terça-feira, 13 de maio de 2014

Master/Mega/GG Review - Shapes and Columns (1990)

Saudações galera!

Hoje vou tentar algo novo com este post, um review triplo! Esse review se enquadra tanto na seção de Master Review como no Espaço MD e a mais nova seção GG Review, seção dedicada para análises de jogos do nosso novo querido xodó, o Game Gear. E para estrear essa nova seção, nada mais justo que falar sobre um dos primeiros jogos do pequeno Master, e que foi portado até para batedeiras Wallita.

Sim, vamos falar sobre as 3 versões do arcade Shapes and Columns lançadas para os consoles da SEGA no início dos anos 90, sendo eles Master System, Game Gear e Mega Drive! Qual é a melhor das 3 versões? Só porque o Mega é o mais poderoso a versão dele é a definitiva? Tem alguma diferença entre as versões de Master e GG? É o que vamos descobrir no Master/Mega/GG review de hoje.



  • Desenvolvedor: SEGA
  • Ano de lançamento: 1990
  • Tamanho: 32KB (GG)/ 128KB(SMS)
  • Outras plataformas: Arcade, FM Towns, MSX, Nintendo 3DS (eShop GG), PC-88, PC-98, SNES, TurboGrafx-16, Wii (Virtual Console MD), Windows

Columns, ou Shapes and Columns como era conhecido por aqui, foi a resposta da SEGA ao Tetris, e assim como o quebra-cabeça russo, ele tem uma história curiosa.

 A verdade é que a SEGA não criou o conceito de Columns, mas apenas comprou os direitos de Jay Geertsen, o desenvolvedor da versão original para computadores da época (1989), entre eles o Atari ST. Nessa época a SEGA acabara de perder os direitos que havia adquirido para criar uma versão de Tetris para consoles, por conta de uma bagunça de direitos autorais dos soviéticos que no final da história resultou na exclusividade da Nintendo e da Bullet Proof Software sobre qualquer versão de Tetris para consoles de videogame.
Assim sem ter o que produzir e com o prejuízo de ter alguns cartuchos de Mega Drive que não poderiam vender, a SEGA decide criar seu próprio Tetris, ou comprar os direitos de outro puzzle eletrônico. Assim encontraram Columns e correram para garantir os direitos deste jogo.

Assim como as versões de Tetris tinham toda uma temática russa, a SEGA adicionou uma temática grega para sua versão de Columns, dando um ar mitológico ao jogo. Tokuhiko Uwabo, o compositor da trilha sonora do jogo, criou três faixas nomeadas em homenagem as Moiras, as três irmãs que segundo a mitologia grega determinavam o destino dos deuses e dos humanos. Os nomes de cada irmã: Clotho, Atropos e Lathesis.


Columns foi lançado primeiro nos arcades, sendo portado para Mega Drive em seguida, um port fiel com alguns modos de jogo adicionais. Alguns meses depois o jogo foi adaptado para Master System e Game Gear, sendo que para este último foi o primeiro jogo a acompanhá-lo no bundle do portátil.

Gameplay

Columns é o típico puzzle eletrônico que qualquer jogador de Tetris irá se identificar. Apesar de ser uma resposta da SEGA ao Tetris da Nintendo, Columns tem um gameplay bem diferente! Aqui temos jóias que caem sempre em uma linha de três, e o jogador pode alterar a ordem das jóias nessa linha pressionando o botão antes dessa linha cair no chão ou em outra jóia. O objetivo é juntar 3 ou mais jóias da mesma cor em linhas verticais, horizontais ou diagonais, para removê-las do tabuleiro e ganhar pontos. O jogo acaba quando as jóias atingem o topo do tabuleiro, impedindo o jogador de inserir novas jóias.

