domingo, 7 de fevereiro de 2016

"Tempos de Coleção" - Verdadeira Coleção


Oi pessoal!
Entrando em clima de Ano novo, comento aqui uma coisa que marcou muito minha vida de gamer nos anos 90, a VERDADEIRA COLEÇÃO!


POR QUE EU ME LEMBREI?
Na Página de Facebook "Colecionadores de Games", eu vi ano passado uma polêmica envolvendo estes colecionadores.

Um colecionador conceituado, contemporâneo da década de 1990, questionou um jovem colecionador que tinha fotografado uma dezena de looses, até com labels danificados, como sua orgulhosa aquisição.
Não querendo entrar no mérito de quem estava certo, a pergunta final do debate  era "com que propósito colecionamos?" 


POR QUE ACUMULAMOS "PROGRAMAS LÚDICOS"?
Daí lembrei do meu arsenal de jogos, e logo lembrei da entrevista do genial Eric Fraga do Cosmic Effect. "O retrogamer é o único colecionador que usa sua coleção. Um adulto não vai brincar com seus bonecos de coleção, um videogame, sim". Cito bem erroneamente sua declaração na entrevista do jornal, mas isso eu concordei bastante. 

Vejo coleções destes programas eletrônicos, mais bem cuidados que colecionadores de Caddilac's e Opalas,  para aqueles que colecionam com estilo. Já outros qualquer loose tá valendo. Curioso e polêmico foi a geração dos colecionadores que amontoam games que "testei, mas não joguei ainda" isso após ter adquirido a peça há 1 ano atrás. 

Aí que eu me peguei olhando minha tela de Roms no Everdriver: Quantos games me ocupei salvando, num tempo que poderia ter jogado uns 20! Talvez eu morra e não tenha ZERADO todos eles, mas joguei um pouco cada. Minha digníssima (sempre analítica!) volta e meia me pergunta "para que tantos jogos?" 

Logo lembrei das nossas playlists de músicas, a maioria das pessoas tem 300 tracks, mas só ouve 10 músicas. Também lembro que a emulação veio compensar as locadoras, toda semana era um game novo dentro de casa, mas não era nosso. Pra ter todo dia disponível, aí sim servia a coleção!   


Uma típica locadora, fotografia do site Retroplayers.
Com elas, havia sempre algum jogo novo em suas mãos.

VOLTANDO AO PASSADO...
Era Fim de Ano. 1991, eu acho. Ganho meu Master System e meu pai acresce ao presente "duas fitas", como chamávamos.  
Era Great Volley e Golfmania. Por que duas fitas? Pra agregar valor ao presente, que já vinha com Sonic na memória. Na Era Atari eu tinha 8 cartuchos, dois com mais de um jogo. Deu pra me entreter durante toda a década de 80.  

Confesso que não eram os games que eu queria, mas meu pai me deu com carinho. Eu olhava meus amigos e primos, e achava suas coleções bem mais interessantes que a minha. A Grana era curta, então as coleções tinham apenas 3 carts mesmo! Vejam os casos:

COL. 1
Um amigo tinha um NES, e com ele que vi pela primeira  vez um jogo 8 bits doméstico.
Tinha o Mario (incluso), o Double Dragon (o que mais me encantou!) e o Super Contra (quanta variedade!).
Era uma coleção versátil, na minha visão: Muita adrenalina de artes marciais, um jogo de tiro bom e pra quebrar um pouco a pancadaria, tinha o Mario! 

COL. 2
Meu primo mais velho era regulado. Tinha um Master 1 que eu achava mais bonito que o Phantom System (popular aqui!) e só emprestava revistas, uma hora ou outra me dava uma jogatina. Ele tinha o Kenseiden (maravilhoso! Um game de Samurai!! Melhor que o Double Dragon!), o Out Run e Capitain Silver.  O lance dele era espadas e corrida. Já que percebi que ele sempre alugava outros jogos como Golden Axe e já tinha o  Hang On

COL. 3
Este amigo não tinha NES, tinha um Phantom System que era melhor. A coisa mais charmosa pra mim, era que ele tinha um Ghostbusters pra Phantom, com aquele símbolo dos Caça-Fantasmas num console chamado Phantom! rss Melhor que isso era um Zillion no Master... Além destes, ele tinha um Top Gear e um Turtles Ninja. Também diversidade de estilos: lutar (quase uma regra), sair atirando no céu e quebrando a cuca pra vencer fantasmas. 

