segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Ralph Baer, o pai dos videogames (1922-2014)


Hoje de manhã me deparei com a triste notícia da morte de Ralph Baer. Aos 92 anos, o engenheiro americano de origem alemã faleceu neste sábado, dia 06/12/2014.

É praticamente impossível você gostar de videogames e não conhecer esse nome, pois Ralph Baer foi nada menos que o pai dos consoles de videogame. Sim, nós que curtimos os videogames da SEGA, em especial o Master System, temos muito a agradecer a ele.

Nascido em 8 de março de 1922 na Alemanha, seu nome original era Rudolf Heinrich Baer. Aos 11 anos foi expulso da escola, por ser de uma família de judeus, e em 1938, 2 meses anteriores aos ataques contra judeus na Alemanha, sua família decide fugir da Alemanha, passando a viver em Nova Iórque com o novo nome. Alí ele se formou em técnico de rádio e após a Segunda Guerra (onde foi convocado a lutar pelos Estados Unidos no serviço de inteligência militar) adquiriu o bacharelado de engenheiro de televisão.

Baer entrou na Sanders Associate em 1956, onde trabalhou até sua aposentadoria em 1987. Foi nesse emprego que Baer deu o ponta-pé inicial para essa indústria bilionária dos videogames. Em 1966 Baer percebeu que as TVs estavam mais acessíveis ao público, e que seria interessante ter formas de entretenimento mais interativas na TV. Assim ele criou, com um orçamento de $2,500.00 e o auxílio de outros dois engenheiros (Bill Harrison e Bill Rusch), o protótipo Brown Box (Caixa Marrom), o primeiro console de videogames.


Esse protótipo tinha jogos bem simples, consistiam basicamente de dois pontos na tela que interagiam entre si de diversas formas, a. Para uma melhor imersão do jogo, haviam folhas de acetato para afixar na tela da TV para obter "cenários" (o Brown Box original podia trocar a cor da tela, mas essa função foi removida no Odyssey). Ralph procurou vários fabricantes de TV que pudessem investir no invento, mas apenas a Magnavox adotou a idéia, rebatizando assim o console para Magnavox Odyssey em 1971.

O sucesso do console foi moderado, mas o suficiente para incentivar o surgimento de competidores como a Atari (a qual foi processada por copiar a idéia de Pong que já existia no Odyssey). E assim nasceu essa indústria que passou por altos e baixos, mas está firme e forte até hoje. É engraçado ver que essa caixa marrom e modesta é o grande ancestral de consoles complexos como o Wii U, o PS4 e o XOne. Mesmo lembrando do meu velho Master System II e as horas de diversão que tive com Alex Kidd, Mônica e Sonic, é difícil imaginar que essas horas de diversão na companhia de personagens cativantes em jornadas épicas foram possíveis graças a um joguinho lá da década de 70 onde dois pontos na tela disputavam partidas de tênis.


Além do Odyssey, Baer criou também o Simon, conhecido como Genius aqui no Brasil, entre outros jogos eletrônicos. Mas claro que o grande reconhecimento é pelo Odyssey. Em 13 de Fevereiro de 2006 foi condecorado com a Medalha Nacional de Tecnologia pelo então presidente norte americano George W. Bush, em reconhecimento pela sua contribuição e pioneirismo na tecnologia.


Com isso encerro o post agradecendo a Ralph Baer por sua invenção, o console de videogame, que em suas diversas formas me trouxe muitas horas de diversão e me diverte até hoje!

Abraços e até o próximo post.

Um comentário:

  1. Que descanse em paz Ralph ele foi o cara dos videogames que contribuiu muito para o que temos hoje em dia.

    ResponderExcluir