segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Resume Game: Comentando os Comentários

Ultimamente tenho me perguntado muito acerca dos reais motivos de até então escrever sobre jogos antigos. Por vezes, meio que esquecidos, ainda são o meu passatempo solitário preferido. Afinal, além de não ficarmos ricos ou famosos, nenhum de nós, e me reservo nessas linhas a falar em nome de toda equipe QG Master, vai ganhar desconto em farmácia (infelizmente) ou receber covite para posar nu (felizmente!).

E o anos passam, retroblogs se vão, e alguns teimosos, como nós aqui, ainda se dedicam a essa tarefa de redigir textos sobre aventuras em tantos mundos fantásticos. 


Backtracking 

Um dia, dois dias, semanas ou (pior) meses para uma resenha ganhar vida. Os motivos dessa demora ocorrer vão desde o simples não avançar de fases ou até mesmo (o pior do pior) a falta de um fio condutor sobre como escrever, o que abordar, quais pontos destacar ou não de um game.

Escrever, jogar, tirar screen, ler manual, ir em sites, pesquisar, rescrever, tirar mais screens do jogo, enfim; todo esse processo de jogo-pesquisa-escrita é sempre laborioso e consome tempo (e como). Tempo esse dividido com internet, notificação de celular, filhos, namorada. Fora o perfeccionismo que pode atrapalhar quando existe aquele sentimento ainda não está bom orbitando a cabeça.

Essas reflexões começaram a surgir após ler o comentário de um leitor do meu finado Na Praia4. O Tonho Dc (Logan), ex-blogueiro e jogador afastado, relata sua saudade da época em que escrevia - quem tiver interesse, basta ler os comentários na matéria sobre Prince of Persia lá no antigo blog. Nossa conversa foi rápida; naquelas poucas palavras, falamos sobre saudosismo, YouTube, ele comenta de uma participação minha no seu blog; bateu a nostalgia gostosa sobre a retrosfera em seus tempos áureos.

Fim da retrosfera? Nostalgia? Bom, esse não é o tema desse Resume
Deixo aí o link para quem tiver interesse...


Voltando ao assunto

Nessa conversa com o Logan, descobri (ou redescobri) algo que talvez já soubesse, e ainda não tinha mensurado. Era algo implícito, um bonus stage. A conclusão disso tudo? Que grande parte da graça de blogar sobre jogos está na interação com o leitor

Pois é. Surpreso? Pois não fique. Até hoje eu respondo comentários. Não gosto de deixar passar nada. Digo mais: eu adoro, me divirto, solto risada. Mesmo em resenhas ou em material que não é meu. É esse feedback que me fez recentemente mudar alguns paradigmas e olhar com mais atenção para jogos de Game Gear. Essa conversa troca, travada no fim de cada postagem, ajuda a diminuir a distância que separa todos nós, órfãos das locadoras e da antiga Sega, de nossas mais queridas lembranças.

Essa parte que cabe a você que lê é tão ou mais importante do que chegar a um The End após horas de batalhas com os controles. Eu (autor), saber que você gostou, curtiu ou recomendou o jogo que eu tive tanto trabalho cuidado em falar aqui nesse pedacinho pequeno de internet, não só me deixa feliz como gera um laço, um compromisso e até respeito. E como amigos curtem coisas em comum, tem gostos parecidos e sempre estão dispostos a trocar uma palavra, porquê não falar em amizade?

Então, pra finalizar, algumas palavras: fica aqui o meu muito obrigado a você meu amigo leitor, comentador, boggler e jogador. Obrigado por seu comentário, sua curtida ou leitura. Obrigado por escolher o nosso espaço para alimentar a sua paixão. O meu sincero, obrigado!

Um feliz Natal e um próspero 2016!

Sinta-se em casa para comentar. As portas do nosso QG estão sempre abertas. 

É só entrar!
E que venha a próxima fase...

18 comentários:

  1. Meu bom Marcel, adoro o seu site, eu sempre dou uma espiada nele para ver algum post novo, leio-os todos e os adoro, porém ... de fato a falta de tempo (maldita vida adulta, hahahaha) não me permite comentar em todos os posts.

    Me foi muito útil seu post do SpellCaster, e seu apaixonado post do Jurassic Park. De fato, trouxe algumas lágrimas de nostalgia a esse velho gamer que vos escreve.

    Gostaria de sugerir uma matéria comparativa entre SMS vs GG, por exemplo: Virtua Fighter Mini ou Sonic, citando os pontos fortes e fracos de cada versão.

    Grande abraço.
    Old-Hutter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o site não é meu, e sim do nosso Master Leo S. que anda curtindo a aposentadoria em alguma praia do Caribe.

      Já nós, restante da equipe, continua aqui removendo a poeira dos emuladores para trazer um pouco daquelas horas da infância que há muito já se foram.

      Sinta-se feliz para comentar e sugerir velhos e novos jogos.

      Um abraço e boas festas.

      Até mais!

