versão original que era beem mais texto e ícones na tela. A jogabilidade ficou bacana e acho que a versão de Master é a única que fez isso de permitir controlar diretamente o detetive ao invés de apontar aonde ele deve ir. No geral é um ótimo port de um clássico!

    Excelente post Rodrigão, abraços!

    ResponderExcluir