quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Girl's Garden - a "Irmã" do Sonic!



Oi Amigos. Você com certeza ouviu falar de Sonic, o que por dedução já ouviu falar de seu criador Yuji Naka. Que tal nos aventurarmos no primeiro jogo do Mestre? Vamos dar uma pequena olhadela em Girl’s Garden, lançado para o SEGA-1000.



A PRIMEIRA OBRA A GENTE NUNCA ESQUECE...
Conta a lenda que na produção deste game, Yuji Naka era um mero estagiário da Sega e devia produzir um game. Pouco antes do lançamento do Mark III, a missão do jovem programador era fazer um game voltado para o público feminino, cuja abertura ainda começava no Japão (imagina no Ocidente!). Nada de Tiros ou golpes de artes marciais. Ainda tinha a limitação do SG-1000 que contava com apenas 4 sprites por linha.  


TRAGO A PESSOA AMADA E AFASTO A RIVAL
Como nasceu o resultado disso?
O jogo conta com a personagem Papri Chan que deve preparar um jardim para seu amado Minto. Ela lida com dois itens,  flores e mel. Os itens meigos servem para dois objetivos: A flor que é polinizada pelas abelhas, quando totalmente madura, completa o medidor de seu jardim, o mel é para deixar os ursos inofensivos, principalmente quando estão “azuis de fome”. Papri deve evitar também as ervas daninhas e as caveiras.
O conceito mais interessante neste jogo é o Time: nada menos é que Kokko Chan, a rival que vai atraindo o mini galã Minto para seus braços, conforme o tempo acaba.
Cada vez que você consegue passar a perna na sirigaita, uma fase nova surge com outro tipo de flor e até uma fase bônus de saltos rola.
Os gráficos são simplórios, os personagens tem apenas duas cores, mas para minha vivencia posso dizer que superam em muito o do Atari 2600. Os sons então, é que achei perfeito, era uma melodia doce com todo apelo para chamar o público feminino da década de 80. Quando se perde uma vida, uma melodia a la princesa encantada gasta um coração, que ao contrário do tradicional “Life” está escrito “Love”.
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Sem grandes pretensões e sem machismo nosso de cada dia, Girl’s Garden é divertido e é outra opção, não um game “misto”, mas voltado mesmo para o público feminino. Mal sabia que a boa critica a este jogo que o levaria aos caminhos que o colocam como “pai” das ´series Sonic e Phantasy Star. Ah, o que faz o amor...


5 comentários:

  1. Bacana!
    Foi uma das minhas primeiras matérias no RGR. Aproveitei e fiz uma reformatação e revisão.
    Notifiquei esse seu post:
    http://retrogamesrevival.blogspot.com.br/2012/10/girls-garden.html

    ResponderExcluir
  2. que beleza!!! Vamos dar uma aparecida lá!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. É muito amor, só digo isso!
    Um baita desafio criar um jogo para meninas naquela época, com todo o conceito de que teria que banir qualquer tipo de violência no game. Yuji Naka realmente é um cara criativo, não só pelo que já conhecemos dele com Sonic e Phantasy Star, mas pelo que pude ler da descrição deste jogo. Nunca joguei, mas acho que vou tentar um dia, esse vale a pena ver em vida.
    Muito bacana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conhecemos Yuji Naka por várias obras, mas me deleitei com uma obra de inicio de carreira. Gosto e sou a favor de jogo para meninas (que não exclui meninos). O jogo é feminino sem ser "fresco", por isso curti muito!
      Valeu!

      Excluir