      Excluir
  2. hahahaha ... desculpe, a idade deixa a gente meio gagá. Só fui perceber meu erro após postar o comentário. O post do SpellCaster devemos agradacer o Leo S, e o post do Jurassic Park ao O Devaneio de Rute.

    Congratulações a toda equipe que mantém o QG Master ainda em atividade.

    Old-Hutter.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Old, desculpas aceitas.

      E continue com a gente aqui.

      Um abraço e boas festas!

      Excluir
  3. Mesmo tendo um Atari antes (presente de Natal para mim e meu irmão), considero o Master meu primeiro console (presente somente meu) que foi comprado com muito esforço pelo meu pai deixo a baixa renda familiar na época. Talvez por isso tenho tanto carinho pelo console, que servia para reunir toda as crianças da rua para jogar o Master, mesmo na TV preto e branco que tínhamos.
    Foram diversos momentos inesquecíveis que voltam a cada matéria e reportagem do blog.
    Continuem sempre com as excelentes matérias, pois ajudam a resgatar uma época muito importante para toda uma geração de retrogramers.
    Parabéns a equipe é um feliz natal para todos também!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí Claudio, beleza?

      Acho que posso falar em nome de todos os membros que a cada matéria escrita nós também resgatamos um pouco da infância.

      Um abraço e um ótimo 2016.

      Excluir
  4. Ps.:a imagem do Luck Dime Caper traz uma nostalgia excelente, foram diversas locações de final de semana até zerar as sete fases este jogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa é uma das minhas capas preferidas. E um dos jogos que mais joguei também.

      Excluir
  5. Excelente post! Saudades daquele tempo de locadora, revistas de games e nada de internet!
    Que 2016 traga muita energia para seu blog e que os jogos de Master sempre estejam com a Força!
    Feliz 2016!

    ResponderExcluir
  6. Belo post esse Marcel acompanho vocês aqui a muito tempo viu não me lembro quando comecei mas me sinto em casa aqui quando leio os post desse blog.Sempre quando leio os textos referente aos jogos me sinto voltando aos tempos de locadoras e também aos momentos de escola quando reunimos para falar sobre o que descobrimos em um jogo.
    Mas é isso ai que vocês tenha um Feliz Natal atrasado me desculpem e um Prospero Ano Novo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Rock, tudo bom?

      Cara, desculpas aceitas e sinta-se a vontade para dar play mais uma vez com os clássicos que revisitamos aqui.

      Um abraço e até o ano que vem!

      Excluir
  7. Matou a pau,o post, Marcel!
    Sempre percebi que nas comus de orkut, e hoje nas páginas do Face, o grande prazer está na troca com o leitor.
    Sinto na página Master System que frequento um prazer quase que gastronômico quando duas pessoas que amam um game antigo trocam detalhes da experiência, como trocar a receita de um prato antigo de família.

    Nós desbravamos, bancamos os jornalistas/historiadores dos games empoeirados, o público não é menor, ele também enfrentou o game, passou pelas mesmas experiências, suou pra ganhar aquele jogo no Natal, e às vezes joga aquele game melhor do que a gente. Não é raro nós descobrirmos aquele game que nunca tocamos numa locadora, e comenta aqui com amor um fã que joga aquele game há mais de 20 anos.

    Por isso, a blogosfera retrogamer continuará viva enquanto houver o leitor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu pelo elogio Dev!

      Também me amarro nessa troca de experiências e tem muito disso que você falou das receitas. Por mais que sejam os mesmos pratos (games), o gosto está no momento em que cada um experimentou.

      Um forte abraço e até mais!

      Excluir
  8. Me desculpe Marcel, só agora vi o seu post, e como o Rodrigo disse matou a pau! Excelente post pra encerrar o ano, e com poucos parágrafos me fez voltar para 2009-2010 quando a blogosfera retrô era ativa, com uma infinidade de blogs falando sobre jogos antigos, Gagá Games sendo referência e visitado diariamente, era uma época bacana que deixou saudades.

    Mas é bem isso que você escreveu, enquanto tiver leitores comentando e compartilhando suas experiências com as locadoras e com a Sega das antigas, o QG continuará firme e forte!

    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo post, cheguei atrasado, mas não posso deixar de comentar. Esse sentimento descrito no seu texto é exatamente que sinto em relação ao trabalho em fazer os textos e a satisfação de ter comentários.

    Infelizmente os comentários para nós escritores e amantes de jogos antigos está cada vez mais escaço. Me pergunto, penso, questiono e não acho a resposta devida para essa diminuição deles.

    Escrevo no Retroplayers e vejo isso acontecendo. Pelo menos eu venho pensando assim. Seria o Facebook? Seria a qualidade do texto? O desinteresse da leitura de todos? Falta de tempo? Será que o assunto Retrogames está perdendo força?


    Realmente não sei.

    No final ficamos felizes com aqueles que fazem questão em comentar e sempre estão lá. Essa é a razão para continuarmos.

    Grande Abraço Marcel.
    Vou visitar muito mais vezes o site.

    Ivo

    ResponderExcluir