terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Meme Gamer: O Que Você Jogou em 2014?

Saudações amigos!

Final do ano se aproxima e 2015 cada vez mais perto. E é com muita alegria que estou escrevendo este post, já fazia alguns anos desde a última vez que o QG participou dos memes da blogosfera, mas este ano estamos participando também da mais nova edição do meme gamer "O Que Você Jogou em 2014", do blog Marvox Brasil.

A idéia é falar um pouco sobre os jogos mais marcantes desse ano, e aqui no QG vamos repetir a dose da última vez que participamos, onde dividimos o post para os integrantes descreverem seus jogos. Neste post o Rodrigo, Matheus e eu estaremos relembrando os jogos que curtimos em 2014.

Sem mais delongas, vamos relembrar a jogatina desse ano!



Adinan
Este ano tem sido bem corrido, e isso se refletiu bastante na quantidade de posts (foi mal galera) mas ainda assim é possível encarar alguns jogos no pouco tempo livre que tenho tido ultimamente: a ida e volta do trabalho. Talvez por isso o Gameboy tenha feito tanto sucesso entre adultos, é uma mão na roda contar com um portátil enquanto está voltando pra casa. E nesse ponto tenho que aplaudir os smartphones e portáteis dedicados a games que matam nossa fome gamer em meio a correria.

Infelizmente tem muito shovelware e jogos casuais nos smartphones. Mas algumas empresas ainda investem em jogos mais sérios para Android e iOS, e foi no meu celular Android que zerei Dragon Quest IV. Um clássico dos jRPGs da Enix que foi razoavelmente bem adaptado para a jogatina touch. Personagens carismáticos, enredo simples mas interessante, batalhas simples mas com possibilidade de estratégias mais complexas, é um jogão que valeu cada centavo.

No 3DS tive uma grata surpresa com Shovel Knight, um jogo indie nos moldes de clássicos do Nintendinho como Megaman e Ducktales. Esse jogo está merecidamente entre os melhores de 2014, e não é por menos, o jogo é maravilhoso! Trilha sonora em chiptune caprichada, level design criativo e que testa as habilidades do jogador de forma desafiadora e divertida, personagens carismáticos, foi sem dúvida o segundo melhor jogo desse ano pra mim.

Mas Shovel Knight ainda não foi o jogo que mais curti esse ano, e mesmo com pouco tempo ainda consigo me divertir com consoles de mesa. Adquiri nas férias um Nintendo Wii U e tenho me divertido demais com ele, a ponto de nem renovar a assinatura da PSN Plus (o coitado do PS3 tá acumulando poeira com meu velho Wii) e entre os jogos adquiridos, destaco Donkey Kong Country Tropical Freeze.

Já havia gostado do DKC Returns do Wii, embora as músicas fossem apenas homenagens das clássicas, enquanto que as originais não eram tão boas quanto. Mas em Tropical Freeze finalmente David Wise está de volta e com uma trilha sonora que consegue até superar as memoráveis de DKC1 e 2. Sem contar as novas fases, ainda mais divertidas e insanas, com um desafio intenso mas que nos incentiva a tentar novamente. Tropical Freeze me fez voltar àqueles tempos saudosos de jogos de plataforma dos 16-bits que nos prendiam na frente da TV. Só esse jogo já justificou comprar o Wii U.


 
E claro, vale a pena mencionar alguns outros jogos que curti também esse ano. No Dingoo emulei praticamente todos os jogos que analisei este ano no blog, mais algumas pérolas obscuras como o Amagon do NES (devo ser o único que gosta desse joguinho), e Wario's Woods do SNES. Comprei o Wii U com mais dois jogos além do DKC Tropical Freeze, o New Super Mario Bros U, Super Mario 3D World e Mario Kart 8. Adquiri recentemente o NES Remix e assim que terminar vou baixar a continuação também. E apesar do PS3 ter adquirido poeira, andei jogando Sonic Adventure DX, Sonic Adventure 2 e Puppeteer.

