segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Indie Review: Super Tokussatsu Onore (~2016)




Olá turma!
Fevereiro chegou e com ele, novidades! É com muita satisfação que teremos o review de um jogo que 9 em cada 10 gamers brasileiros sonharam. Vamos conhecer a iniciativa de jogar com heróis japoneses em Super Tokussatsu Onore.





A FEBRE TOKUSSATSU
O Tokussatsu é um gênero dramatúrgico japonês em que atores usam roupas especiais (tecnológicas em geral) para enfrentar grupos de inimigos, em geral, ninjas e extraterrestres.
O primeiro fora National Kido, da empresa National, mas o gênero consolidou com o memorável Ultraman.
As séries, inicialmente pra crianças, começaram a agradar um público mais  velho que foi iniciado na infância.

Graças a emissora Rede Manchete nos anos 80, o gênero Tokussatsu foi se consolidando com os jovens do Brasil. A primeira apresentação era em dose dupla: Jaspion (metal hero) e Changeman (super sentay), logo depois Flashman, em seguida, Jiraiya e Lion Man, e assim foi. Apesar de críticos acharem Gavan ou Shaider melhores, por ser o pioneiro desta geracão, Jaspion, o "Tarzan das Galáxias", liderou soberano como o mais querido no Brasil.



A falência da Manchete, bem como as versões americanizadas pela Saban e distribuídas pela Rede Globo e, depois Bandeirantes e outras, diminuiu a força do gênero original. O público americano antes resistia ao gênero até o surgimento de VR Troopers e Power Rangers.
Isso nos explica porque, embora muitos gamers no Brasil imaginassem, não tinha mercado pra um game do gênero na época. Só Ultraman por ser um clássico, até a ideia surgir pra alguns fãs...



ENCONTRO DE TITÃS
Um fã que conhece MUITO tokussatsu, Humberto "Lagarto", montou um projeto por Openbor, o Super Tokussatsu Onore.
O criador não pensou num jogo individual deste herói ou daquela equipe, mas um crossover dos heróis e dos vilões. O roteiro encaixa pra todos: Tokyo, a cidade mais emocionante do mundo, está sendo destruída, graças a união de vários vilões, e alguns heróis igualmente se juntam pra salvar a cidade.

Duelo emocionante: Ryuuki enfrenta Buba!

Na versão 0.3 que conferimos, temos a participação de heróis mais e menos conhecidos. Ryuuki e Kamen Rider Faiz são as principais referencias que os fãs das séries da Manchete não estão acostumados. Segue o mais simpático dos Changeman, o Change Pegasus, que já é conhecido de todos. A representante feminina é Saki de Sukeban Deka, o que quebra um pouco a coerência da equipe, (eu adoro a Saki, mas sugeriria Diana de Spielvan ou mesmo a Patrine), mas o autor já explicou que o propósito é misturar mesmo.


Como eu queria ver isso numa tela dos anos 80!

TARZAN DAS GALÁXIAS
Já a versão 4, embora incompleta ainda, tem o objetivo de fazer tributo com mais heróis conhecidos no Brasil: Jaspion  nos é presenteado liderando o menu (cortesia dos sprites de Hebert Jordany da        http://legendaryheroesmugen.blogspot.com.br). 
Segue o respeitado Ultraseven e Change Dragon (interessante trocar de Changeman, já que o líder é mais popular) comparece. Quando joguei ainda não estavam prontos Saki, Ryuki e Zeckti Trooper.

Dica: Cuidado com a velocidade deste Boss.
 A bolinha azul recarrega o seu Life.


GRÁFICOS E SONS
Para um trabalho "amador" eu não posso botar qualquer defeito. A escolha dos cenários da Tokyo sitiada são bons, o criador buscou jogos do SNES e Neo Geo como molde na versão 4 incluiu chamas no plano 4 que logo me lembraram do Turtles Ninja de arcade. Os movimentos tanto de heróis quanto vilões foi preciso muita pesquisa, aquele jeito desajeitado dos soldados Hidler é perfeito. E as musicas do Kamen Rider no fundo dispensa comentários.

O Chefe Peace é bem osso-duro.


SISTEMA RETRO
Não é só o enredo, mas o sistema é nostálgico. O ritmo de jogo é bem inspirado em Final Fight e tem algumas quebras na ação. Você começa nas ruas de Tokyo enfrentando os soldados Hidler (Changeman) e os capangas vão mudando. Achei até os clows do Imperio Warer (Spielvan) e vemos diferença de design de monstros de séries diferentes. Marca presença o Buba, rival de Change Dragon. E mesmo sem Black Kamen, o irmão Shadow Moon comparece ao convite.