Columns em sua versão de Arcade
O conceito é simples mas aqui o desafio é bem maior que Tetris. As pedras se acumulam com muita facilidade, e é preciso raciocínio rápido para identificar as possibilidades de completar novas linhas e evitar o acúmulo excessivo de jóias no tabuleiro, e claro para piorar a velocidade de queda das jóias vai aumentando com a pontuação. Felizmente tem uma trinca de jóias mágicas que em determinados momentos dão o ar da graça e ao tocar numa jóia, as demais jóias da mesma cor são eliminadas do tabuleiro.

Columns apresenta também o conceito de combos/reações em cadeia que se tornaram um padrão para os jogos do gênero, em especial Puyo Puyo e Tetris Attack. Ao completar uma linha, as jóias que estavam em cima caem, e caso elas completem novas linhas na queda, o jogador é recompensado com um bônus na pontuação que acumula a cada combo. Esse era o segredo para adquirir um respeitável high score.
 
A versão de Arcade tinha apenas o modo tradicional, onde um ou dois jogadores jogam em tabuleiros distintos, na disputa por pontos. Nas versões de console, tinha o modo versus, o modo flash onde o objetivo era tentar remover uma jóia piscante que se encontra no fundo do tabuleiro, e o double, um modo interessante onde dois jogadores compartilham o mesmo tabuleiro, revezando por turnos a jogatina.

Versão Master System


Esta foi a versão onde joguei Columns pela primeira vez. O conceito de puzzle game não era novidade pois eu já tinha jogado Tetris no Gameboy da minha prima, mas não era o estilo de jogo que eu mais curtia, acabei alugando por falta de opção na época.

Acho que eu não consegui admitir isso para mim mesmo, mas me diverti horrores com esse jogo, em especial o modo Flash. Hoje sou muito fã de puzzle games, e Columns é um dos meus prediletos.

Tela de jogo relaxante até demais!
Cuidado para não dormir em cima do controle!!!

Aqui temos uma versão com gráficos mais simples, porém bacanas para a jogatina. Nada de cenários muito detalhados, apenas estrelas passando pelo fundo no modo normal ou uma pista de corrida (!) no modo flash que vai aumentando a velocidade com o decorrer da jogatina. As jóias não são tão detalhadas quanto a versão de arcade e elas são pequenas demais para o meu gosto, mas são bem desenhadas. Um adicional aqui é que o jogador pode escolher o tipo de jóia, que podem ser as originais do arcade, frutas, dados (para os masoquistas de plantão - sério é muito difícil enxergar e distinguir o 2 do 4), blocos e nipes de baralho.

Cansou de jóias? Escolha entre blocos, frutas e outros símbolos
A trilha sonora ficou muito bem adaptada aqui, tendo um toque de flauta que deu um charme ainda maior. Cuidado com a Clotho, essa música ficou tão calma e tranquila que pode fazer com que você pegue no sono facilmente! A única reclamação que tenho é que nesta versão temos apenas duas das três músicas do original, sem a possibilidade de selecionar a música para a jogatina. Aqui o jogo usa sempre a Clotho para o modo normal, Lathesis para o versus, e uma música inédita para o modo Flash.

Modo Versus e Flash. Gostei bastante desses cenários!

Versão Game Gear



Essa versão foi o pack-in de estréia do Game Gear, seguindo o mesmo exemplo do Gameboy ao vir com um jogo casual com apelo para diversas faixas etárias. E devo dizer que a SEGA fez uma ótima escolha e um excelente trabalho com esta versão!

Temos aqui uma tela de opções bem mais caprichada!
E de quebra as 3 músicas do arcade! :D

Os gráficos são os mesmos do Master para as jóias, com alguns detalhes a menos mas aqui as jóias não aparentam ser minúsculas, estão bem adequadas para a telinha do portátil. Assim como na versão do Master, é possível escolher entre jóias, frutas, dados (não use os dados ou seus olhos vão sangrar), blocos (menos detalhados que os do Master) e naipes de baralho.