Matheus

Quando o Adinan me perguntou se gostaria de participar novamente de meme, já estava ciente que não seria fácil escolher apenas 3 jogos no meio de tantos que joguei neste ano. Por isso, vou separar 3 que terminei e explicar o que me marcou em cada um.

Golvellius (Master System)


Eu sou apaixonado por RPGs dos anos 80/90, principalmente por aqueles desconhecidos que sempre encontramos naquele pacotão de ROMs. E procurando jogos para o MSX eu dei de cara com um bem conhecido: Golvellius. Nisso me veio a cobrança: eu não havia terminado a versão refeita para o Master System. Gastei praticamente o fim de semana inteiro explorando as áreas, descobrindo passagens secretas, recebendo dicas. É um tipo de jogo que teria odiado caso tivesse alugado quando criança, ainda bem que joguei depois de velho hehehe. Sem dúvidas um título obrigatório para os fãs de Master. Agora, como pude levar tanto tempo para encarar esse jogo?

2º Virtua Fighter 2 (Sega Saturn)

Um dos momentos que mais marcou este ano, para mim, foi a oportunidade de jogar o Sega Saturn de novo. Tivemos (sim, no plural, pois era meu e dos meus irmãos) um quando eramos pequenos, e na falta de grana tivemos de vender. O problema é que na época dificilmente encontrávamos jogos para ele, e juntando a falta de conhecimento não conseguimos aproveitar como deveria. É claro, isso não me impediu de conhecer ótimos títulos como Resident Evil, Mega Man X4, Fighters Megamix, Clockwork Knight e Tomb Raider, mas não posso negar que muita coisa boa ficou de fora, entre eles o Virtua Fighter 2.

O jogo ainda surpreende pela beleza e fluidez dos gráficos (isso hoje, agora imagina na época!). A jogabilidade é uma coisa difícil de explicar, tão prático e complexo ao mesmo tempo, acho incrível como existem tantas possibilidades e variedade de movimentos com apenas três botões (um padrão que se mantém até hoje). As músicas, bem típicas da Sega, são aquelas que te fazem ligar o jogo só para ouví-las. É um jogo que envelheceu muito bem, não é a toa que, ao lado do Virtua Fighter 4, é considerado um dos melhores da série.

3º - Wakusei Woodstock: Funky Horror Band (Sega CD)

Essa eu precisava deixar por último, por ter me proporcionado uma das experiências mais malucas que pude inventar de fazer: passar um RPG japonês completamente desconhecido e sem guia algum. Para quem não conhece, Funky Horror Band foi um RPG desenvolvido pela Sega (em parceria com a Victor Music Industries) para o Mega CD, que acabava de ser lançado no mercado japonês. Na época ele teve uma péssima recepção pela sua extrema simplicidade, isso explica o fato de não ter recebido um lançamento por aqui, ele era de longe o jogo menos recomendado para demonstrar as capacidades do novo Add-On que o Mega Drive acabava de receber. Só sei que isso foi o suficiente para chamar a minha atenção. Um RPG feito pela Sega? Não poderia ser ruim, ou poderia?

De cara você percebe que ele foge um pouco dos padrões da época, a começar pela história, que gira em torno do nosso herói (que não tem nome), que presenciou a nave da banda de funky sofrendo uma pane, forçando-os a aterrissarem no planeta, bem próxima da vila onde vive, que por coincidência é uma vila onde todos possuem alguma relação com música, e então resolve ajudá-los, partindo numa jornada em busca de uma solução para reparar a nave. É claro que a história do jogo não se resume apenas no reparo da nave, ocorrendo algumas reviravoltas e novos casos para o nosso herói resolver.
E o que nossos personagens usam como arma? Instrumentos musicais, é claro. E como você ataca os monstros, dando uma "guitarrada" neles? Seria engraçado, mas não, durante o progresso no jogo você vai "comprando" nas vilas novas melodias, algumas servem de ataque, outras de efeito (EX: para dormir, paralizar, curar). Ele também tem um jeito bem diferente para "evoluir", em que ao invés de ganhar pontos de exp. depois de derrotar um monstro e então aumentar de level, você ganha um item que aumentava pontos de um atributo específico. De início pode parecer estranho, mas funciona e muito bem, o tempo que gastei explorando a primeira dungeon no jogo foi o suficiente para deixar o personagem em boas condições.

