terça-feira, 16 de julho de 2013

Feliz Aniversário, Master...opa SG-1000!



Saudações amigos! :)

Hoje o nosso amigo Ponã compartilhou conosco uma matéria bem legal do TechTudo sobre os 30 anos do nosso querido Master System: http://www.techtudo.com.br/jogos/noticia/2013/07/master-system-completa-30-anos-veja-seus-10-melhores-jogos.html

Fiquei curioso ao ler a matéria pois não lembrava do Master System ter sido lançado na mesma data do Nintendinho, que aliás também está comemorando seus 30 aninhos heróicos como o console que salvou a indústria dos videogames. Mas após algumas pesquisas, constatei de fato qual console está comemorando os 30 anos ao lado do lendário Famicom. Não é exatamente nosso querido Master, mas vale a pena um post sobre esse console que embora tenha ficado restrito ao Japão e Austrália, vale a pena conferir se você, assim como eu, é fã da SEGA e de seu legado.

Bora conferir! :D




Afinal, quem é o aniversariante de hoje?

Em 15 de Julho de 1983, a Nintendo lança no Japão o Family Computer, o Famicom. Esse console de 8-bits com cara de brinquedo conquistaria diversos lares japoneses, e alguns anos depois mudaria para sempre a história dos games no restante do mundo. Mas claro, a Nintendo não estava sozinha. Outra empresa japonesa, uma gigante dos arcades, preparava terreno para conseguir sucesso também no mercado de consoles domésticos.

Nascia assim, a primeira investida da SEGA em consoles: o Sega Game 1000, conhecido como SG-1000.


Como todos sabem, para cada console criado a SEGA buscava levar a experiência dos arcades para casa, o arcade@home. Com o SG-1000 não foi diferente. Apesar do hardware modesto levemente superior ao Atari 2600 que o aproximava bastante do Colecovision, a SEGA não fez feio e tratou de portar diversos hits dos fliperamas para seu console, dentre eles: Ninja Princess, Bank Panic, Congo Bongo, Zaxxon, Wonder Boy, entre outros clássicos da própria SEGA.

Alguns hits da época. Tinha até Wonderboy
e o clássico H.E.R.O. do Atari 2600

Mas também é possível encontrar adaptações de jogos de outras desenvolvedoras, reprogramados pela SEGA. Star Force, Choplifter, Pitfall II, Elevator Action, H.E.R.O e Castle são alguns exemplos.

The Castle: Clássico jogo da ASCII também
marcou presença no SG-1000
E como curiosidade, vale a pena mencionar também o primeiro jogo de Yuji Naka, considerado por muitos o pai do Sonic ao lado de Naoto Oshima, foi lançado neste console, o Girl's Garden, um joguinho com temática bem de menininha mas com desafio pra deixar qualquer jogador hardcore de cabelo em pé.

Girl's Garden, o primeiro jogo do Yuji "YU2" Naka
Com um hardware mais modesto, o SG-1000 era como um Colecovision japonês. Apesar da fama da SEGA nos arcades, o console acabou com vendas fracas no Japão, provavelmente por causa da concorrência com o Famicom que lá para o final de 1984 era um sucesso absoluto de vendas. Porém o console teve vendas moderadas na Austrália e na Nova Zelândia.

Infelizmente sua forma original nunca veio para as Américas ou para Europa, sendo assim um console raro e caríssimo de adquirir atualmente.


Master System, I am your father...

Em julho de 1984 a SEGA lança uma revisão do console, o SG-1000 II. Essa versão era basicamente o mesmo hardware mas com entrada para teclado. Junto com essa segunda versão a SEGA lançou o SC-3000, um computador pessoal com BASIC e que podia rodar jogos do SG-1000. Por conta disso o SG-1000 acabou com vendas fracas em favor do SC-3000, já que com o BASIC os usuários poderiam criar seus próprios aplicativos e games, tornando-se uma melhor opção.

Foi em outubro de 1985 que a SEGA lança uma terceira revisão, o SEGA Mark III. Com um hardware superior, o Mark III é a primeira versão a ser lançada mundo afora, rebatizado de SEGA Master System! Aí sim nascia uma lenda, o mito que pode não ter salvado o mercado de games, mas estará para sempre no coração de milhares de retrogamers brasileiros e europeus!

Mas é importante não deixar de lado o pai de tudo isso, onde a SEGA deu o seu primeiro passo! Por isso, hoje pode não ser exatamente o dia do Master System, mas vale a pena comemorar o lançamento do SG-1000, um console simples mas que deu início a todo um legado! Parabéns SG-1000!!! :D






E é isso galera, espero que tenham curtido o post. Tirei bastante informação do vídeo abaixo e claro da Wikipedia.

É uma pena que provavelmente nunca terei a oportunidade de jogar pessoalmente um SG-1000, mas sempre tem os emuladores para quebrar o galho. Se você leitor ainda não conhece, vale a pena correr atrás, pois é um console simples mas que demonstra grande potencial!

Abraços e até o próximo post!


