sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Master Review: James Bond 007 - The Duel (1993)


Olá amigos!
As férias foram prosseguindo e não resistimos em parar tudo e procurar um game novo. A curiosidade nos levou a conhecer mais um jogo polêmico do Master que nos leva à literatura, ao cinema, e até um pouco de História. Vamos dar uma olhadinha em James Bond – The Duel.

Cena legendária criada por Maurice Binder

VIVA E DEIXE MORRER
James Bond é um personagem literário fictício, escrito por Ian Fleming em 1953, um espião da linha 00 (os de vida mais curta, com as missões mais perigosas e permissão para matar) a serviço da Rainha Britânica pela MI-6.  No Cinema, ele teve 23 filmes oficiais e foi protagonizado por diversos atores (que omitiram a cicatriz descrita nos livros), mas imortalizado por Sean Connery, o primeiro 007, contra diversos terroristas e organizações que ameaçavam o “mundo livre”. Explosões, disfarces e mulheres sensuais acompanhavam as tramas. Por isso mesmo, Bond é considerado garoto propaganda da Guerra Fria nas décadas de 70 e 80. Tanto que o herói foi remodelado atualmente (até loiro! com Daniel Craig.) já que a Guerra Fria acabou. A partir de Bond, surgiram paródias como Agente 86, Austin Powers e Johnny English (Eu mesmo já fiz paródia de James Bond numa das peças que escrevi).

Cena mais famosa da franquia!

A SEGA por volta de 1993 resolveu lançar um game do herói para suas diversas plataformas. Na tela, Roger Moore aparece como o espião mais charmoso do mundo. Infelizmente, as revistas especializadas (que mantinham os 16 bit como prato do dia, mas já privilegiavam os 32 e 64 bits recém-lançados) pouca atenção deram a este game, até um certo menosprezo e vamos examinar melhor.





GRÁFICOS E SONS

Tela inicial.

Uma das revistas da época já deixava de discutir gráficos e sons de suas matérias pra 8 bits. Mas posso dizer que The Duel trabalhou com um processo de movimentação bem rico, o que custou um pouco a velocidade do jogo, o que gerou a maioria das críticas. Isso é compensado bem nas versões por emulador em que isto é corrigido, poucos jogos você vai preferir mais no PC, embora no console não me irritei. Bond usa um smoking azulado, enquanto a versão Mega Drive é preto.

Com 007 só se vive duas vezes...
Subir escadas com esta perfeição, só em pouquíssimos jogos. As vinhetas e telas simulam os típicos computadores dos filmes de espionagem, para entrar no clima. A trilha sonora embora se repita, não cansa, sendo releitura de seus tradicionais temas do cinema, o que costuma agradar. Você ainda tem opção de ligar/desligar a música e/ou efeitos sonoros.  

...Digo, 4 vezes! Atire nas portas pra salvar as gatas!


O ESPIÃO QUE ME AMAVA
A história do game é típica das aventuras da série, um de seus vários inimigos Dr. Greenpew instalou um foguete assassino numa ilha e pretende ameaçar o mundo, com um satélite que lança lasers do espaço (Você já viu isso em Liga da Justiça? Fazia realmente parte do programa americano Guerra nas Estrelas na Guerra Fria). Bond precisa encontrar a base, resgatar os reféns e derrotar o vilão e alguns capangas famosos. Fiquei feliz da vida quando vi de novo Jaws, o homem dos dentes de ouro e Oddjob, guarda de Goldfinger. 

O Homem do dentista mais caro do mundo!

Oddjob, capanga de Goldfinger espera você com seu chapéu!

Algumas fontes diziam que era apenas um jogo de resgate, o que percebe que é um engano. Há diversas tarefas por fase. As reféns são aquelas bem genéricas como em Moonwalker, mas ao estilo Bond: morenas siliconadas de vermelho. Afinal, numa aventura do 007 não podem faltar. Bond ama todas elas...

"Meu herói!"
PERMISSÃO PARA MATAR
 Ainda havia a simplificação numa revista que Bond apenas saltava, escalava e atirava como um escoteiro. Só isso havia me feito pensar que era um jogo muito simplório. É verdade que poderia haver mais (se não, o subtítulo acima seria “Por que o Homem Aranha não faz isso?” =P ), mas este pouco de 007 é muito bom. Bond salta com habilidosos mortais e você vê o movimento que prova que ele é ambidestro. 

Jaws chama você pro primeiro Duelo.
Você só o encontra nos níveis mais difíceis.
Nunca vi ninguém matar com tanta classe. Os inimigos tem uma bela animação ao serem alvejados pelo espião mais famoso do mundo. Bond pode escolher 3 armas (que são selecionados pelo Pause), o tiro seguido, o míssil e a granada que limpa a tela segurando 1+2. Bond ainda anda pendurado por abismos, além de escalar cordas. 

Dica: Não se engane: A cobra é um robô!
Cuidado com os galhos que caem e escolha
bem o caminho de subida e descida!