No mais, eu gostei bastante do jogo, mas devo dizer que não é para qualquer um. Além da barreira por conta da linguagem (o jogo é carregado de textos, e não dá mesmo para ignorá-los), ele é um RPG ao gosto dos japoneses, daqueles em que você dá dois passos e já aparece uns monstros. Funky Horror Band foi, sem dúvidas, o RPG mais diferente que já joguei. Infelizmente, numa época onde os japoneses tinham Dragon Quest IV, Phantasy Star II e Final Fantasy IV, era óbvio que a sua diferença não seria o suficiente para conquistar um público maior.

Rodrigo


 
Este ano foi mais curto pra games, mas investi fortemente em Dungeon & Dragons - Warriors of The Eternal Sun, para esperar filme O Hobbit. Descobri alguns segredos do game e as melhores táticas de equipes, vendo meu hobby de adolescencia, o RPG de mesa, bem reproduzido no Mega Drive.


No Master, curti bastante o Jurassic Park e zerei-o algumas vezes, não é um jogo simples, mas satisfatório, fiquei tentado a catalogar os dinos do jogo como Dr. Grant.


 
Para distrair minha filhinha que já olha pra telinha, descontração sem compromisso com Ms. Pac Man, para relembrar minha própria infância no Atari do meu pai. Combinando com a mamadeira do Pac Man da minha pequena.


E por hoje é só amigos! Apesar da correria ainda encontramos um tempinho para jogar, seja com nossos filhos que começam a se interessar pelo nosso hobby, seja em pé no trem ou a caminho do trabalho, o importante é não deixar de lado a jogatina! :D

E você amigo leitor, quais jogos você jogou em 2014? Deseja participar deste meme? Basta entrar neste link (http://marvoxbrasil.wordpress.com/analises/meme-gamer-o-que-voce-jogou-em-20xx/) e seguir as regras. Lembrando que o prazo para participar é até o dia 08/01/2015.

E seguem os blogs que já estão participando:

Abraços e até próximo post! E boas festas!! :D

14 comentários:

  1. Um tanto quanto maldade escolher só 3, hein? E pra segurar a vontade de falar de tudo que jogou o ano todo? hehehe
    Mas vcs separaram ótimas dicas pra falar sobre, gostei bastante do post de vcs!
    Comentando cada um dos escritores... hehe.

    Adinan:

    - Dragon Quest IV pra celular funciona bem? O "razoavelmente bem adaptado" me preocupou, tenho problemas com touch... rs. O jogo custa caro, mas tenho curiosidade. Estou com o mesmo problema e solução que vc, falta de tempo unido a portátil nas idas e vindas do trabalho.
    - Preciso pegar e jogar logo o Shovel Knight, todo mundo falando bem pra caramba do jogo!
    - DKC é meu pecado gamístico mais tenso, não joguei nenhum jogo da série pra valer. Ainda farei isso. Bom saber que o Tropical Freeze é bacana!
    - Preciso te adicionar na lista do Wii U/3DS e Miiverse pra tentar marcar alguma jogatina online, embora eu só enrole e não jogue com ng nunca (falta de tempo maledetta)... hehe
    - Preciso jogar o Sonic Adventure 2 e o Puppeteer, não conheço Amagon e NES Remix é divertidíssimo!