COL. 4    
A última foi do meu  primo mais novo, tinha a coleção mais diversa, já na última fase dos 8 bits. Seu Master Super Compact vinha com Alex Kidd in Miracle World, junto com Paper Boy e incluiu títulos diversos, como King Lion e Virtua Fighter Animation. Realmente uma pessoa com um gosto muito diverso na minha opinião pra TER o game, e não só alugá-lo.   

A PRIMEIRA COLEÇÃO VERDADEIRA
Eu nunca desisti do Master. Tanto que considero que minha primeira coleção foi justamente no seu declínio, quando desisti de acompanhar o mundo dos games. Com meus primeiros  salários e uma locadora se desfazendo de títulos 8 bits, que montei uma verdadeira coleção. Nada de 50 títulos, isso era impensável! Mas aquelas pérolas eu adquiri e mesmo não querendo saber de novos games, sempre foram um bom entretenimento, quando precisava relaxar:



- Sonic the Hedgehog (na memória, estou contando)
- Turma da Mônica em: O Resgate (valeu, tia!)
- Kenseiden (primeira compra loose no ML)
- Streets of Rage
- Populous (a capa e manual foram perdidos!)
- Mortal Kombat II (trocado por um Street Fighter 2, hoje raríssimo)
- Masters of Combat

Dá pra perceber o perfil do jogador pelo que ele escolhia. Não quis mais jogos da locadora, exatamente pelo que não queria jogar. Joguei apenas estes jogos de 1997 a 2006. (sim, não sou deste planeta!)

 A SEGUNDA COLEÇÃO
Quando me mudei, perdi diversos hobbies e tive de mudar de rotina da emprego. Somente assim me reativou o espírito retrogamer, e me dediquei realmente a colecionar. Mas não era qualquer jogo: tinha que ser os melhores, ou pelo menos, os que  faziam significado pra mim. 

Daí, meus companheiros do QG sabem a luta que foi minha garimpagem, em feiras, leilões alucinantes e Mercados Livres da Vida. Repus minha infância gamer em dia:




- Golden Axe
- Moonwalker
- Shinobi
- Galaxy Force
- Zillion 2

Eu já me senti estabelecido, com aqueles que na época achava que "podia ter". Eu já comecei a ter os games (antigos) como uma atividade rotineira, acreditava ter jogos de (quase) todos os gostos. 
Mas veio depois aqueles que sempre  "sonhava":


Nem todos estavam em bom estado, e ainda hoje estão em restauração.

- Phantasy Star
- Ninja Gaiden
- Mônica no Castelo do Dragão
- Spider Man
- Golden Axe Warrior
- Psychic World

Paro aqui, pra compartilhar meu narcisismo de colecionador. Senti todos meus anseios completos de um amante do Master System quando consegui. Mesmo com toda luta, ainda tenho um TOP 10. De todos os jogos (nem todos apareceram aqui), 10 são aqueles que estou em constante jogatina. 
Algumas pequenas coleções foram temáticas.

Agora pergunto a você, leitor, esqueça seus zilhões de roms e jogos arrematados em leilões, se tivesse apenas que ter 10 games na tua estante, qual jogo seria da tua coleção?

15 comentários:

  1. Excelente post, Rodrigo! Legal ver como você foi montando sua coleção! Nossa difícil definir os 10 jogos que gostaria de ter, vou postar os top não me limitando ao Master System:
    -Phantasy Star
    -Golvelius
    -Sonic the Hedgehog
    -Wonderboy in Monster Land
    -Wonderboy the Dragon's Trap

    (SNES)
    -Super Mario All Stars
    -Super Mario RPG
    -Final Fantasy Mystic Quest (só eu gosto desse jogo kkk)
    -Dragon Quest I & II