O maior inimigo de Bond não são os capangas, as cobras-robôs ou os canhões eletrônicos, é a altura, pois uma queda curta Bond estará preparado, mas uma muito extensa é morte certa.


COM 007 SÓ SE VIVE DUAS VEZES
Para quem acha que este é o primeiro jogo do herói, se engana. O Commodore 64, o Atari 2600 em 1983 e até o SG-1000 tiveram sua versão também de 007. Você usava a lancha do Bond. Talvez isto tenha faltado ao game, uma fase com o Lotus Spirit, a lancha-submarino-carro cheio de tranqueiras criado pelo agente "Q" ou um alguma jogadinha no cassino (Há um bônus stage de sorteio, poderiam ter usado isso, mesmo descontextualizado).



VIVA E DEIXE MORRER
Diante de tudo isso, ainda acho que James Bond – The Duel merece uma boa olhada antes de simplesmente rejeitar. Você ficará em maus pedaços quando perceber e intrigado não vai mais largar até zerar o jogo. Vale uma espiadinha, digo, uma espionada!


10 comentários:

  1. Bacana lembrar deste jogo, Rodrigo! Só joguei o do Mega e apesar da simplicidade que o pessoal criticou na época eu me diverti. Talvez o jogo fosse melhor recebido se tivesse sido feito em 1990, em 1993 a galera tava naquela onda de querer jogos mais complexos. Mas fiquei curioso pra ver como é a velocidade do jogo, depois vou baixar e testar pra conferir.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com certeza, por causa de 2 anos a tendencia de jogos mudava, pelo menos gosto dos gráficos, são mais simples que os do Mega, o que pra mim é bom.
      Confere que dá pra curtir!

      Excluir
  2. cara lembrei da minha adolescência, 007 the duel foi o primeiro jogo que comprei para o mega drive,lembro até hoje daquele dia no distante 1993, eu tinha 12 anos e queria streets of rage 2 passei o periodo da manha em Madureira com a minha vó e não achei a tarde fui na tijuca com a minha mãe e nada, na ultima loja ela falou:ou você pega uma fita ou não ganha nada... vi a do 007 e resolvi pegar,não me arrependi, graficos bacanas,jogabilidade excelente (nem no master system e quem dirá no mega drive um personagem descia escadas tão bem), e vários easter eggs da saga do 007 que só fui perceber depois são eles:

    -1ª fase: barco de 007 somente para seus olhos
    jet-pack de 007 contra a chantagem atômica
    -submarino de 007 somente para seus olhos
    chefe:jaws de 007 o espião que me amava e 007 contra o foguete da morte

    -2ª fase:ilha de scaramanga de 007 contra o homem da pistola de ouro

    -subchefe:o carro dragão e o DR.NO de 007 contro o satânico doutor NO
    -chefe:feiticeiro kananga de 007 viva e deixe morrer

    fase 3: vulcão secreto de 007 contra a chantagem atômica
    -chefe:may day de 007 na mira dos assassinos

    fase 4: o foguete da morte de 007 contra o foguete da morte
    -chefe odd job de 007 contra goldfinger

    fase 5 jaws

    senti falta de encarar os chefões da spectre:rossa klebb,emilio largo e blofeld

    pena que ninguem lembra desse jogo tão injustiçado

    eu joguei essa versão do master system no dinggo e ela não deve nada a do MD

    ah e uma curiosidade as bond girls do mega são loiras e as do master são morenas rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, as diferenças foram com esta sutilezas bom que a gente vai e confere de novo!
      Estas histórias de compra de cartuchos, adorei a sua, eu também tenho histórias assim, ganhei meu Great Volley quando meu pai cansou de rodar comigo e me deu o primeiro cartucho que viu em Madureira! rsss
      Contribuiu bastante os east eggs! Show!

      Excluir
  3. ah esqueci de mencionar outra curiosidade no mega drive as feições de bond são do dimothy dalton e no MS do roger moore

    ResponderExcluir
  4. Nem fazia ideia que tinha esse jogo pra Master System vou adiciona-lo a minha lista de jogos a jogar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei que vale a jogatina Rock, cai dentro!
      Abraços!

      Excluir
  5. Já tinha saudades de um review para o nosso master :)


    Considero este jogo muito bom. Na altura nunca o zerei, tendo-me ficado pelo nível do foguete. A ver se volto a pegar nele!

    O 007 a par com o Rastan e o Land of Illusion foram os cartuchos que mais tempo estiveram na consola.


    Parabéns pelo artigo ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, realmente é um jogo divertido, acho que vale a pena voltar a jogar.
      Rastan e Land of ilusion são também ótimos jogos!
      Até mais

      Excluir
  6. É um jogo pouco conhecido, só vim a jogá-lo no emulador e me surpreendeu positivamente. Com certeza, para quem gosta de Master System vale a pena uma jogada nele.

    ResponderExcluir