    Matheus:

    - Putz, Golvellius tá na minha lista de pecados gamísticos do Master. Precisava encarar, não sei pq até hj não fiz isso. Bacana que vc explorou bem o jogo em 2014!
    - Virtua Fighter é um jogo que eu nunca entendi muito bem, mas acho que é problema com jogos de luta em 3D no geral. Ainda assim, o dia que eu conseguir jogar Saturn na vida (nunca joguei, sério), é um dos títulos que pretendo experimentar no console, já que só conheço outras versões.
    - Funky Horror Band pra mim [e pra muita gente, imagino] é totalmente desconhecido, legal vc mencioná-lo. Interessante todo conceito do jogo de instrumentos, melodias, etc. Deve ser divertido. Não existe ROM hack com tradução em inglês ou outra língua dele? Jogaria com certeza. Dois passos e batalha aleatória me lembra um pouco o Phantasy Star II. Aliás, legal saber que eram da mesma época os jogos, será que existe alguma influência de um no outro e/ou vice-versa?

    Rodrigo:

    - Nunca joguei o RPG em questão, fiquei curioso. Vou experimentar algum dia! Certeza!
    - Não consigo lembrar se joguei ou não este jogo, ele não me é estranho. Sei lá se joguei algum outro Jurassic Park e estou confundindo, mas enfim...
    - PAC-MAN é sempre divertido, Ms Pac-Man é ainda melhor. Se um dia puder, tenta jogar o Championship Edition DX, é um baita jogo, divertido pra caramba! Eletrizante eu diria!

    Gente, é isso!
    Desculpem o comentário grande, precisava manter meus padrões.
    Estou master atrasado nos textos aqui pra ler e comentar, mas ainda vou tirar um tempo pra isso. 2014 não foi um ano fácil! hehe
    Valeu!
    Abraços a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Caduco blz? Bom o DQ IV ficou controlável, mas como se trata de um port do jogo do DS ele tenta permitir diagonais o q não é bom em tela touch, mas de resto os menus de batalha são todos touch, o q ajuda muito. Mas se puder jogar no DS é bem melhor!

      Shovel Knight é fantástico! Não há palavras pra descrever esse jogo, se puder compre o do 3DS, o 3D dele é muito bom!

      Maluco como assim não jogou a fundo os DKC kkkkk são verdadeiros clássicos! Mas tirando os óculos da nostalgia, o Tropical Freeze superou a trilogia do SNES em jogabilidade, recomendo fortemente esse jogo.

      E Amagon, bom ele na verdade é um jogo ruim de doer, mas sabe aquele guilty pleasure? Amagon é isso, eu curto pacas esse joguinho que todo mundo odeia kkkk

      Abraços e feliz 2015!

      Excluir
  2. @Adinan

    Eu conheço bem pouco de jogos pra smartphone, não sou muito fã de jogar em celular, assim como jogar em PC. Mas estou jogando Spider-Man Unlimited no Windows Phone e até que estou gostando!

    Shovel Knight eu ainda preciso experimentar.

    DKC Tropical Freeze é o terceiro de 3 jogos que me fariam ter um Wii U.

    @Matheus

    Lista altamente retrô, muito foda!

    Não conhecia o Golvellius, é um God Game?

    Virtua Fighter é um clássico que nunca joguei, só via os outros jogarem nas locadoras...

    Não conhecia o Wakusei, mas essa história de jogar RPG japonês sem guia me lembrou Wild Arms 2. Eu ganhei de um amigo a versão piratex mesmo, mas ele era todo em japonês. Na época eu nem tinha computador (meu primeiro foi comprado em 2004) e não tinha como pesquisar nada. Travei numa parte e nunca consegui sair de lá, até que desisti do jogo.

    @Rodrigo

    Nunca joguei D&D em mesa, o que é uma vergonha pra mim. Tive poucas oportunidades de jogar RPG de mesa (quando ainda tinha tempo), mas o povo tinha acabado de jogar Vampiro e queria mudar. Escolheram Star Wars, e esse foi o único que joguei...

    Eu curtia muito o Jurassic Park 2 do SNES, achava show de bola, mas nunca consegui zerar.

    E qualquer jogo do Pac Man é uma boa pra passar tempo. Já jogou o Not Pac-Man? Dá pra baixar grátis (http://stabyourself.net/notpacman), mas se tiver problemas de motion sickness, melhor nem tentar.