Essa trinca de jóias mágicas salvam o dia! Use-a com sabedoria!
Aqui temos apenas um cenário, uma cidade grega ao fundo, e um recurso que me deixou apaixonado por esta versão: o jogo começa com o cenário de manhã e vai entardecendo ao subir de níveis, passando pelo pôr-do-sol e terminando em uma noite estrelada, simples mas cativante! Acaba me incentivando a seguir em frente e me dedicar ainda mais só para conseguir ver o cenário noturno. É um recurso que dá vida aos jogos, em especial nos puzzles.

Clique para ver no tamanho normal e repare na beleza do anoitecer do cenário

A trilha sonora segue o mesmo estilo do Master, com o diferencial de que nesta versão temos as três músicas do arcade e a possibilidade de selecionar qual delas tocar durante a jogatina, independente do modo de jogo selecionado.

Versão Mega Drive

Duas telas de abertura! Graças ao Blast Processing com certeza hehehe

Esta é sem dúvida a versão mais próxima do arcade, com os mesmos cenários, músicas e sprites para as jóias. Temos inclusive os modos adicionais das versões de 8-bits, mas infelizmente não podemos escolher o tipo de jóia a ser usado no jogo, podemos jogar apenas com as jóias originais do arcade. O cenário é mais abstrato e menos interessante do que as cidades, o céu estrelado e a pista de corrida presentes nas versões de Master e GG, mas pelo menos temos lindas telas de apresentação com desenhos de soldados gregos, anjos jogando em um tabuleiro e outras artes feitas claramente para chamar a atenção dos jogadores em lojas, shoppings ou onde quer que o console estivesse em exibição.

Perde muito pouco quando comparada com o Arcade!

A trilha sonora está muito bela neste port, bem próximo ao que temos no arcade. Uma curiosidade é que a música Atropos foi usada pela SEGA no menu dos cartuchos 6-Pak e pela Tec Toy na coletânea SEGA Top 10, coletâneas de Mega Drive que incluíam de 6 a 10 clássicos no mesmo cartucho, entre os jogos temos Super Mônaco GP, Sonic, Streets of Rage, o próprio Columns, entre outros (ainda vou escrever sobre essas coletâneas).

O cenário é um pouco diferente na versão do Menu

Nesta versão os modos são dividos em Arcade e Menu. O modo arcade é o port fiel do fliperama, enquanto que no Menu podemos selecionar entre os modos adicionais de jogo e definir a trilha sonora, dificuldade e outras opções.



Qual versão devo comprar?

Aqui vai a minha humilde opinião.

Columns, Tetris, Puyo Puyo e demais puzzles são jogos muito divertidos mesmo em consoles de mesa, mas não tem como derrotar versões portáteis, por mais inferiores que possam ser em termos gráficos e sonoros. Esse tipo de jogo cabe perfeitamente em jogatinas portáteis, nas filas de banco ou em salas de espera de hospital. Basta perguntar para a maioria dos jogadores qual era a melhor versão 8-bits de Tetris, e a do Nintendinho será pouco mencionada, perdendo de lavada para a versão monocromática do Gameboy.

Show! Quero um desses também! :D

Hoje mesmo joguei a versão de Game Gear no meu Dingoo enquanto estava esperando o ônibus para o trampo, e me diverti demais tentanto me manter vivo em busca de mais pontos enquanto admirava o anoitecer da cidade grega. Esse pequeno detalhe do entardecer do cenário durante a jogatina e o potencial de diversão que a versão portátil proporciona faz com que eu eleja a versão de Game Gear como a melhor das 3 no quesito diversão.

Tem no Mercado Livre e não é muito caro não...

A versão do Master é na minha opinião a pior das três. Não me levem a mal ainda é uma boa opção para os fãs de puzzle, mas com uma música a menos e blocos minúsculos é a menos recomendável, embora o cenário dos modos de jogo sejam bem bonitos e mais interessantes que os do Mega Drive.