    (Nintendo DS)
    -The Dark Spire

    Tem monte de jogos mas esses são os que gostaria de ter em mídia física enfeitando a estante de casa

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Valeu, amigo! Seu Top 10 é impecável! Só jogão! Eu tenho outros no Mega, mas acho que fisicamente só tinha interesse de mais uns dois jogos, já o Master, eu teria mais se não estivesse ficando cada vez mais salgados os games. Alguns do seu Top 10 também entrariam no meu, mas vou adiar postar, ainda, deixar o pessoal se manifestar. rs

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Colecionamos para satisfazer um desejo pessoal, a origem desse desejo não está necessariamente ligada ao objeto colecionado. É doido mas tem muito disso. Eu colecionava carteiras de cigarro, cheguei a ter 329 de marcas diferentes, isso até 1997. Depois me desfiz desta coleção. Mas a questão é que eu não fumo, nunca fumei ( sim, já traguei um Malboro e um Plaza e sei a diferença) mas o que quero dizer é que nunca fui um fumante, devo ter fumado umas 30 unidades em toda a vida. A questão é que mesmo sem ter fumado eu colecionava pela beleza em si das embalagens, só isso.
    Com games a coisa complica, entra vários fatores, como nostalgia e a vontade de jogar simplesmente por jogar algo bom.
    Não posso fazer uma lista de coleção, pois estaria indiretamente fazendo meu Top 10. E esse tipo de lista muda com o tempo. Meu Top 10 de hoje é diferente dos tempos de Master System, mesmo assim valeu pelo texto, ficou legal. Essa é uma discussão interessante, dá para abordar muito mais coisa, é um tema imenso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De boas, amigo! Realmente, coleções são assim, já colecionei latinhas de bebidas que não são minha praia e moedas.
      Meu critério de coleção é por desejo (não realizado) e nostalgia, o game pode ser ultra que se não me diz nada, não adquiro. Mas a beleza das capas ajuda, sim.
      Eu convidaria a fazer um TOP 10, sim. Deixaria-o livre pra pensar em antes (na nossa época de ouro) e hoje.
      Espero que sempre passe aqui e curta nossos textos! Este tema mexe com todos nós.
      Abraços!

      Excluir
  4. Saudações, Rodrigão!
    Beleza de post, hein?
    Sua história é similar à minha...
    Depois que parei de acompanhar de perto a evolução tecnólógica dos games, me voltei para os clássicos. Em 2006, voltei à adquirir carts de Master System, junto àqueles que já tinha desde 1990. Hoje, coleciono tanto Master, como Mega Drive.
    Atualmente, tenho 64 cartuchos de Master e 124 de Mega. Algumas peças do 8 bits da Sega, estão é ótimo estado (incluindo caixa, manual, panfletos, etc) só que, infelizmente, todos os demais, são "loosers".
    Com o passar do tempo,ficou complicado achar títulos conservados, à um preço "justo". Então, por conta disto, acabei moldando minha coleção assim mesmo, uma com caráter funcional, pois ainda os jogo.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem assim, Douglas.
      Eu nem sei quantos títulos tenho hoje, exatamente. Mas uma parte consideravel vem dos anos 90 mesmo, me desfiz de 2 carts de Master, um Atari com 8 jogos, e um Mega... Como me arrependo hoje. Realmente tem os perfeitos e completos, mas a maioria é "looser" mesmo. E afinal, se vc só pudesse ter 10, quais seriam?
      Abraços

      Excluir
    2. Perguntinha complicado, heim amigão?
      Vou me restringir ao Master, pois tive bem menos contato, comparado ao Mega (isto, nos tempos áureos). Se eu pudesse ter apenas 10? Vejamos...
      1) Moonwalker
      2) Castle of Ilusion
      3) Phantasy Star
      4) Thunder Blade
      5) Gouls'n Ghosts
      6) Black Belt
      7) Double Dragon
      8) Power Strike 2
      9) Master of Darkness
      10) Alex Kidd in the Miracle World

      P.S.:Nesta lista, há jogos que eu tenho e os que teria ter...