Saki e seus golpes inusitados. 
"O HERÓI DESCE O BRAÇO COMO UM GIGANTE.."
O que me agradou foi a pesquisa pra fazer os golpes. No teclado, A era o special, S é o soco e D é o salto.
Na versão 0.3, Pegasus dá socos com velocidade semelhante à Chun-Li. Saki tem golpes que dá pra perceber que Cammy de Street foi parte de seu molde. Ryuuki usa a espada durante o dash.

Os comandos especiais são curiosos e usarei os Changeman pra ilustrar: o soco durante o dash manda o famoso "quebra-telha". Se só apertar o Special, ele sai distribuindo chute. Mas se andar e usar o Special, ele usa a Power Bazuka, o que gasta KI. Se apertar dois botões, ele saca a pistola. O Special no ar, libera o "Pegasus Energia Relâmpago" (como lembrei o nome disso?!) E mesmo um comando inviável como meia-lua+soco, ele usa a espada. Ufa!

A Barreira deu um bom desafio ao jogo.

Na versão 4, há o botão de Grupo (F) em que você reagrupa a equipe ou troca de personagem com as direções. Você verá o Dragon não tão rápido, mas os golpes que vi me deram um deja vu incrível (desde que saiu da TV, nunca mais assisti) até a Power Bazuka eram fieis a de cada um. O Ultraseven X é lento, mas seus golpes são terríveis. Nesse show de golpes, Jaspion é que rouba a cena. Ele é capaz de erguer objetos como barris e carros, mas também os próprios vilões. Seus Specials  são a bolinha luminosa que te deixa invencível (como pensaram nisso?!) E o Cosmic Laser, aquele corte com a espada luminosa. Irado!!

Sigam a página pra uma mostra completa dos golpes:

A fase da moto também pra quebrar a linearidade,
acho que o Pegasus que aparecia mais vezes com ela.


CONSIDERAÇÕES FINAIS.
Para um jogo independente, Super Tokussatsu atende aos objetivos de nostalgia, beleza e boa pancadaria. Para mim, foi um bom exercício lembrar de elementos dos meus heróis preferidos, já que não sento pra assisti-los há anos. 
A competência gráfica, a escolha de trilhas, os heróis em conjunto são um feliz retorno à infância.

Desejando sucesso aos criadores, para que concluam este quarto projeto em breve. Até a próxima!





6 comentários:

  1. Jogo bem interessante viu eu curto muitos jogos openbor me aventurei pela primeira vez jogando Street Fighter One e depois veio o Final Fight Gold que é sensacional.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima seleção, Rock!
      Esse aí, com tudo que foi ripado de outros sistemas graficamente, ficou muito bom! Recomendo!!

      Excluir
  2. Saudações, Rodrigão!
    Tudo certinho?
    Cara, a Rede Manchete marcou tanto minha vida que, assisto tokusatsu até hoje. Gosto mais, até, do que animes, por serem corpos reais em movimento, lutando, saltando... acho muito louco!
    Já os jogos, realmente, não chegavam para nós aqui no Brasil. Quando nos deparávamos com alguns deles, as vezes, não sabiamos do que se tratava (tirando a família Ultra e Godzilla, super famosões no mundo todo). Tal panorama, mudou bastante, com a ocidentalização dos Super Sentais via Saban Brands e seus Power Rangers.
    Aliás, tem um Open Bor bem legal com os Ranger, o Power Rangers Beats of Power, uma versão melhorada daquele beat'n Up Power Rangers The Movie, do Mega Drive. Vale a conferida.
    Abraço!

    P.S.: Mandou benzaço no texto... o que, não é novidade.
    Rss!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu amigo! Onde cresci foi mudando o ponto de vista sobre tais programas. O anime foi sendo aceito pelo publico que envelhecia, tipo, jovem-adulto.
      Já tokussatsu, o povo cada vez mais via como publico infantil... por isso, pouca gente continuou assistindo quem assistia era o mesmo público de desenhos antigos (He-man e cia). Este modelo só fazia sucesso no Japan e por isso, niguém investiu num modelo de game universal antes da Saban.
      Já power rangers, meu próprio preconceito, confesso que me afastou de tudo o que diz respeito a essa série. Vou ver sim este jogo.
      Obrigado e até a próxima!

      Excluir
  3. Eu sou autor do jaspion. Eu liberei jaspion por cortesia, pois não tinha obrigação nenhuma de fazer isso. Queria o apoio de vcs, pois estou sendo roubado. Não apoiem nenhum projeto, além do STO e LH (meu projeto). Pois estão me roubando e ddenegrindo minha imagem.

    ResponderExcluir
  4. Gostaria que usassem meu apelido/pseudônimo "Beto". Vida real e v8da mugen não se misturam.

    ResponderExcluir