Já a versão de Mega lamento o fato de não poder escolher o tipo de jóia e o cenário ser menos interessante, mas não tem como negar que é a versão definitiva para consoles de mesa, permitindo escolher a música que eu quero, com jóias mais bem definidas e claro o modo arcade que consiste no port fiel do que encontramos na máquina original. Para console de mesa e para partidas multiplayer, é a versão recomendada com certeza!
Obrigado Nintendo! :D

Mas se você tiver os 3 consoles e tiver que escolher apenas uma delas, a que possui maior fator diversão, pegue a de Game Gear e seja feliz! Ou melhor ainda, pegue a versão do 3DS na eShop que assim você joga por mais tempo e economiza pilhas rsrsrs (foi mal Game Gear, mas não pude resistir).



E é isso amigos, mais um review! O que acharam desse review triplo? Gostaram ou preferem que nos próximos jogos seja feito um review único para cada versão? Columns permitiu isso por ser basicamente o mesmo jogo nas 3 plataformas, mas no caso de jogos como Castle of Illusion acho difícil conseguir fazer um review triplo tamanha a diferença entre as versões de 8-bits e a de 16-bits, são quase jogos diferentes!

E qual versão de Columns você prefere? Acha melhor a de Mega? Fui muito injusto com a versão do Master? A de Game Gear é um lixo na sua opinião? Nos deixe saber nos comentários.

Abraços e até o próximo post!

16 comentários:

  1. Adorei seu post, Adinan! Como eu gosto deste joguinho, parece que não, mas o gráfico e o som influencia muito. É quase um passeio nas nuvens a musica no Mega Drive. Aqui em casa, a família até empolga em me ver jogar quando as pedras aceleram, depois dormem quando estou ganhando!... rs Mas esse joguinho é a cara do GG, nasceu pra ele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa valeu Rodrigo! Pode crer a trilha sonora do Mega Drive é demais, deixa a jogatina ainda mais agradável, e tem ainda o lance de mudar a música para um tom mais sinistro quando os blocos atingiram uma altura próxima do game over, o que deixa tudo ainda mais divertido!
      E sim, Columns se encaixa como luva no GG, foi a melhor escolha incluir o jogo como bundle no lançamento!
      Abração :)

      Excluir
  2. Muito bom o post. Eu tinha a versão do Master System que veio junto com o console. Joguei muito na época, aliás não só eu, a família toda jogava... fazíamos até disputa pra ver quem fazia mais pontos ^^. A versão do Mega só joguei anos depois no emulador.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Elfo! Pode crer Columns é o típico jogo família, daqueles que reune a turma toda pra disputar por pontos. A primeira vez que joguei Columns foi no Master também, e apesar das outras versões serem melhores tenho um apego por essa versão. Abraços :)

      Excluir
  3. Nossa Adinan. Boa matéria. Gostei das comparações. E sim, meus olhos sangravam quando eu jogava com os dados (!!!).

    Possuí o cartucho do Master e simplesmente achava o game viciante. Na época jogava "de dois" com meus primos e me divertia aos montes.

    A versão do Mega e do Game Gear só conheço por YouTube. Mas agora fiquei curioso pela versão GG do game.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa valeu Marcel! Pois é na época que eu joguei a versão do Master só usava as jóias ou as frutas, aí resolvi usar os dados enquanto preparava o review e comecei a sangrar pelos olhos, é muito difícil enxergar os dadinhos, talvez no Mega seria mais interessante ter essa opção.

      Pode crer Columns é perfeito pra reunir a galera, muito bom! E depois quando puder pegue a versão de GG e Mega, são excelentes! :)

      Abraços

      Excluir
  4. Excelente post! Eu tenho a versão do Mega, justamente em um cartucho Sega Top 10. Aliás, a ideia de um post especial sobre coletâneas em cartucho é ótima, seria legal falar da série Game Box que saiu para Master também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa valeu Unknown! Nossa pode crer a série Game Box é um caso a parte que merece ser comentado aqui no blog, tenho inclusive o da série corridas e lutas. Assim que puder vou escrever sobre eles e sobre as coletâneas de Mega Drive também. :)

      Abraços

      Excluir
  5. Eu tinha a versão do master system, meu pai que gostava de jogar, jogou tanto que ficou a marca do jogo na tv.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa cara e pra chegar ao ponto de ficar a marca é porque foram horas e horas de jogatina! Mas é comoreensível, Columns é um prato cheio e extremamente viciante para fãs de puzzle!