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, jogos de smartphone eu dificilmente levo muito a sério, a não ser Sonic Dash e RPGs clássicos como os Dragon Quest. Pra mim portátil dedicado a games sempre será a melhor opção.

      E recomendo fortemente Shovel Knight e DKC. Pra mim DKC e Mario Kart foram o suficiente pra me convencer a comprar um Wii U.

      Abraços

      Excluir
  3. Eu até que andei muito ocupado esse ano jogando e zerando alguns jogos vamos lá então a lista :

    Pc Engine : Bomberman 93 e 94 ótimos jogos dá série
    Valis 2 curti pra caramba com suas cenas em anime durante os diálogos já tinha jogado a versão de Mega e gostado .

    Master System : R - type tinha jogado a muito tempo esse grande jogo em cartucho mas nunca consegui ir muito longe mas no emulador fui ao final.
    Golden Axe warrior está ai um jogo de rpg bem difícil ele não te dá muita dica tem que ser na raça e coragem.

    Nintendinho : StarTropics um jogo bem divertido e desafiante vale a pena joga com um enredo cheio de mistério..
    Crisis Force um jogo de shooter bem desafiante legal nós momento finais vão complicado as coisas.

    Game Boy Color : Mario Bros DX fizeram um ótimo trabalho nele colocando algumas coisas para entreter o jogador vale muito a pena

    PlayStation 2 : Jack and Dexter show de bola um bom jogo de aventura bem desafiador em algumas partes.
    God of War 2 ele é muito bom conseguiu melhorar muito o que tinha do primeiro jogo para o segundo.
    Lord of the Ring Aragon Quest bem fraquinho viu pensei que fosse melhor
    Rogue Galaxy um ótimo rpg com um enredo bem maneiro que te prende a cada jogada.
    Bionicles Heroes um jogo bem divertido viu se você chegou a assistir algum filme da Lego vai gostar dele.
    Shining Tears poderia ser melhor se fosse como na época do Mega rpg estratégico.
    Ghost Rider tem a pegada de hack and slash mas fica devendo um pouco em sua jogabilidade e câmera que as vezes atrapalha.

    PlayStation 1 : Wild Arms 2 show de bola esse rpg viu com uma boa jogabilidade e com varias magias e abilidades legais.

    PlayStation 3 : DMC esse reboot da série ficou bem maneiro eu curti pra caramba com um enredo bem mas caprichado e com algumas abilidades bem legais o novo Dante.
    Assassin Creed 2 um enredo bem maneiro e cheio de coisas a se fazer nesse grande jogo.
    DarkSector seu enredo chega até te prender por um certo tempo mas depois que você descobre certas coisas fica meio que a desejar e também por seu final
    Diablo 3 está ai um jogo que joguei a demo e acabei gostando fui comprar o jogo pois eu nunca tinha jogado os outros mas já tinha lido o livro e gostado também.

    Indie Games : Momodora 2 um game sensacional com belos gráficos e músicas bem descoladas que combinam muito com cada ambiente vale a pena baixar pena que seja meio curto mas fica a dica.

    OpenBor : Splatterhouse um jogo feito por fãs que junta os três jogos da série em um só com os Rick de cada versão um beat n up sensacional também viu fica ai outra dica a se jogar galera.

    E foi esses jogos que joguei durante o ano de 2014 espero que tenham gostado dessa lista e que no próximo ano eu continue jogando mais um pouco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí sim, Rock, gostei da sua lista! Em especial Momodora que é um indie fera! Tive ótimos momentos com os Bomberman do PC Engine, muito bom! E fiquei curioso com esse OpenBor de Splatterhouse, vou conferir.
      Abraços e feliz 2015

      Excluir
  4. Olha só o QG Master participando do MeMe Gamer pela 2ª vez, muito legal!

    Eu quero jogar esse DKC Tropical Freeze, é muito legal ver como tem opções interessantes para conhecer, jogar e tudo acaba virando sugestão de percurso rsrs para que o ano fique mais legal. Jogos de master, mega, nes e snes sempre estão na lista para algum momento para relaxar. E não tem como né, jogos de master sempre são divertidos.