      Excluir
    3. P.S.2: Ficou muita coisa boa de fora, como Sonic 2, Dick Tracy, Jurassic Park, Line of Fire, Shinobi, Kenseiden, Galaxu Force, Space Harrier... a lista seria bem maior, se não fosse a tortura de escolher só 10!
      Rss!!!

      Excluir
  5. 10 de Master: Orra, difícil cara, mas vamos lá:

    Ninja Gaiden
    Master of Darkness
    Psycho Fox
    Alex Kidd In Miracle World
    Rastan
    Alienstorm
    Alex Kidd In Shinobi World
    E-Swat
    Ghouls n' Ghosts
    Black Belt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Outro colecionador de bom gosto, fã de clássicos e nem todos unânimes, mas o importante é o sabor que lhe dá, revivencia-los!
      Aparece sempre! Até

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de que certa forma tenho um carinho especial, devido a nostalgia de ter passado momentos únicos com estes games:
      1- Alex Kidd in Miracle World
      Vinha na memória do console e foi o primeiro jogo que consegui finalizar;
      2- Asterix
      Um dos melhore gráficos do console (minha opinião), adorava a fase das bigas;
      3- Master of Darkness
      O clima dark deste jogo é fenomenal, melhor que Castlevania do NES (minha opinião novamente);
      4- Prince of Pérsia
      Movimentação realista e gráficos acima da média do console;
      5- Land of Ilusion
      Gráficos excelentes e o mapa também podia ser explorado, podendo voltar às fases antigas com os novos poderes para acessar novas áreas, dano um toque de estratégia ao jogo;
      6- The Lucky Dime Caper
      Um dos jogos que mais aluguei, as animações do Donald conforme o clima da fase são excelentes e não tinham muitos jogos com estas característica nas época;
      7- Psycho Fox
      O fator exploração era demais neste game, cheio de passagens secretas. Apesar de serem fáceis de serem descobertas, na época achava que era uma descoberta inédita (a ingenuidade da infância);
      8- Mortal Kombat
      O arcade em casa, mesmo com as limitações técnicas não impedia a galera da rua ter altos combates;
      9- Sonic
      Apesar de diferente em diversos aspectos da versão do Mega Drive, proporcionou diversas locações até conseguir finalizar;
      10- Golden Axe
      Outro exemplo de arcade em casa, também com diversas características diferentes, mas que eram "ignoradas" em prol da diversão. Também rendeu muitas locações de final de semana;

      Excluir
    2. Aí vc me pegou, Cláudio.
      Pensava na minha lista como imbatível, mas os que vc citou me botam numa sinuca, todos muito bons, e alguns também na minha lista. Difícil é eliminar um.

      Excluir
  7. Muito bom, esse questionamento de quantidade é sempre importante. Claro que tem aqueles que gostam de ter por ter, eu não me oponho, cada um sabe o que faz com o próprio dinheiro e espaço, além do tempo disponível. Mas a grande verdade é que a época em que a gente tinha menos e jogava mais, a gente se divertia bem mais. Ou pode ser uma armadilha de nostalgia da minha cabeça.
    Se eu tivesse somente um Master System e direito a 10 jogos, escolheria estes (não pensei muito, respondi de bate pronto).
    Sonic
    Sonic 2
    Psycho Fox
    Double Dragon (pra jogar em dupla)
    Kenseiden
    Jogos de Verão (pra jogar em galera)
    Zillion II
    Phantasy Star
    Alex Kidd in Miracle World
    Choplifter
    Certeza que esqueci de vários ótimos, mas foram os que vieram em mente. Acabei descartando os de Light Phaser, embora gostasse muito de dois em particular (Gangster Town e Wanted).
    É isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu concordo que "o dinheiro é meu e faço o que quiser", mas vc disse tudo, menos dindim e mais diversão, por isso, pensei nesta redução, se você "não pudesse ter mais". Assim era a nossa realidade.
      Sim, percebi que seu menu tem muito a "visão de interesses", entre S. of Rage e Double Dragon, o segundo dá pra jogar de dupla!

      ...Em tempo, a "armadilha da nostalgia" é um elemento que me preocupa na blogosfera atualmente, como se a gente distorcesse a própria memória.
      Abraços!

      Excluir