      Abraços

      Excluir
  6. Caraca, um review triplo!!! Quebrou tudo agora meu amigo! Muito bom, adorei o post! Jogava muito a versão do Master, um amigo meu tinha e vivia emprestando dele. Como nunca joguei os outros sempre achei uma boa opção, nunca imaginei que seria o pior dos 3... e mais, na época eu achava que era um jogo super original e exclusivo do Master System... kkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Leo! Pois é eu comecei com a versão do Master e pra mim era muito legal, só depois de conhecer a do Mega e do Game Gear que eu percebi que a versão do Master era a pior das 3 rsrsrs mas pelo menos a diversão nela continua intacta de todo jeito. :)

      Excluir
  7. em pensar q uma criança q só jogava jogo de ação e aventura q nem eu ia ficar tão viciada em um puzzle XD
    adorava columns, joguei bastante no meu mega! gosto bem mais desse jogo q de tetris, porque alem da música e do ar "mitológico",ele é muito dinâmico e emocionante! por causa desses efeitos em cadeia de uma jogada que elimina várias jóias, e outras jóias caem e são eliminadas em seguida, uma boa jogada podia virar a partida =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode crer Luna, Tetris era bem mais simples já Columns exigia uma boa estratégia e capacidade de criar combos e reações em cadeia para não acumular jóias no tabuleiro. Eu também curti bastante a temática mitológica grega do jogo, só lamento que as futuras versões abandonaram isso, dava um charme bacana ao jogo! :)

      Excluir
  8. Adinan, que bacana! Eu não sabia de tantos detalhes. Sabia do lance da exclusividade da Nintendo e Bullet Proof, mas não que o Columns não era invenção da SEGA. E nem sobre a origem do nome das músicas.
    A primeira versão, a que mais joguei e a que mais gosto é a do Game Gear, não tem jeito. Reconheço a qualidade das demais versões, mas eu me apeguei muito à versão do portátil, tenho o cartucho aqui até hj. Detalhe que eu escrevi isso antes de ver que vc também curte mais esta versão (sim, esta última frase foi colocada depois! kkk).
    Eu também me diverti muito e em especial com o modo Flash, é o meu modo favorito. Acho que pq gosto de jogos com objetivos, não sair jogando até onde aguentar. Mas gosto deste modo também, o tradicional.
    Sua bronca com os dados é totalmente compreensível… eu também não entendo como alguém consegue jogar usando eles! kkkkkkk
    Também acho a versão do Master mais fraca. Não me empolgo nada com ela. Já a do Mega mal joguei, difícil julgar.
    E preciso comprar a versão do 3DS, bem lembrado!!!
    Pra encerrar… escreva sim sobre as coletâneas! hehe
    Gostei muito do review triplo! Com direito a fotos dos cartuchos, caixas, manuais… acho isso muito bacana!
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Cadu blz amigo? Pois é fiquei sabendo pela Wikipedia e se não me engano numa das entrevistas do Sonic & Sega Genesis Ultimate Collection do PS3 um cara lá comenta que tinha que encontrar outro puzzle para substituir o Tetris que foi adquirido pela Nintendo e Bullet Proof.
      Sim a do Game Gear pra mim ainda é a melhor de todas, perfeita para portátil! As jóias e o tabuleiro estão no tamanho certo, tem um cenário bacana para não entediar o jogador, e tem todas as músicas do original, não poderia pedir mais!
      Pode crer vou ver se já faço o review das coletâneas, acho muito legal esses cartuchos de tudo-in-1, ainda mais oficiais como no caso do Genesis 6-pak e o Top-5.
      Abraços :)

      Excluir