9 comentários:

  1. Dá orgulho de um dos nossos membros criar um post histórico como este, Adinan.
    Como tudo vai crescendo e evoluindo, chegando ao Master System.
    Não podemos esquecer que foi a ameaça constante da SEGA que criou na Nintendo um arsenal de tanta qualidade.
    Parabéns ao Sistema SEGA e a você pelo post! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa obrigado Rodrigão, fico feliz que tenha curtido o post! :)

      Então eu também penso que foi justamente a competição forte da SEGA que fez com que a Nintendo se coçasse para se tornar essa gigante criativa que todos nós conhecemos e respeitamos. Na era dos 16-bits então nem se fala, ambas empresas lutando e criando um jogo melhor que o outro, foi a melhor de todas as rivalidades da história dos games!

      Abraços

      Excluir
  2. Belo post esse sobre o aniversário do Master System de 30 anos com muita informação legal e interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Rock! Confira também o post que fizeram no TechTudo, ficou muito legal tb com uma boa coletânea de clássicos que marcaram época!

      Abraços

      Excluir
  3. Muito interessante esse lançamento simultâneo do Famicom e do SG-1000. Achei estranho a idade de 30 anos para o Master System na matéria do G1, mas agora está explicado :-)

    Parabéns mais uma vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bota interessante nisso, Ponã! Não sei dizer se foi algo proposital, mas foi interessante sem dúvida. É uma pena que o que a SEGA tinha em mente não foi o suficiente para desbancar a Nintendo, mas mesmo assim foi um console bem curioso e com uma boa biblioteca de clássicos.

      Ah e obrigado por compartilhar o link da matéria do TechTudo conosco! Foi o seu link que me inspirou a escrever esse post, se você não tivesse compartilhado iria passar batido.

      Abração

      Excluir
  4. Caramba, faz tempo que não passava por aqui! hehehe!
    Eu explico: além da falta de tempo, acho que os feeds do QG Master ficaram fora do ar por um período (pelo menos pra mim), então acabei não vendo as atualizações. Eu ainda vou ver tudo aos poucos... hehe!
    Enfim, PARABÉNS SG-1000!
    Eu sempre achei o console bastante simpático, embora o controle não pareça muito bom. Ainda vou ter um desses em casa, deixa eu ficar rico! uhahuahuahuahua
    Nunca parei pra ver direito os jogos que o console possui, que bacana que vc já levantou alguns aqui. H.E.R.O. eu já tentei emular num passado distante, mas não consegui. Agora fiquei surpreso com o Wonder Boy, que interessante, esse é um jogo que eu me diverti muito no Master.
    E ease Girl's Garden aí? Jogo pra menininha hardcore? ehhehehe… o Yuji Naka parece que sempre foi meio maluco mesmo. No bom sentido...
    O SG-1000 II já tem um controle bem parecido com o do Master… realmente o nosso querido Mark III puxou bastante o pai dele. Que bom! Acho todos eles bonitos.
    E, pra fechar, não sabia que ele e o Famicom tinham sido lançados na mesma data, muito interessante saber. Uma pena (pra SEGA) que o console da Big-N se sobressaiu muito, acabou ofuscando o rival. Mas eu ainda prefiro os consoles da SEGA, não conta pra ninguém, pq sofro bullying por causa disso até hj! huahuahuauhahuauahhuaahu
    Já estou aguardando o post de emuladores de SG-1000! hehehehehe!
    O video eu verei mais pra frente! hehehe
    Belo post, como sempre…
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Caduco meu amigo, tudo bom cara? Realmente a correria é complicado, eu mesmo tenho tido muito pouco tempo pra me dedicar ao blog como antes. :(
      Pois é, eu também acho bem simpático e bacana o SG-1000, tem uma biblioteca bem interessante de jogos. O Wonderboy é legalzinho, mas vai com mente aberta porque ele pode assustar um pouco no começo, pra começar vocÊ controla um playmobil de cabelo verde e o scroll da tela é bem zoado, mas ele diverte mesmo assim.
      O controle do primeiro SG-1000 realmente parece ser bem zoado, ainda na pegada dos joysticks da segunda geração de consoles, talvez até seja um dos motivos pelo qual o Famicom se sobressaiu frente a SEGA, afinal o dpad parece pouca coisa mas foi uma revolução e tanto. Já o controle do SG-1000 II parece bem melhor.
      Rsrsrs e pode deixar vou guardar segredo! Eu sou mais Nintendo mas não deixo de admirar o legado da SEGA. O SG-1000 mesmo demonstra o potencial da gigante japonesa dos arcades, e até o Saturn que foi uma bomba tem lá o seu charme. Acho bacana o fato da SEGA ter se arriscado em inovar, mesmo que isso tenha feito ela pagar caro depois mas mesmo assim deixou um legado incrível de hardware e software, e se um dia eu ficar rico vou colecionar todos esses consoles rsrsrs :)
      Abraços!

      Excluir
  5. Ótima matéria! Sou um entusiasta da história dos video games. :)
    Não sei se você já viu, mas tem um SG 1000 à venda no Mercado Livre, mas com um preço bem proibitivo:

    http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-489442960-sega-sg-s-g-1000-com-05-jogos-e-adaptador-_JM

    ResponderExcluir