    Pac-Man é muito legal, tem uma versão que é bem legal também que você joga com visão em primeira pessoa e tem um clima meio sombrio, vale a pena curtir - http://www.kongregate.com/games/briderider/fps-man

    Virtua Fighter eu lembro de um lance legal, no trabalho colocaram uma máquina de fliperama com uma porrada de jogo que você pode escolher à vontade a empresa em que trabalho costuma fazer isso nesses meses de dezembro e janeiro tipo umas "férias", nas horas de pausas e folgas de turno o pessoal juntava na máquina para jogar e sempre tinha uma galerinha que jogava KOF, daí uma hora entraram na lista de jogos e tinha lá Virtua Fighter e pedi para a galera selecionar o jogo, ninguém conhecia e era tudo galera de 18 anos, e comecei a mostrar como é o VF, o pessoal curtiu e começou a falar "parece Tekken", depois ficaram a noite toda explorando os VFs que tinha disponível na máquina.

    Grande abraço para a equipe QG Master!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa valeu Marvox! Cara interessante esse fliperama no trampo, bateu inveja aqui kkkk
      Deve ser loco pra galera mais nova descobrir clássicos como Virtua Fighter, imagino a reação da galera. Eu sou muito ruim em VF mas curto bastante.

      Abraços

      Excluir
  5. Golvellius foi um dos jogos mais importantes da minha infância. Da minha vida na real, porque diversas vezes me pego jogando-o. Lá pelos idos de 1994/95, eu era criança e já gostava de Dungeons & Dragons. Fui nas lojas americanas e vi aquela capa. Foi amor na certa. Tenho um carinho surreal por esse jogo. Interessante que não chega a ser mainstreem. É um cult de ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Golvelius chegou a ser portado para o iPhone com direito a save e música FM, e até que ficou bacana apesar do controle touch. Eu infelizmente não joguei no meu Master esse clássico, só fui me interessar por RPGs depois na era dos emuladores. Mas Golvelius foi um dos que mais me prenderam no emulador MEKA, é um cult de ouro com certeza!

      Excluir
  6. Adinan, Dragon Quest é minha lista de obrigações e Shovel Knight me seduziu.
    Matheus, tanto Golvelius quanto Virtua Fighter eu tenho carinho, pego essa semana Virtua 2 do Mega. Ter um Game Boy é o que me falta! rss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo demais ambos os jogos! DQ IV é bem jRPG mas mesmo no quarto episódio não nega suas raízes do Ultima, muito bom. E Shovel Knight é um espetáculo, homenageia com maestria os jogos 8-bits, encantou muita gente!

      Excluir
  7. @Philipp Aguarde que D&D (meu RPG mais querido) terá um Guide especial pra ele, tá saindo em vários capítulos.
    @Rock lista do mal! Golden Axe Warrior comecei o Diário, mas parei. Precisa de gás pra ele. Adoro God of War 2 e acho Lord of Rings também poderia ser melhor. Preciso conferir alguns.
    @caduco Adorei a dica vou conferir. Adoro Jurassic Park.
    @sucodelar O RPG de mesa foi minha diferença na adolescência para os outros adolescentes de minha cidade. Foi muito construtivo pra mim, pena que agora tudo é online.

    ResponderExcluir
  8. @Matheus Em tempo, adquiri o Virtua Fighter 2 pra Mega, e me impressionei com a qualidade dele, pois dá a oportunidade dos que ainda estavam nos 16-bits de experimentar, e logo, garantir fãs da franquia. É um jogo muito bem bolado pois abdicou de poderes especiais e deixou mais complexo o sistema de combate.com as quedas e combos. Posso dizer que Virtua Animation dos 8 bits só perdeu em gráfico pro Virtua 2 de Mega, pois tirando alguma velocidade e dficuldade do CPU, senti as mesmas reações de gameplay, usando mesmo as mesmas táticas.

    ResponderExcluir