sexta-feira, 20 de julho de 2012

QG Recomenda [Julho]

Sexta-feira, dia mais do que certo para estrear novidades aqui no blog. Hoje, às portas de um final-de-semana convidativo para bater um play, abrimos espaço para convidados especiais que comentarão sobre um jogo esquecido ou que tenha lhe marcado de alguma forma. Este é o QG Recomenda do Mês de Julho.



O que você recomenda?

Os games que recomendo são de Master System (SMS): o Forgotten Worlds (FW) e E-SWAT (ES). O primeiro é um título da Capcom para arcades de 1988 e o segundo é da Sega, do ano de 1999. Ambos, foram portados com maestria pela própria Sega para seu 8 Bits em 1991 e 1990, respectivamente.

Forgotten Worlds é um side-scrolling shooter que apresentou um trabalho gráfico e sonoro competente, ficando próximo do produto original. Foi conseguido sintetizar o quê havia de mais expressivo, mantendo suas características fundamentais. A história do game conta que, em um futuro distante, um deus maligno conhecido como Emperor Bios, destruiu quase toda a Terra, tornando-a um lugar desolado, uma terra devastada que ficou conhecida como Dust World. Um Super-Soldado Sem Nome é a última esperança da humanidade. Ele irá percorrer um longo e tortuoso caminho visando destruir Bios e seus asseclas, os Deuses do Mal que o servem.


Já E-SWAT tem um estilo similar aos filmes do Robocop, febre nos anos 80. Só que, aqui, um policial veste um traje tecnológico de combate ao crime. O jogador, o tal agente da lei, a cada fase, sobe de posto até ser promovido para a E-SWAT (Enhanced Special Weapons and Tactics), uma equipe designada para prender  criminosos que uma corporação padrão não daria conta. A versão de Master System, mesmo visualmente pouco chamativa, conseguiu capturar o “Espírito da Coisa” mantendo-se, também, muito fiel ao que foi visto na versão mais parruda. Como em Forgotten, aqui também foi suprimida a função “Co-op”, tornando-se um jogo para apenas um jogador, uma prática comum da Sega na época dada a inferioridade de hardware. 

Ambos os jogos, me atraíram por terem apresentado novidades. Em FW, em vez de naves, você controla pessoas que flutuam, tudo em um cenário pós-apocalíptico bem elaborado. O ES conta com mecânica de ação com um “Jeitão High-tech”, aliado ao fato de se poder encarnar a aventura: você começa como um policial comum e, conforme avança nas fases, passa à contar com sua armadura, dando um “Up” interessante na jogabilidade.


Em suma, são dois jogaços que valem a pena serem conferidos.
Até mais!
Douglas Deiró - Equipe QG Master
================================================================
Fatal Fury Special (Arcade-1993): Jogadores com mais de 25 anos com certeza lembram deste capítulo da série. Special é uma espécie de "Champion Edition" do Fatal Fury 2. Com uma jogabilidade mais refinada (agora é possível fazer combos) e mais personagens, FFS esbanja capricho, principalmente na sua trilha sonora, uma das marcas da SNK nos anos 90. E é justamente a parte sonora que me chama muita atenção, ainda mais se levarmos em conta a época de produção (1993). Duvida? Então escute o tema de Terry Bogard - um clássico!

Gangster Town (Master System 1987): Jogo até hoje por dois motivos. O primeiro por ser um dos melhores (senão o melhor) jogo do console 8bits da Sega que utiliza a famosa Light Phaser. O segundo motivo é que nunca foi tão divertido brincar de polícia e ladrão nos consoles, ainda mais na década de 20/30/40. Por conta disto, teve uma época que minha mãe até fez um chapéu típico daquele tempo. Mesmo com 32 anos, não me importo de colocar meu casaco e chapéu para enfrentar esses gangsters. Gangster Town é uma prova que gráficos não limitam um bom design, algo que o game tem de sobra.


Obrigado pelo convite e um grande abraço!
Mano Beto - Grupo Game Sênior

================================================================
Dúvidas? Sugestões? Comentem e digam o que acharam da nova seção.

Um abraço e até o próximo level.

8 comentários:

  1. belas recomendações para esse sábado. me falam muito desse Forgetten Worlds mas nunca tive vontade de experimentar, vou dar uma chance. e E-Swat tentei faze-lo pegar no SNES...ou foi no Mega? não importa, vou ver esse também. e que bom o Mano Beto dar as caras por aqui

    espero que esse Gameon continue, para me informar de jogos bons para o sistema.

    Hee-Hoo!!

    ResponderExcluir
  2. Fatal Fury Special é um clássico cara cheguei a jogar numa doceria perto da escola onde estudei muito bom a trilha sonora deele eu possuo as duas versões que sairão para o Ps2.E o Forgethen Worlds é demais viu cheguei a ver ele num edição da extinta VideoGame só fui conhecer pessoalmente jogando no Ps2 na coletanea da Capcom Collection Clássic Vol 1.O Gangster Thow só vi em revista nunca joguei mas vou dar uma conferida nele pra ver como é.Mas é isso ai curti o novo post Marcel continue assim cara sempre com o ótimo trabalho .

    ResponderExcluir
  3. Opa, grande iniciativa. O QG ficando cada vez melhor. Muito bacana, MarCel.
    Sobre os jogos, vou ter que dizer que eu detesto Forgotten Worlds! kkkk... em compensação eu adoro (muito) E-Swat! Jogo difícil pacas, mas legal na mesma proporção.
    Sobre os jogos do Mano, eu nunca fui grande conhecedor de Fatal Fury, vale a dica pra conhecer. Já Gangster Town é o clássico dos clássicos em matéria de jogos pra se jogar com a Light Phaser, ainda mais que dá pra jogar de dois, o que deixa o jogo ainda mais divertido.
    Espero pelas próximas recomendações! :)
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu gamer. Cara SNK foi minha catarse nos anos 90, joguei de tudo: Art of Fighting, Fatal Fury e, claro, KOF - sou muito fã desse último. Acho que em termos de carisma a SNK criou uma multidão de personagens que nós gostamos, diferente da série Street que ficamos apenas com dois ou 3 mais conhecidos e o resto como curiosidade.

      Um abraço!

      Excluir
  4. SNK foi meu delírio quando era adolescente, e Fatal Fury Special, um reencontro dos personagens de fatal fury 2 com 1, me fazia delirar com um chefão que era um herói, Ryo Sakazaki de Art of Fighting (Geese Howard irritou muita gente em vários games). Os personagens da SNK eram carismáticos, davam dúvida pra escolher, enquanto na Capcom tudo era "acho que vou jogar com o Ken". Samurai Spirits também era muito bom!! Esses dois games tiveram versões pra Game Gear, mas nao houve port pro Master. Uma pena.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que não sabia desse lance do Special ter os personagens do Fatal Fury 1 e 2 juntos. Acho que o MAME vai resolver essa parada pra mim. ^__^

      Excluir
    2. Era todos os 12 do FF2 , mais Geese, Tung fu, Duck King do FF1...

      Excluir